23/11/2016

Sombras da Luz: Entardecer, Capítulo 6 [PT]

shadows-of-light-vesperus
Capítulo 6: Reencontro!


Não toques nelas, nas minhas frágeis memórias
Não toques nele, o meu precioso coração!

Não posso esquecê-lo, mesmo agora,
Uma batalha dos sentidos, numa noite de lua nova!
O que eu conheci de ti foi tão heróico,
Um Cavaleiro da Lua Eterna que sabe lutar.
Uma luta que tomou todo o meu reino,
E tu estás prestes a enfrentar o vilão principal.
Depois disso, eu nunca mais te vi,
E eu senti-me como se pudesse simplesmente morrer.

Não me toques (Nunca mais me toques)
Dentro de mim (Nunca mais me magoes)
Não me toques (Nunca mais me toques)
Todo o meu ser está a ficar louco, louco.

Recordações,
À medida que todas elas se desvanecem, eu recordo-me de ti
Energias,
À medida que a minha alma morre, eu desejo o poder de amar alguém
Sim, se isso é apenas lixo,
Eu posso conseguir amor como o teu numa loja de conveniência, mas…
Sombras da Escuridão, eu vou proteger as minhas memórias de vocês!
Então, por favor…

Não toques nelas (nunca mais me toques)
Nas minhas frágeis memórias (Nunca mais me magoes)
Não toques nele (nunca mais me toques)
No meu precioso coração!

Esta é a nossa última oportunidade!
Tu não estás mais nesta cidade arruinada (Mystic Love)
Ainda somos amigos?
Todos nós continuamos a guardar as lembranças que temos de ti.
"Hey, consegues lembrar-te?" Eu consigo.
Naquela noite, os nossos corpos unidos.
Tu, ó ser que habitas na minha alma, eu tento recordar-me de ti
Então por favor

Não me toques (Nunca mais me toques)
Dentro de mim (Nunca mais me magoes)
Não me toques (Nunca mais me toques)
Todo o meu ser está a ficar louco, louco.

Esta maldição aprisiona-me e impede-me de seguir em frente,
A Verdade de hoje não se iguala.
“Hey, onde está a tua integridade?”
“Ah, sei lá! Dá-me mais! Hey! Mais! Dá-me mais!”

Parece-me que um novo amor está prestes a começar.
Desculpa. Perdoa-me, ó ser que habita na minha alma!
Não é que eu tenha esquecido tudo sobre ti, mas...
Sinto-me como se fosse uma máquina obediente
Que tem de continuar a evoluir!

Em Spodeth-Alpha, onde a chuva ácida da cor da ferrugem cai,
Eu fui incapaz de viver com as memórias do Passado, por isso apaguei-as.
Então por favor…

Tu podes tocar-me (dá-me alguém para beijar)
As minhas novas memórias (dá-me alguém para beijar)
Tu podes tocar-me (dá-me alguém para amar)
E sentir o bater do meu precioso coração…

Não importa quem se apaixona por quem.
Fazemos isso porque nos ajuda a crescer!

Mesmo sem promessas, isto é puro amor.
Estou a desejar uma nova vida, para ajudar a proteger-te.

Não me toques (Nunca mais me toques)
Dentro de mim (Nunca mais me magoes)
Não me toques (Nunca mais me toques)
Todo o meu ser está a ficar louco, louco.

Esta maldição aprisiona-me e impede-me de seguir em frente,
A Verdade de hoje não se iguala.
“Hey, onde está a tua integridade?”
“Ah, sei lá! Dá-me mais! Hey! Mais! Dá-me mais!”

Parece-me que um novo amor está prestes a começar.
Desculpa. Perdoa-me, ó ser que habita na minha alma!
Não é que eu tenha esquecido tudo sobre ti, mas...
Sinto-me como se fosse uma máquina obediente
Que tem de continuar a evoluir!


*Entretanto, em Spodeth-Alpha, nas masmorras do castelo...*

Kyle marcava com um lápis no calabouço onde se encontrava os dias em que estava em cativeiro. Não que ele estivesse certo que estivesse a fazê-lo bem. Isto porque em Spodeth-Alpha nunca anoitecia. O céu era violeta e tinha 3 luas, que estavam sempre presentes, mas pareciam algo distantes. Spodeth-Alpha era uma Estrela-Planeta e emitia luz directamente do solo para o espaço. No entanto, o Tempo parecia ser contínuo, pois havia alturas em que toda a gente ia dormir. De acordo com as contas de Kyle, já se tinham passado 249 dias desde que conseguira um lápis. Estava ele a escrever um pensamento na parede escura e húmida da masmorra onde se encontrava, quando escutou passos. De imediato sentou-se muito hirto.

Uma figura alta aproximava-se, acompanhada de dois rapazes mais ou menos da idade de Kyle. Este levantou-se e aproximou-se da entrada da sua cela, espreitando para ver quem era.

- Bons dias, Príncipe Kyle! Espero que estejas a gostar da tua estadia! - gracejou o homem mais velho, parando em frente da cela de Kyle.

- Nunca o vi por estas bandas! Quem é o senhor? - perguntou Kyle.

- Eu sou o Imperador Seth! O teu anfitrião! Estes são os meus filhos, Brainus e Trevor!

Kyle ficou a olhar para os três sem dizer nada. Brainus e Trevor eram homens bonitos, muito parecidos um com o outro. Tinham cabelos compridos, pretos mas olhos azuis, como o pai. Vestiam umas túnicas cor de prata, mas dava para ver que estavam em plena forma. O Imperador Seth era um pouco mais alto que os filhos. Tinha cabelos ruivos abaixo dos ombros e deixara crescer uma barba, também ela ruiva, que lhe dava um ar de leão. Mas o que impressionou Kyle foi o olhar profundo que Seth lhe lançou. Só com o olhar, Kyle sentiu-se amedrontado.

- Espero que o Milk esteja a tratar-te bem! Eu hoje estou bem disposto, tivemos boas notícias! Por isso, vim até aqui para falar com outra convidada muito especial!

Seth virou costas e um dos seus filhos aproximou-se de outra cela, muito mais fortificada e que Kyle nunca tinha visto, já que ficava numa zona que geralmente estava na penumbra.

- Ela está acordada, pai! - exclamou Brainus.

- Óptimo! Óptimo! - comentou Seth, esfregando as mãos e dando um jeito ao cabelo. - Vocês fiquem de guarda. Se ela tentar alguma coisa, não hesitem em matá-la, entendido?

Como Trevor e Brainus acenassem de imediato com a cabeça, Seth abriu a porta da nova cela e entrou, com um grande sorriso.

- Ora muito bons dias, Rainha Elinee!

- Rainha Elinee? Terei ouvido bem? - perguntou Kyle, francamente surpreendido e tentando meter a cabeça de fora da cela, para ver onde estava a mulher.

- É, ouviste bem, ó fedelho! - comentou um dos filhos de Seth. - Agora, volta para o teu cantinho ou ficas sem almoço hoje!

- Seth... - respondeu a rainha, com voz fraca.

- Majestade! Que bom vê-la! - respondeu Seth, pegando numa das mãos da rainha e beijando-a. - Continuais tão bela! Se ao menos Vossa Alteza...

A rainha Elinee não teria mais do que 50 e poucos anos. Era uma mulher de média estatura, mas muito bem conservada. Tinha um aspecto muito jovem. Os seus cabelos eram ruivos e compridos, até ao meio das costas. Os seus olhos eram verde-água. O seu tom de pele era imaculadamente branco, com as maçãs do rosto muito rosáceas, que lhe davam um ar mais juvenil.

- Se ao menos o quê, Seth?

- Vossa Alteza sabe! Podia aceitar ser minha! E assim eu libertá-la-ia deste cativeiro!

- O que o senhor me pede é impossível! E você sabe, Seth! Você matou o meu marido! Você matou o rei Gallanos!

- Ora, ora! Ainda está ressentida por causa disso, minha doce pluma real? Quantas vezes é que tenho de lhe dizer que não fui eu? Quem matou o seu amado esposo, o nosso amado rei Gallanos, foi a minha esposa, Romeru!

- E você acha que eu acredito que ela não cometeu tal atrocidade por sua causa, Seth? Quem sairia a ganhar caso o meu marido morresse, o meu filho, legítimo herdeiro do trono, o Príncipe Mikel, desaparecesse e eu fosse raptada?      

- Rainha Elinee! Minha flor do amanhecer! Romeru foi a culpada disso tudo! Ela e a minha filha Lisah, planearam tudo! Mas, se lhe der algum tipo de conforto, fique a saber que ambas foram condenadas por traição e foram executadas!

- O quê?! O senhor teve o desplante de mandar matar a sua própria filha e esposa? Você é uma pessoa ainda mais tenebrosa do que eu imaginava!

- A minha filha Lisah criou uma poderosa pílula feita de várias plantas venenosas! Deu-a à mãe para que esta quando estivesse com o Rei Gallanos, o beijasse! Assim que ela teve oportunidade, ela colocou a pílula na boca e deu-lhe o beijo da serpente!

- Como é que você sabe tudo isso, Imperador Seth? Como pode saber tudo o que aconteceu, se não tivesse sido você o mandatário? O meu marido era um rei tão bom! Como pôde fazer-nos isto? - gritou a Rainha Elinee, enquanto chorava.

- A minha mulher confessou tudo, antes de ser executada. Esperava que eu tivesse piedade dela. Mas não o pude fazer. O povo exigia vingança pela tragédia que ocorrera!

Seth aproximou-se de Elinee e abraçou-a.

- Ah! Como cheirais bem, minha Rainha! Reconsidere o meu pedido! Assim, posso libertá-la do cativeiro e regressará como rainha! poderemos governar juntos!

- Largue-me! Largue-me, Seth! Eu sinto nojo do senhor! - resmungou a rainha, esbracejando.

Um dos filhos de Seth aproximou-se dela e deu-lhe uma valente bofetada. Seth virou-se para ele e deu-lhe outra.

- Mas tu estás louco, Trevor? Bater na rainha?

- Já está mais do que na hora dela ter algum respeito por ti, meu pai! - respondeu Trevor, colocando-se de joelhos. - Perdoa-me.

- Bom, bom... Ahrmmm... - pigarreou Seth, ajeitando as roupas. - Eu hoje estou muito bem-disposto, por isso, vou deixar passar. Minha Rainha, perdoe a atitude do meu filho. As crianças de hoje não conhecem o respeito que os nossos pais nos incutiram...

Como a rainha não dissesse nada, Seth prosseguiu:

- Senhora, vai gostar de saber o que me trouxe até aqui. O seu filho, o Príncipe Mikel, afinal não morreu depois de encontrar o 5º Elemento. Ele foi transportado até aos confins do universo. Foi parar a Kosminos, onde recuperou os poderes que o 5º Elemento possuí! Em breve ele chegará a Spodeth-Alpha! Veja lá se eu não sou seu amigo! Trouxe-lhe as boas novas logo pela manhã!

Elinee recompôs-se. Tentou não mostrar a profunda alegria e alívio que as notícias lhe traziam. Kyle, que escutava tudo atentamente, começou a chorar silenciosamente de alegria! Se Mikel estava vivo, não faltaria muito para que ele viesse ao encontro do 7º elemento, que estava precisamente ali, em Spodeth-Alpha!

- Muito me alegro por saber que o meu filho está vivo, Seth! O que tenciona fazer com ele? - perguntou a Rainha Elinee, com cautela.

- Awwwww! Eu ainda preciso dele, sabe? Preciso que ele não só reúna todos os elementos, mas também active os poderes deles! Depois disso, eu poderei finalmente defrontá-lo e vencê-lo, mostrando a todo o povo quem merece ser o novo rei de Spodeth-Alpha! Ah ah ah ah ah! Conquistar o respeito de todas as tribos é o meu primeiro objectivo! Depois disso, partirei à conquista de novos locais! Em breve, tudo em Spodeth-Alpha será meu! Até a senhora se curvará aos meus pés, suplicando para que eu seja seu amante! Ah ah ah ah! - rematou Seth, virando costas e fechando a cela a sete chaves, partindo na companhia de Trevor e Brainus.

- Aiiii... O que será de nós? Meu filho! Tem cuidado contigo...! - suplicou a Rainha Elinee, ajoelhando-se no chão a rezar.


*Enquanto isso, em Pothos...*

Todos celebraram pela noite fora as boas novidades! As crianças brincavam na neve e os adultos criaram uma enorme fogueira, onde se sentaram a comer e a beber! Muitos queriam saber mais sobre Mikel, que ia partilhando histórias sobre si e sobre a viagem que andava a fazer, animado por ter um público tão expressivo! Os aldeões riam, choravam, assustavam-se, faziam mil e uma perguntas. Estava já um novo dia a raiar quando...

- Mikel? És tu? - perguntou uma voz emocionada, ainda oculta na penumbra, à entrada da aldeia.

Mikel voltou-se, surpreendido! Ele tinha reconhecido aquela voz! Seria possível? O vulto aproximou-se, passo a passo e a dada altura, abriu os braços, sorriu e começou a chorar, colocando-se de joelhos [com a perna esquerda à frente]* e começou a cantar:


[Hórus]

O que é que eu faço? Eu reconhecer-te-ei?
O que é que eu faço novamente? Devo-me aproximar de ti?
Eu não posso deixar-te agora
Se eu deixar-te para trás e for-me embora
Tudo o que eu vejo é o teu rosto

Aquelas palavras doces que me disseste, um dia
Se nós nunca nos tivéssemos encontrado, teria sido mais difícil para ti?


Sylphos virou-se para os pais e perguntou:

- Quem é aquele senhor?

- Aquele senhor é o papá do Mikel, meu filho. É o deus Hórus... - respondeu Kyros, emocionado.

Mikel estava estacado a olhar para Hórus, enquanto lágrimas irrompiam pelo seu rosto.

[Hórus] 

Tu estás a chorar, tu estás a controlar as tuas emoções,
Tu estás a levantar a cabeça, depois sorris dolorosamente
A luz do entardecer é como um sorriso que está a espalhar-se para o mundo inteiro
Eu sinto a tua falta, eu quero-te abraçar
Eu quero estar ao teu lado, mesmo que isso magoe
Eu quero dormir ao teu lado!

Naquele primeiro dia, tu aceitaste-me
E como naquele primeiro dia, eu sabia que me custaria tanto despedir-me
Tu não sabes, mas eu queria ter-te tanto, seres só meu...
Existem coisas que não posso ignorar...
O mundo frio, os cálculos triviais

Não importa o quão cuidadosamente eu tente
Não importa o quanto eu finja e empurre para longe, eu gosto mesmo de ti

Sinto a tua falta, estou aqui para ti
Estava desfeito com a ideia de te ter perdido
Ver o teu sorriso... O teu sorriso acalma o mundo inteiro!
Não chores, não vás!
Agora, ficarei contigo!
Tu és a minha doce Primavera!

Mikel correu para os braços de Hórus e chorou! Chorou muito! Como sentira a sua falta!

[Hórus]

Na frente do teu coração hesitante,
O meu coração ainda não pode parar!
Ainda tenho medo, mas eu abraço-te e abraço-te novamente
Até que os meus braços se sintam confortáveis e o medo desapareça!

Tu estás a chorar, tu estás a controlar as tuas emoções,
Tu estás a levantar a cabeça, depois sorris dolorosamente
A luz do entardecer é como um sorriso que está a espalhar-se para o mundo inteiro
Não chores, não vás!
Agora, ficarei contigo!
Tu és a minha doce Primavera!

Assim como quando nos conhecemos
Tu és a minha doce Primavera!


- Hórus! - sussurrou Mikel.

- Está tudo bem, pequeno... Eu vim à tua procura.... Está na hora de regressarmos à nave! Todos estão preocupados contigo! Ficarão felizes por saber que te encontras bem! - respondeu Hórus, afagando os cabelos do filho. ele sentia-se muito aliviado e feliz por finalmente ter reencontrado Mikel.

* [Nota do Autor - No Antigo Egipto, quando as pessoas queriam prestar reverência ao faraó e às divindades, ajoelhavam-se colocando o pé esquerdo à frente. Esse gesto representava a sua lealdade e respeito tanto pelo faraó como pelos deuses.]

Os aldeões começaram-se a aproximar de Hórus e de Mikel com grande humildade, curvando-se perante os dois. Hórus sorriu para todos e pediu-lhes para se levantarem. Sylphos foi ter com ele e disse-lhe:

- O senhor é o papá do Mikel? Sabia que ele salvou a minha vida e a vida de todas as outras crianças da nossa aldeia? Ele é o meu herói! 

Hórus ajoelhou-se e deu um beijo na cabeça de Sylphos, murmurando:

- Sabes? Vou contar-te um segredo! O Mikel também já me salvou a vida! Ele é um verdadeiro herói!* 

* [Nota do Autor - ver "Sombras da Luz: Despertar"]

- Uau! - exclamou Sylphos, abrindo muito os olhos.

- Bom, eu não queria ser desmancha prazeres, mas eu e o Mikel temos de ir embora. O Mikel tem ainda muito trabalho pela frente. Foi um prazer conhecer-vos a todos! As colheitas do novo ano serão muito prósperas! Encarem isso como o meu pequeno agradecimento por terem cuidado do meu filho! - rematou Hórus, fazendo uma vénia aos aldeões, que de imediato bateram palmas. 

- Adeus Sylphos! Cuida bem da aldeia! - respondeu Mikel, à medida que ele e Hórus se erguiam no ar.

- Boa sorte Mikel! Que a Luz esteja sempre presente no teu lindo coração! - gritaram os aldeões, Rudolpho e o Pai Natal, enquanto algumas crianças, entre elas Sylphos, começavam a chorar.

Hórus transformou-se numa gigantesca fénix e Mikel saltou para o seu dorso, aconchegando-se. Sentia-se feliz e seguro. Hórus mandou-o fechar os olhos e deitar-se, já que iria deslocar-se a grande velocidade, rumo à nave Akithran. 

Passaram-se várias horas. Quando chegaram, já Mikel tinha passado pelas brasas. Acordou e sentiu receio do que iria encontrar. Entraram na nave e Hórus rapidamente chegou à sala do Raio Verde, a sala do Mestre Hilarion, onde recuperou a sua forma habitual.

- Hórus! Encontraste o Mikel! Mas que boas notícias! - congratulou-se o Comandante Ashtar, que se encontrava ali na sala, junto de Caleb, Razor, Titus e Hilarion.

Mikel ficou surpreendido ao ver ali o Comandante Ashtar, mas rapidamente fizeram-se as apresentações. Ashtar explicou que levaria Caleb, Titus e Razor para um treino especial, para que estes pudessem acompanhar Mikel no seu regresso a Spodeth-Alpha, depois de recuperar o 7º Elemento. Quem não achou grande piada a esta novidade foi Razor. Sentia que estava cada vez a ficar mais afastado de Mikel. 

- Onde está o Renge? - perguntou Mikel, depois de olhar para todo o lado. Embora soubesse a resposta, precisava de sabê-lo pelos amigos. Só assim os seus piores receios se concretizariam.

- Meu amado irmão Mikel! - começou o Comandante Ashtar. - Tu sabes a resposta a essa questão. Quando defrontaste o Ángel, sabias o que implicaria vencer aquele combate. Lamento informar que o teu filho Renge morreu e se tornou pó de estrela... Vagueia agora pelo espaço sideral, mais livre do que alguma vez possa ter imaginado...

Titus colocou-se à frente de Mikel e disse-lhe:

- Olha, o Renge quando... Bom, momentos antes de acontecer o que sabes, ele... Começou a chorar e mandou-me entregar-te uma das suas lágrimas, que se cristalizou quando toquei nela... Ele pediu para te entregar a ti... Aqui a tens...

Titus tirou uma lágrima de cristal do bolso, colocando-a nas mãos de Mikel. Este nada disse. Ashtar virou-se para Hilarion e este acenou com a cabeça.

- Bom, meus amados... Vamos deixar o Mikel sozinho. Ele precisa de tomar o banho de purificação, comer alguma coisa e descansar! Nós vamos para a minha sala, que eu vou dar-vos algumas lições úteis para o vosso futuro! - rematou Ashtar, sorrindo e virando costas, seguido de Titus, Caleb e Razor, que se despediram de Hórus, Hilarion e Mikel e saíram da sala.

- Eu vou preparar alguma coisa para comerem, vocês os dois... - retorquiu Hilarion, sorrindo para Hórus. - Presumo que hoje fiques cá?

- Fico sim! Não deixo o Mikel sozinho! Ele precisa de mim!  - respondeu Hórus, acenando para o filho.

Mikel porém, olhava para a lágrima de cristal e nada disse. Levantou-se e entrou no quarto, fechando a porta atrás de si. Hórus queria ir atrás dele, mas Hilarion segurou-lhe um dos braços e disse:

- Deixa-o ficar sozinho por agora. Ele precisa de tempo para assimilar tudo o que lhe aconteceu. Anda ajudar-me a preparar algo bom para ele comer!

Hórus fungou, aborrecido. Não gostava que lhe dessem ordens. Suspirou e acompanhou Hilarion até à cozinha, onde começaram a preparar um delicioso jantar. Enquanto isso, Mikel despiu as roupas que lhe tinham dado em Pothos. Aos poucos, essa aventura começava a ficar para trás. Entrou na banheira e gemeu de prazer! A água estava no ponto certo! A dada altura, pegou na lágrima de Renge e recordando-se dele, beijou-a. Esta começou a brilhar e de repente, ele começou a escutar a voz de Renge!


[Renge]

Aqui estou eu, neste lugar, aqui estou eu
Aqui estou, neste lugar, estou aqui.

[Mikel]

Aqui estou, neste lugar, aqui estou eu
Aqui estou eu, neste lugar, estou aqui agora

[Renge]

Mesmo que não seja suficiente
Eu vou mostrar o quanto eu realmente te amo
Tu podes nunca saber mas…
Aqui estou

[Mikel]

Aqui estou eu, neste lugar, aqui estou eu
Aqui estou, neste lugar, estou aqui.

[Renge & Mikel]

Mesmo que não seja o suficiente para eu mostrar
O quanto eu realmente te amo,
Vou esperar por ti neste lugar!

[Renge]

Mesmo se tu achares que não é suficiente, está tudo bem

[Renge & Mikel]

Eu vou mostrar o quanto eu realmente te amo
Tu até podes nunca saber mas…
Aqui estou

Tu nunca vais saber, mas...
Eu estarei sempre aqui...

- Meu querido Renge! Quem me dera que as coisas tivessem sido diferentes... - sussurrou Mikel, emocionado. 

Duas grossas lágrimas desceram pelo seu rosto, caindo sobre a lágrima de cristal que Renge tinha deixado a Mikel. Esta lágrima ficou quente e Mikel levou-a ao seu peito, bem junto do seu coração. 

- Aqui, meu pequenino, ficarás sempre bem! Podem apagar-me a memória, eu posso deixar de existir um dia, mas, no meu coração, tu viverás eternamente! 

E assim, Mikel empurrou a lágrima para dentro do seu peito e esta entrou, unindo-se a ele. Um calor imenso percorreu-o e sentiu com isso que Renge e ele agora eram um só. Ele deixou-se estar mais alguns minutos na banheira. Depois disso levantou-se, vestiu as vestes verdes que estavam em cima da cama e foi para a sala do Raio Verde, onde Hórus e Hilarion o aguardavam, já sentados à mesa. Ele sentou-se à mesa e todos começaram a comer. Mikel olhou para Hilarion e reprimiu o riso - o Mestre Hilarion era tão desajeitado a comer quanto Hórus. Provavelmente seria a primeira vez que o fazia. Isso fez Mikel ficar comovido com o gesto. O Mestre Hilarion riu-se, à medida que um pedaço de comida lhe caía das mãos para o prato e comentou:

- Tens toda a razão, meu querido Mikel! Consigo ouvir-te plenamente! O teu coração e a tua alma estão a ficar em plena sintonia! Esta é a minha primeira vez a comer como tu. 

- Muito obrigado, Mestre!

- Não tens de quê!

Passado algum tempo, saíram da mesa, muito satisfeitos. Sentando-se num local que Hilarion apontara, Mikel perguntou qual o tema que iria aprender ali. O Mestre Hilarion respondeu:

- Aqui vais aprender sobre o Manas. O Manas é a Alma Humana ou a Mente Divina. É a fronteira entre a Mortalidade e a Imortalidade. Tu és meio-imortal, já que és filho do Hórus. A lição na minha sala é particularmente importante para ti. Analisaremos os Skandras, os registos kármicos das tuas vidas passadas e também as etapas anteriores desta tua vida actual, que te conduziram até aqui.

Fascinado com as informações, Mikel sentou-se muito hirto, à espera que o Mestre Hilarion começasse a lição. Hórus sentou-se ao lado dele e sorriu-lhe. Mikel retribuiu o sorriso e o Mestre Hilarion começou a aula. Esta prolongou-se por imenso tempo. Mikel descobriu muito sobre as suas vidas passadas, incluindo informações sobre a vida que tinha ficado retida, aquando da sua partida abrupta para o planeta Terra. O Mestre Hilarion trouxe essa vida de volta a Mikel, para que ele pudesse recuperar a sua verdadeira vida actual.

- Falta muito pouco para recuperares as tuas memórias. Quando o fizeres, estarás pronto para lutar pelo que é teu por direito... Que é como quem diz, por lutares pelo teu reino, Spodeth-Alpha. - afirmou o Mestre Hilarion, à medida que colocava o 5ª Elemento na espada de Mikel, já no final da aula.

- Aonde estão as minhas memórias, afinal? - perguntou o rapaz, maravilhado com tudo o que aprendera em tão pouco tempo.

- As tuas memórias estão prisioneiras de um ser que conhecerás quando partires em busca do 7º elemento. Aqui tens! A tua espada já está embutida com o 5º Elemento! - exclamou o Mestre Hilarion, com um grande sorriso. - Estás pronto para partires!

Mikel pegou na espada e sentiu uma força a vibrar nas suas mãos e pulsos! A espada começava a ficar realmente poderosa!

[Continua...]

4 comentários:

  1. A tua imaginação é realmente prodigiosa. :)

    Em que te inspiras?

    um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Awww! Muito obrigado pelo elogio, Mark!
      Fico muito feliz por saber que tu estás a gostar!
      Quanto ao que me inspiro... Vejamos...
      Memórias minhas, sonhos que desejo tornar realidade, o meu desejo de mudar o Mundo - como sozinho não posso fazer grande coisa, tento tirar partido das poucas coisas que sei que posso usar para tal. Existe também muita imaginação pelo meio, fruto das vivências e de tudo o que já mencionei acima e claro, muita pesquisa. Como tento fazer uma ponte entre ficção e realidade, dedico muitas horas a estudar sobre assuntos que por vezes trago para as histórias. Confesso-te que às vezes, para um momento da narrativa, estão ali várias horas de trabalho e pesquisa, apenas para criar um determinado momento. A juntar a tudo isso estão os meus pensamentos. Quando ando como agora, numa fase em que me posso dedicar mais à escrita, as ideias e cenários das histórias estão sempre presentes na minha vida e rotina, até numa caminhada, me vejo a percorrer a Floresta de Crystalia! Foi aliás, durante uma dessas caminhadas, mais ao entardecer, que criei o cenário desse capítulo. ^^

      Abraço grande. :)

      Eliminar
  2. Bater numa rainha, poderia ser um dito gay :)

    ahahahahahahahahhahahahahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, realmente! Vamos adicioná-lo à lista! (risos)

      Abraço :3

      Eliminar

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Entrelinhas Direcionadas: Felizes Aqueles Que Sabem Ler Nas Entrelinhas! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS