Sombras da Luz: Entardecer, Capítulo 8 [PT]

Capítulo 8: As revelações de Garganthis! 

Durante os dias seguintes, Mikel, Krissie, Alexandris e Rain delinearam a estratégia que iriam usar quando Mikel tivesse reunido todos os elementos e estivesse pronto para enfrentar o Imperador Seth. O tempo passou rapidamente e assim, na manhã em que as luas de Spodeth-Alpha se alinharam nos céus, Mikel estava pronto, dentro de uma embarcação que Krissie mandara preparar para ele, a fim de partir ao encontro de Garganthis.

- Majestade, tendes a certeza que não quereis que vos façamos companhia? A viagem ainda é longa! - perguntou Alexandris, preocupado.

- Meus amigos, temos de dividir tarefas! Eu posso não sair vivo deste encontro com Garganthis! Se algo me acontecer, alguém terá de retomar a missão! Só assim, com esta espada completamente energizada, é que teremos hipóteses de vencer o terrível Seth! - afirmou Mikel.

Perante tamanha determinação no olhar e nas palavras, Alexandris e os restantes soldados ajoelharam-se e viram Mikel a desfraldar as velas da embarcação que o conduziria até aos limites do reino, rumo ao local onde Garganthis vivia. 

A viagem de Mikel prolongou-se por vários dias e noites. O oceano estava calmo e havia um pouco de vento, pelo que ele viajava a uma velocidade razoável. Habituado a resolver tudo depressa, aquela lentidão começava-o a inquietar. Cedo se apercebeu que apesar de estar no seu reino, quem mandava agora eram os elementos. O oceano era caprichoso e ele não se atrevia a praguejar muito, não fosse o oceano revoltar-se e ele nunca mais chegar ao destino. Hórus visitou-o algumas vezes durante a viagem. Vinha ter com ele já a noite ia alta, quando Mikel suspirava apaixonado, ao olhar para o céu avermelhado, pintalgado de estrelas.

- Não sei se aguentaria passar toda a viagem sozinho, sabes? - comentou ele, abraçado a Hórus, uma noite, depois de fazerem amor. - Alexandris tinha razão. Nunca mais chego à ilha onde vive Garganthis.

- Coragem! Amanhã ao raiar do dia, chegarás ao teu destino! - respondeu Hórus, aconchegando-o a si.

Mikel, feliz por escutar aquela boa novidade, não tardou a adormecer nos braços do pai. Hórus, por sua vez, olhava a escuridão incessante do oceano. Gostava de poder prolongar aquela felicidade por tempo indeterminado. Nunca encontrara aquela paz de espírito que descobrira recentemente nos braços do filho. Durante muitos séculos, ele tinha comentado jocosamente sobre os deuses que acabavam por se envolver e serem felizes com os filhos. Agora, olhando para Mikel, que dormia recostado a si, sorriu ternurento. 

Uma brisa gelada despertou Hórus daquele momento. Nuvens de tempestade e trovões ecoavam ao longe. Não tardou muito para que a ilha de Garganthis aparecesse na linha do horizonte. Hórus temia o que pudesse vir a acontecer. Afinal, o seu próprio filho estava a reunir o que necessitava para travar uma batalha que outrora, ele travara também. 

Suspirou. Hórus recordou-se de quando era criança e o tio dele, o deus Seth, o tinha convidado a entrar numa brincadeira, que teria de ficar só entre os dois. Inocente, Hórus aceitou. Momentos depois, Seth colocou o seu membro latejante na boca de Hórus e obrigou-o a saboreá-lo. Hórus estranhou a brincadeira, mas como simpatizava com o tio, acedeu. Este colocou as mãos sobre a cabeça de Hórus, fazendo força, o que fez com que este quase se engasgasse. Não tardou muito para que Seth atingisse o clímax e fora aí que Seth cegara o olho esquerdo de Hórus, ao jorrar o seu orgasmo intencionalmente no rosto do pobre rapaz. 

- Ah... As dores... - murmurou Hórus, levando as mãos ao rosto. 

Foi nesse terrível momento que Hórus viu quem Seth realmente era. Seth queria o seu trono, entregue a Hórus pelo seu pai, o deus Atum. Seth não se conformou com isso e desde o momento em que Atum abdicou do trono a favor do filho, Seth procurou, por inúmeros meios, acabar com Hórus, tanto física como emocionalmente. Seth não contava, porém, com um grupo de Guardiões que estavam destinados a proteger o filho de Atum. Estes eram os Sombras da Luz Primordiais, que tombariam no combate que teve o seu apogeu na idade adulta de Hórus, quando este fez 30 anos. Nessa altura, Hórus já havia recuperado a visão, graças à ajuda de Chibi-Sama.

Sedento de vingança, Hórus partiu atrás do tio, que se refugiara em Spodeth-Alpha. Ele tinha intenções de dominar o universo inteiro e queria começar ali mesmo, no coração do universo, a sua demanda. Depois de vários anos em duros combates e inúmeros avanços e recuos, Seth fora derrotado, jurando que um dia alguém o haveria de vingar. Com a pouca energia que lhes restava, os Sombras da Luz Primordiais selaram o deus Seth e enterraram-no no subsolo de Spodeth-Alpha, sucumbindo também. Hórus enterrou os bravos guerreiros que o ajudaram e depois disso partiu, disposto a encontrar um local nos confins do universo onde pudesse dormir um sono que se prolongou por vários milénios.

- Como o Tempo é irónico... Ele flui como um rio... E agora, a História repete-se... - suspirou, beijando Mikel e abraçando-se a ele.

Algumas horas depois, já o sol ia alto quando Mikel acordou. Olhou para todos os lados, mas Hórus já não se encontrava ali, junto dele. Admirado, lavou a cara e viu que estava quase a chegar a uma ilha de aspecto tropical.

- Deve ser a ilha onde vive Garganthis! Não vejo mais nenhuma ilha aqui à volta e esta tem um aspecto tenebroso! - comentou para consigo próprio.

Rapidamente atingiu terra firme. Saltando para o chão, ficou a observar tudo ao seu redor. A ilha tinha areia negra. A vegetação circundante também era toda preta e cobria toda a ilha. Esta só tinha uma grande montanha, que terminava num vulcão! O ar, que já estava abafado desde Mystic Love, ali encontrava-se quase irrespirável! Mikel começou a percorrer as praias, em direcção à vegetação, não escutando nada, a não ser o barulho de trovões. O vulcão fumegava, mas pouco. Quando Mikel finalmente chegou à zona de vegetação da ilha, surpreendeu-se ao descobrir que afinal, a vegetação estava literalmente petrificada! Ao entrar na selva, rumo à montanha, deparou-se com animais que, tal como a vegetação, estavam mortificados! Foi assim que Mikel percebeu que tinha de encontrar Garganthis o mais depressa possível! Os ares tóxicos da ilha não tardariam a fazê-lo sofrer o mesmo destino que aqueles animais e plantas! Sem saber o que fazer, Mikel levantou a espada que levava consigo e gritou o mais alto que pôde:

- Garganthis! Quero ver-te! Vim à tua procura! Aparece!

Como resposta, seguiu-se uma explosão dentro do vulcão! Alguma lava começou a ser expelida, fazendo cair pedras e cinza por toda a ilha! Nuvens negras, mais negras que a maior negrura que Mikel podia imaginar eram emitidas pelo vulcão, as quais produziram uma tempestade de raios tão intensa que até conseguiam perfurar aquele céu avermelhado! Amedrontado, Mikel fugiu a correr, tentando abrigar-se da tempestade de lava, fumo e raios que se fazia sentir. Uma voz cavernosa ecoou nos céus.

- Eu sou Garganthis! Quem ousa entrar nos meus domínios sem autorização?

Enchendo-se de coragem, Mikel replicou:

- Garganthis! Eu sou o Príncipe Mikel! Tu tens em teu poder algo de que eu preciso!

A tempestade acalmou, subitamente. Dois pares de asas gigantescos fizeram as nuvens à volta do vulcão desvanecerem-se. Uma figura enorme surgiu nos céus. Era um dragão cor de musgo com 3 cabeças. 6 pares de olhos alaranjados percorriam toda a ilha com olhar de falcão, a ver se encontravam Mikel. Este, espantado com o tamanho da criatura, acenou com a espada, que começou a emitir raios de luz.

Garganthis sorriu.

- Não haja dúvidas que és tu! Mikel, filho do rei Gallanos e da rainha Elinee! Senhor de Spodeth-Alpha! 

Mikel sentiu naquela afirmação que podia falar, pelo que baixou a espada e disse:

- Tenho uma vaga recordação de ti, Garganthis! Presumo que saibas o que me traz até ti...

O dragão voou até à praia e Mikel correu para junto dele. Quando este chegou, Garganthis respondeu:

- Espero que não tenhas vindo em vão, como da última vez.

- Da última vez? - questionou Mikel.

- Pois é, pois é... Já me tinha esquecido! - comentou uma das cabeças de Garganthis, enquanto outra se virou para tirar um pequeno frasco azul-celeste das asas. - Toma! Bebe este elixir! 

Atirando o frasco a Mikel, este ficou a olhar para o frasco, sem saber se deveria acreditar. As três cabeças olhavam-no muito atentamente. Mikel bufou, exasperado. Estaria a fazer a coisa certa? A sua intuição dizia-lhe que sim. Decidido, abriu o frasquinho e bebeu o líquido num só gole. No mesmo instante, sentiu as suas entranhas a arder por dentro, sendo seguido de um valente e trépido gelar! Mikel caiu desamparado e começou a arfar, sentindo-se a explodir por dentro! Levou as mãos à garganta, tentando estimular a respiração e depois, com muita dificuldade, calcorreou até ao oceano, a fim de beber um pouco de água, a ver se melhorava.

- Se fosse a ti, eu não fazia isso... - afirmou Garganthis com serenidade. - As águas ao redor da ilha são venenosas. 

- Ajuda-me... Por favor...! - respondeu Mikel, cambaleante.

- Tu tens de ser forte o suficiente, Mikel! Luta para sobreviver! A tua força de vontade tem de ser superior ao resto! - respondeu Garganthis, deitado-se ali mesmo.  

- Não consigo! Isto... É muito... Difícil! - sussurrou Mikel, já a ficar roxo.



Naquele instante, começaram a passar pela cabeça de Mikel visões de tudo o que ele tinha enfrentado na vida. O encontro com Ángel, o despertar do amor entre eles, o pedido de casamento, a morte súbita de Ángel, a dor inescrutável... Recordou-se de Caim*, dos tempos em que fora feliz com este e de como tudo havia acabado, quando ambos descobriram a assassina de Ángel, a terrível Artemisa**. Lembrou-se de como conhecera Hórus e viera a saber que este era o seu verdadeiro pai.** Mais tarde, reencontrou Razor, que lhe anunciou que ele era, na verdade, um Príncipe num local distante, sendo Razor um dos seus fiéis Cavaleiros.*** E fora aí que a sua verdadeira vida havia começado... A demanda dos 7 Elementos... A partida para um Futuro Distante, onde conhecera Renge****, o seu próprio filho... Os momentos bonitos que tinha vivido na companhia dele e como Renge acabara por morrer, vítima da consequência de Mikel ter que destruir a verdadeira forma de Ángel, com a finalidade de recuperar o 5º Elemento... Não... Ele não podia desistir agora! Estava tão perto de completar o seu objectivo! 

- "Só mais um pouco! Eu tenho de conseguir!" - pensou. 

* - [Nota do Autor - ver "Vírgulas do Destino: Meandros da Vida"] 

** - [Nota do Autor - ver "Vírgulas do Destino: Prisioneiros do Amor"] 

*** - [Nota do Autor - ver "Sombras da Luz: Despertar"] 

**** - [Nota do Autor - ver "Sombras da Luz: Skyfall"] 

Subitamente, uma luz emanou de dentro de si. Todo o seu corpo começou a ressoar com a espada e uma aura tenuemente dourada cobriu-o. Inconscientemente, Mikel levantou-se e empunhou a espada o mais alto que pôde. Garganthis arregalou os olhos, bastante satisfeito.

- Assim já gosto mais! Parabéns Mikel! Superaste o penúltimo desafio que tens pela frente, antes de enfrentares o Imperador Seth! Como recompensa, aqui tens o Gráviton, o 7º Elemento! E com ele, mais uma runa do teu nome divino! 

Um orbe resplandecente saiu das bocas de Garganthis, que com um sopro, foi entregue a Mikel, junto com uma runa com a letra "R". Com eles veio outro pequeno frasco com um gás azul-fantasmagórico. Mikel abriu a garrafinha e inspirou o conteúdo.

- Superaste a minha prova, Príncipe Mikel. Não tenho mais motivos para reter as tuas memórias. Devolvo-tas, esperando que sejas um bom rei e respeites todas as criaturas, ao contrário do que faz o Imperador Seth.

- Espera lá! Espera lá! - exclamou Mikel, ao sentir uma profunda energia a entrar dentro de si. - Está tudo a acontecer tão depressa! Explica-te, Garganthis! Por favor!

Garganthis inspirou e expirou durante alguns momentos, sem nada dizer. Mikel recuperou a cor e respirando com normalidade, enterrou a espada na areia, sentando-se em frente do dragão. Sentia um misto de emoções! O mais importante é que tinha reunido os 7 elementos! No entanto, começavam a surgir-lhe tantas imagens e vozes no cérebro que ele, por momentos, julgou que a cabeça ia rebentar! 

- Muito bem, eu vou explicar-te tudo, Príncipe Mikel. A tua história começa há muito tempo atrás, quando ainda eras um bebé. O rei Gallanos não podia ter filhos, devido aos inúmeros combates pela conquista e paz que trouxe ao reino. Um dia, o Rei Gallanos pediu ao deus Hórus, um dos guardiões de Spodeth-Alpha, que engravidasse a rainha Elinee, dando-lhe um filho, para que este continuasse o seu legado. O que o Rei Gallanos não contava era que o deus Seth, outrora banido para o centro do subsolo de Spodeth-Alpha, começasse a quebrar o selo, com a ajuda de uma inesperada aliada - a própria rainha Elinee.

- O quê? A rainha, minha mãe, ajudou Seth? - perguntou Mikel, incrédulo.

- A rainha Elinee não sabia que estava a ajudar Seth, meu caro. Ela queria realizar o desejo do marido e recorreu a uma magia antiga, para invocar um espírito. Numa verdadeira ironia do destino, ela acabou por quebrar ligeiramente o selo onde o deus Seth se encontra! Este, ávido de vingança, de imediato procurou um hospedeiro na Casa Real de Spodeth-Alpha, depois de se aperceber que a rainha Elinee não teria força para suportar a sua energia, já que o desejo dela não era mau, muito pelo contrário. Foi assim que o deus Seth se uniu ao General Seth, homem com quem partilha o nome! O General Seth sempre foi um homem de carácter duro e muito ganancioso. Não foi difícil ao deus Seth possuir o espírito do General Seth! 

- Então o General Seth não é mau? Quer dizer, ele está possuído pelo deus Seth? - perguntou Mikel, confuso.

- Não! O General Seth, agora Imperador Seth, sempre desejou o trono! Sabes, há uma coisa que mesmo tu, agora que recuperaste as memórias, ainda não sabes.

- O quê?

- A mulher do Imperador Seth, Romeru, era irmã da Rainha Elinee... 

- Era?

- Se me estiveres sempre a interromper, nunca mais acabo de te contar o que tenho para te explicar, Príncipe Mikel! - exclamou Garganthis, algo impaciente.

- Desculpa! É que... Estou sem palavras! É tudo tão incrível!

- Tudo bem, tudo bem... Eu compreendo. São muitas emoções. Bom, como eu te estava a dizer, Romeru era irmã da Rainha Elinee, a tua mãe. Eu digo era, porque o Imperador Seth, na sua escalada pelo poder, mandou executá-la. Ele obrigou Romeru a envenenar o Rei Gallanos e depois condenou-a por alta traição, acabando por executá-la, junto com a filha mais nova, Lisah.

- Espera lá... Se tudo o que dizes e verdade, então... O Razor é meu primo! - exclamou Mikel, deixando-se cair para trás, abismado com as revelações.

- O Razor... Eu ia falar nele mais daqui a pouco, mas tudo bem... Na verdade... Príncipe Mikel, o Razor não é teu primo. Ele é teu irmão... Ele e tu têm mães diferentes, mas o vosso pai é o mesmo. Hórus.

- O quê?!? O Razor é meu irmão?!? Mas como?!?

- Sabes, é comum os deuses interagirem com mortais. O que aconteceu não é assim tão invulgar quanto tu julgas. Hórus acedeu ao pedido do Rei Gallanos e fecundou a esposa deste. Quanto ao Razor, Hórus teve uma paixoneta por Ártemis, a deusa da Lua. Quando Razor nasceu, Ártemis vivia uma fase conturbada da sua vida, já que o seu domínio, o Argentum Millennium, estava a ser atacado. Assim, ela procurou e acabou por deixar Razor aos cuidados de Romeru, uma vez que esta tinha acabado de perder a criança que trazia no ventre, que morreu à nascença.

Mikel estava horrorizado! Na sua memória, começava a recordar-se dos momentos que vivera com Razor. De como se sentira bem na sua companhia. Do primeiro beijo que trocaram. Da primeira vez que se viram desnudados, com o desejo de explorarem o desconhecido no corpo do outro, ainda jovens adolescentes.

- Não! Não pode ser! O Razor não pode ser meu irmão! Isso é horrível demais! - comentou.

- Quem se surpreendeu positivamente com estas novidades foi o próprio General Seth. A energia do deus Seth que estava dentro dele sentiu a energia divina de Hórus no corpo do pequeno Razor. E foi assim que ele começou a traçar o mais terrífico plano de todos...

- Que plano?

- O General Seth, possuído pelo deus Seth, manipulou o Rei Gallanos para que este enviasse tropas para me capturar e abater. Eles não podem nada contra mim, porque eu próprio sou um deus primordial. Assim, sempre que enviavam tropas até mim, eu derrotava-os com a maior das facilidades. Um dia, o rei Gallanos ficou muito doente e o General Seth lançou o rumor de que eu teria na minha ilha uma água capaz de curar todos os males. E foi aí que tu entraste, Príncipe Mikel. Tinhas acabado de fazer a formatura nos jovens Cavaleiros de Spodeth-Alpha. Estavas preocupado com o teu pai e decidiste partir à minha procura, com o objectivo de levares a cura ao teu pai.

- E foi aí que te confrontei e tu me derrotaste... - sussurrou Mikel, lívido.  

- Eu reconheci a tua energia e percebi que tu estavas a ser manipulado pelo General Seth. Eu não podia tomar partido no destino de Spodeth-Alpha. Tinha de deixar as coisas fluírem, caso contrário, corria o risco de fazer mais mal do que bem. Mas, havia algo que eu podia fazer, para garantir o futuro. 

- Mantiveste-me cativo durante muito tempo... - respondeu Mikel.

- Exactamente. Sabia que era uma questão de tempo até Razor ficar à mercê do General Seth. Assim, quando este o enviou, Seth sabia que se Razor morresse aqui e a Rainha Elinee desaparecesse, ele teria a vida muito facilitada para se tornar o senhor de Spodeth-Alpha!

- Eu e o Razor lutamos quase até à morte da última vez que aqui estivemos!

- O Razor já estava a ser bastante manipulado pelo General Seth. Era essa a ideia dele. Se vocês os dois morressem, ele conquistaria o trono, com o apoio do povo, muito facilmente! Assim, quando vocês se confrontaram, deixei-vos explorar os vossos limites e quando vi que iriam morrer, decidi enviar-vos para o Planeta Terra, na 3ª Dimensão, onde poderiam começar uma vida nova. Se o vosso destino fosse cruzarem-se de novo, então aí estariam por vossa conta. Como tu és o Príncipe Regente, eu decidi apagar as tuas memórias todas. Apaguei algumas das memórias do Razor, que mais tarde começou a saber algumas coisas através da mãe, a deusa Ártemis.    

- Mas, qual o interesse do General Seth em obter o trono? Para além do óbvio, claro...

- O General Seth precisa de um poder especial para quebrar o selo que prende o deus Seth no submundo de Spodeth-Alpha. Ele aliou-se à Escuridão e esta ofertou-lhe a Espada das Sombras da Escuridão, mas... Essa espada não vale de nada, se ela não estiver energizada com o poder dos 7 Elementos! Os 7 elementos que compõem a criação do Universo!  

- A Espada Sombras da Escuridão? Então e a minha espada? Se ele tem uma espada idêntica à minha, então isso quer dizer que ele e eu teremos o mesmo nível de poder! Ele assim ficará tão forte quanto eu, quando o Mestre do Raio Violeta embutir o 7º Elemento na espada!

- Infelizmente... A tua Espada Sombras da Luz não está tão poderosa quanto a Espada Sombras da Escuridão... 

- Porquê?

- Tu ainda precisas de passar uma última prova, Príncipe Mikel. Tens de conquistar a verdadeira coragem. Só depois disso... Só depois de ultrapassares e conquistares o teu próprio Eu e a Escuridão que vive dentro de ti, é que tu terás uma hipótese de vencer o Imperador Seth e o mal que o domina.

- E como é que eu faço isso? Como conquisto a verdadeira coragem?

- Tens de partir para a 13ª dimensão, onde reside o Chibi-Sama... O Criador de Tudo o que Existe.

[Continua...]

Comentários

  1. O General Seth, possuído pelo deus Seth isto pode ser interpretado como muito gay :) vai haver romance?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah! Pois é, de facto pode ser interpretado dessa maneira! Os dois Seth não se vão envolver, mas quem sabe um dia não escreva um conto a abordar a vida deles? xD

      Abraço :3

      Eliminar
  2. E tu neste conto até tens sangue azul, és um príncipe. :)

    ResponderEliminar
  3. @Mark desde a história "Despertar" que o Mikel sabia disso. :P

    ResponderEliminar
  4. @O Anfitrião de Lisboa se não formos nós a tratar bem, quem tratará? XD

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal