Estas palavras que estás a ler são uma mentira!

Texto 01


A Filosofia há centenas de anos tenta descobrir o que é a Verdade. Mesmo com a invenção do computador, esta resposta não foi ainda descoberta. E o cérebro humano insiste em não concordar com o fato dele próprio talvez ser um mentiroso. Poucos são os que assumem a si próprios serem falsos. Mas sua falsidade nem sempre é proposital. O problema é que o pensamento tende a imaginar que está sempre certo, ainda mais se for para tomadas de decisões, o que é basicamente a única coisa que o cérebro faz. Normalmente não se escolhe a mentira a si mesmo nem quando o cérebro está errado.

Estas linhas estão escritas na língua portuguesa do Brasil. Estas linhas tem um autor. Mesmo que escritas por uma inteligência artificial, esta inteligência foi programada por um cérebro pensante. Há, claro, o "Teorema do Macaco Infinito", o que não torna a afirmativa falsa pois macacos também são seres pensantes. Se existe um cérebro saudável ele pensa. Basicamente é a única coisa que faz, independente da espécie. Porém este texto não foi escrito por macacos apesar de não haver provas contrárias. A questão aqui é dizer que dois cérebros não pensam iguais. E é devido a esta divergência que todo este texto a seguir é uma mentira.

Como informado, o texto está escrito em português do Brasil. No momento que alguém estiver lendo estas linhas traduzidas para outra língua seu significado será transformado. Por mais fiel que seja sua tradução ainda assim seu significado, parte dele, ficará perdido, ficará sem compreensão. E isto inclui a compreensão das pessoas de outros países de língua portuguesa. Pois as palavras são escritas margeando a cultura e compreensão do brasileiro. Porém o texto causa confusão inclusive aos brasileiros. Cada brasileiro compreenderá o texto de uma maneira. E se a compreensão é pessoal, subjetiva, significa que o texto é falso. Ao passar uma verdade diferente para cada pessoa que o lê, o torna um texto mentiroso no momento que tenta vender uma verdade. Portanto, quando o texto se apresenta como mentiroso significa que isto também é falso. Mas para uma compreensão mais detalhada do caso o texto permanecerá com esta filosofia sobre si mesmo.

O texto é escrito no decorrer do Século XXI do Calendário Gregoriano. E o mundo, principalmente o ocidental, é abalroado com expressões do tipo "isto é um absurdo em pleno Século XXI". As reivindicações nestes comentários remetem ao fato das pessoas deste século se julgarem merecedoras de justiças que outras épocas não tiveram. Ao escutar a expressão "a escravidão é um absurdo em pleno Século XXI" remete ao fato de que anteriormente, nos séculos anteriores, não ter sido um absurdo. A conclusão é de que as pessoas do presente se mostram mais merecedoras do que as pessoas do passado. Alegam que no passado as pessoas não tinham informações suficientes sobre a Verdade e agiam de forma errônea. Mas de qual Verdade refere-se esta afirmativa? Só existe uma Verdade, a da pessoa que a encontra, que possivelmente não terá serventia para a pessoa ao lado, não em sua totalidade ao menos. Então onde está a Verdade ao afirmar que "lugar de mulher é na cozinha"? Uma mulher que não quer ficar na cozinha dirá que a frase é falsa. Uma mulher que queira ficar na cozinha dirá que a frase é verdadeira. Cada qual buscará dentro de si se aquela afirmativa é válida para ser Verdade ou não, independente se ela é verdadeira ou falsa.

A Verdade é proveniente da cultura da pessoa aliada aos seus estudos e experiências. Em um país onde o adolescente de 16 anos pode dirigir um automóvel tem uma Verdade diferente do país onde o adolescente só dirige após os 18 anos. São dois anos que fazem a diferença para mostrar que as Verdades são criadas por conta de uma cultura. No local onde o adolescente de 16 anos pode dirigir já foi culturalmente aceito como Verdade. Possivelmente aleguem idade com maturidade suficiente, com baixos índices de más condutas no trânsito, indução de responsabilidade aos mais jovens ou até mesmo um menosprezo pelo trânsito e suas leis. São vários os motivos. E no país onde o jovem só dirige após completar 18 anos terá entendimentos diferentes sobre estes assuntos. E é óbvio que este assunto merece ampla discussão até chegar à um consenso. A grande Verdade sobre esta discussão é que no futuro o país que permite ao jovem de 16 anos dirigir pode mudar sua Verdade e permitir somente após os 18 anos. Ou o país que permita só após os 18 anos mude sua Verdade e permita o jovem de 16 anos dirigir. O que era uma Verdade numa época não será em outra. Isto torna a Verdade quando cumprida numa época uma mentira. Mas infelizmente (ou felizmente) a maior parte das pessoas acata uma Verdade enquanto a vivem como se únicas fossem e nada as faz mudar de ideia sobre o que já absorveu como Verdade.

O mundo é abastecido com uma parcela considerável de bilhões de pessoas. E quando alguém vive com uma Verdade tende a se incomodar com a Verdade alheia no momento em que ela é contrária à sua. Pode haver um respeito, pode haver uma tentativa de compreensão, mas dentro de si a maior parte das pessoas julga o outro com a Verdade diferente da sua como errada. E conviver com o erro é muito incômodo. Ver e tornar a ver o erro por muito tempo faz pessoas transtornarem-se. E para haver conflitos devido a isto é questão de tempo. E a História nos conta que estes conflitos foram e são inúmeros.

O planeta desenvolveu uma série de estudos e campos do saber. Há quem domine a técnica da medicina, há quem domine a da engenharia, ou da legislatura, ou das artes, ou da mecânica. Difícil é dominar todas e com muita propriedade de cada uma das inúmeras existentes. Portanto quem está vivo no Século XXI que não tenha conhecimentos técnicos e científicos de Biologia, Arqueologia, Geologia, etc., se vê na "obrigação" de acreditar no que estiver escrito nas publicações oficiais sobre determinado assunto. Mesmo quando o escrito é falso (afinal todos os escritos são falsos).

Quando uma pessoa se gradua ela faz uma monografia. Nesta monografia ela cita autores. A pessoa que fez a monografia não descobriu nada, ela apenas citou autores diversos sobre um assunto. E muitos destes autores citam outros autores em suas obras nas Referências Bibliográficas, que por vezes citam autores anteriores e assim sucessivamente. Verdade que muitos escritos não são referências a livros e sim pesquisa documental. Porém, documentos também podem conter informações falsas ou serem forjados. E quando não há nenhum texto a ser pesquisado, mas sim uma experiência empírica, nada mais é do que a constatação de uma Verdade pessoal. Já dizia Albert Einstein: "Tudo é relativo". A um físico constatar que um objeto mais pesado que o ar cai somente porque está observando isto não o torna uma Verdade, pois a Ciência tem por definições constatar Verdades por diversas vezes para confirmar sua veracidade (e ainda assim há controvérsias).

A Ciência é outra área falsa. Tudo aquilo que a Ciência diz ser verdade na verdade é uma constatação de somente parte de uma possível Verdade. Um exemplo são os medicamentos. Um remédio para dor de cabeça é funcional para a maioria das pessoas, porém tem uma parcela de pessoas que não têm melhora alguma com aquilo. Mas a Ciência permitiu que se vendesse nas drogarias um remédio para "dor de cabeça" mesmo que a bula informe que pode não funcionar. A Ciência por vezes delimita que a Verdade é aquilo que acontece a maioria das pessoas ou na maior parte das vezes, constatando que a Verdade é subjetiva, é relativa. Já Verdades como o Heliocentrismo, as estações do ano, a morte, a Lei da Gravidade e tantas outras vendidas como Verdades só as são porque nada apareceu até hoje para contradizê-las. E algo não pode ser Verdade só porque não apareceu alguém para dizer que é mentira. Ou é Verdade ou não é. A menor partícula existente foi a célula, o átomo, prótons, elétrons... esta questão foi variando ao longo das descobertas. Mas no passado a Ciência dizia que a célula era a menor partícula existente. A Ciência mentiu no passado? Sim, como mente até hoje. E a Verdade é que mentirá para sempre pois não podemos alegar que uma Verdade exista apenas porque não apareceu nada para dizer que é mentira. E se a Ciência é mutável, as Verdades as são também e todos aqueles que as citam como verdadeiras são mentirosos. Óbvio que quando a Ciência descobrir uma Verdade verdadeira terá toda a eternidade para se indagar se não aparecerá algo que a contradiga. Nunca aparecerá, pois, aquela Verdade é verdadeira, mas isto a Ciência não tem como saber, mesmo assim ela vende a ideia como Verdade.

Por isto independente da especialização científica de uma pessoa que encontre escavações arqueológicas, ossos de dinossauros, hieróglifos em cavernas, constate a movimentação de planetas, nada disto pode ser tomado como Verdade absoluta. Mas ainda assim é devido a estudos assim que a humanidade baseia sua História. E os livros de História mostram que os conflitos ocorridos deste o início dos tempos entre a humanidade se dão basicamente por conta de Verdades distintas. Supondo que os livros estejam certos e que o informado neles realmente aconteceu na história da humanidade deveria fazer com que as pessoas vivas no Século XXI reavaliassem que suas Verdades também são falsas. Este texto acredita que pessoas a partir do Século XXII que tenham tomado conhecimentos destas palavras possam compreendê-las melhor do que os olhos (ou ouvidos caso o texto esteja sendo ditado ou os dedos caso esteja sendo lido em braile) das pessoas do Século XXI. Porque as pessoas do Século XXI que alegam que a humanidade deve ser mais "evoluídas" só por estarem no Século XXI usam Verdades que os séculos passados também usavam, o de que o fato de ser o presente já é por si só motivo suficiente para ser mais Verdade do que o passado.

Se nenhum documento da monarquia de séculos passados pode ser considerado como 100% verdadeiro, se nenhuma ossada de dinossauro pode confirmar com precisão como ele se comportava, se nenhuma observação direta dos planetas pode ser considerada como verídica, a vida da humanidade tornar-se-ia "sem sentido". Em qualquer sessão de tribunal a figura da testemunha ainda tem grande validade. O que ela viu ou sabe torna-se essencial para a elucidação de um caso. A Justiça acredita que a Verdade da testemunha aliado a outras evidências é suficiente para condenar ou absolver algo ou alguém. No mesmo tribunal um vídeo é tratado como fundamental para entender os pormenores do ocorrido. Porém um vídeo está somente em um ângulo (mesmo que haja mais câmeras envolvidas de outros ângulos). Tal como a vista humana a pessoa só vê de uma perspectiva. Mesmo que várias câmeras ou várias pessoas vejam de perspectivas diferentes e cheguem à mesmo conclusão ainda não é suficiente para ser comprovado tal ação. Talvez um ângulo em que ninguém estivesse vendo ou não houvesse câmera alguma elucidaria o caso, porém a probabilidade faz com que se façam desnecessários outras averiguações. Isto sem mencionar o fato de manipulação de imagens (no caso de vídeos) nem de alucinações (no caso de pessoas - mesmo alucinações coletivas).

No referente a falta de sentido na vida de pessoas que vivessem sabendo que nada é real (ou pelo menos não terem certeza do que é ou não) obriga que a maior parte das pessoas tome Verdades para si. Quem nasceu em uma parte do mundo acredita que a mulher deve cobrir a cabeça na rua em sinal de respeito e esta Verdade é verdadeira. Em outras partes do mundo uma mulher pode andar com a cabeça descoberta sem configurar afronta e essa Verdade também é verdadeira. Se as duas Verdades forem verdadeiras então não existe a mentira, e isto é uma mentira. Uma das duas verdades deve estar errada. Qual será ela? Depende de onde tenhas nascido, quais experiências vivenciou, qual o tipo de informação adquiriu e quais as informações que tomaste como Verdade ou não. Em algumas culturas fumar ervas é considerado sagrado e em outras é considerada crime. A Verdade é única ou é pessoal? Cientistas divergem sobre o uso de determinados alimentos. Há quem defenda o leite, há quem o condene na fase adulta. Qual cientista possui a Verdade? O mesmo envolve o aborto, alimentos transgêneros, pena de morte ou um time de futebol. As questões são praticamente infinitas.

Pegando como exemplo o time de futebol que alguém escolheu por torcer este torcedor tem por Verdade acreditar no seu time. Torce por ele e fala mal dos times alheio. Elogia seus jogadores. E quando seu time fica em última colocação em determinado campeonato o torcedor não muda de time. Racionalmente falando alguém deveria torcer por aquele que acredita que é melhor. Hipocrisia alguém torcer por algo ruim esperando que ganhe. Isto pode ser chamado de esperança, mas não de racionalidade. Ao torcer por um time alguém julgou aquele ser o melhor pelo motivo que fosse. Ao ficar em último lugar o torcedor reconhece (deste que não julgue ter havido injustiças envolvidas) que o seu time é o pior daquele grupo de times. E ainda assim o torcedor não muda de time (salvo exceções). O torcedor acredita que o time vai melhorar no próximo campeonato. E depois de cinco campeonatos com seu time em último lugar continua ainda assim torcendo por ele. Sempre com a esperança de melhora. Ou seja, o que motiva sua torcida é a esperança e não a convicção de que seu time é bom. E se não é bom por quê torceria por ele? Por piedade? Talvez tenha um parente entre os jogadores, talvez lembre de um histórico daquele time nos tempos de glória, talvez o clube seja o único perto de sua casa onde possa frequentar eventualmente. São inúmeros os motivos, mas ao olhar os jogadores e suas performances com relação aos seus adversários deve ter um senso crítico de que torce para um time ruim. E quase ninguém quer torcer por algo ruim. E é esta a Verdade que não os faz desistir de torcer. É acreditar que o time é bom, e que passa por fases ruins devido à falta de um treinador competente, de recursos financeiros, e tantas outras justificativas verdadeiras ou não. Mas o torcedor não se livra da Verdade que tomou como verdadeira. Até o dia em que o jogador mudar para outro time com melhor colocação. O jogador mostra que sua Verdade mudou (nem que seja a verdade de que prefere o antigo time, mas por questões de ego, satisfação pessoal ou financeira teve que trocar de time). E o torcedor que cansa de torcer pelo time, mas não acata trocar de time não acompanha mais os jogos, não se entristece pela colocação do time, mas mantém o mesmo time. É o medo de acreditar que sua verdade era falsa. Agarra-se a ela até o fim.

Uma das possibilidades de encontrar Verdades é viajando o mundo. Ao adentrar culturas e regiões completamente diferentes entre si o viajante tem a oportunidade de vivenciar modos distintos de crenças. Se ele for para uma tribo indígena, se for para a Coréia do Norte, se for para uma região com esquimós ou passar uma temporada na Itália vai perceber que a verdade é diferente em diferentes lugares e se posicionar referente a ela. Ou continua acreditando que a sua Verdade, aquela que adquiriu no início da vida, é a certa ou vai perceber que a Verdade é ampla e praticamente inexistente. Os livros e a mídia também têm este papel de mostrar realidades distintas, mas isto é quase sempre tendencioso devido a pessoa que expôs o conteúdo. E a pessoa que adquirir aquela informação pode ser sugestionada a acreditar numa realidade nem sempre real.

Se não bastasse as Verdades distintas das distintas regiões e uma possível manipulação informativa, o cérebro não é o órgão mais indicado para garantir estas Verdades (apesar de não haver outro para substituí-lo). Desde o nascimento (e até antes dele) o cérebro acumula informações. Com este acumulo infinito de informações é normal que ele faça associações. Para a criatividade estas associações são fundamentais, mas para a Verdade é discutível. Ao associar informações sobre um assunto alguém pode perder dados importantes ou acrescentar dados incorretos buscados de outras informações sem correlações. Com isto uma Verdade transforma-se. Alguém em sua correlação de informações cria, inconscientemente, uma nova Verdade e vive com ela como se Verdade fosse. Difícil aqueles que assumem que viveram uma mentira por tanto tempo devido às crenças acumuladas (e associadas) durante a vida. Saber que sua vida foi uma mentira é pior do que continuar a afirmar uma mentira como Verdade, pois suas Verdades delimitam quem é. Uma pessoa nada mais é do que Verdades e/ou experiências. Quem tem mais experiência tende a ter menos (ou mais) verdades. Quem tem somente Verdades sem experiência só têm Verdades e sem elas não terá mais nada. E as pessoas têm o costume de quererem se sentir importantes. Ao saber que sua Verdade era falsa é quase o mesmo que sua vida não ter sentido, tal como os Nazistas na Segunda Guerra Mundial ao perceberem que estavam sendo vencidos. Os verdadeiros Nazistas, ou seja, aqueles que acreditavam em suas Verdades e não somente seguiam ordens ou instintos, mataram-se ao perceberem que sua vida até aquele momento era uma mentira. Não era o medo da prisão, era a incapacidade de assimilar uma nova realidade como verdadeira. Este é somente um exemplo entre inúmeros. À la Matrix, qual a verdade tomaria como real?

Por conta da falta de Verdades da vida e com o ego inflado dos humanos que não aceitam viver apenas por viver é importante que todos que tomaram conhecimentos destas mentirosas palavras tenham para si a convicção de que sua vida, sim, é falsa. Tudo o que a mídia, que a televisão e o computador dizem é (ou pode) ser falso. Tudo o que se aprende na escola, nas universidades, nas associações e clubes é (ou pode) ser falso. Tudo o que seus pais dizem, ou o que conversam com os amigos e vizinhos, tudo o que os professores dizem é (ou pode) ser falso. As religiões e os governantes são (ou podem) ser falsos. Os documentos e sua identificação são (ou podem ser) falsas. Sua casa, seu carro, seu emprego, seu filho, seu amor, seu sonho, sua idade são (ou podem ser) mentiras. Quem mostra um documento de identidade com foto e assinatura como sendo sua para confirmar quem é, está cometendo um terrível engano, pois tal pessoa pode estar sofrendo de algum distúrbio mental, alguma amnésia e acredita ser alguém que não é. Pode estar lendo um nome e sua dislexia transformá-lo em outra palavra. Pode escutar um nome pronunciado por alguém e compreendê-lo erroneamente. E vende sua verdade dizendo quem é, porém quem diz quem é dificilmente o diz.

A Verdade é que não há Verdade! E esta afirmação é uma mentira! E com a enorme incapacidade da humanidade saber quem é, onde está e o que faz, fica feio gritar mentiras como se Verdades fossem. Qual o melhor sistema de Governo: República ou Monarquia? Qual o melhor Sistema Político-Econômico: Capitalismo ou Socialismo? Qual a melhor religião: Catolicismo, Judaísmo, Hinduísmo...? Qual a idade da maioridade penal: 14, 16, 18, 21? Qual o nome dos teus pais? Qualquer uma das respostas que dê para estas e outras perguntas será falsa. O problema é que as pessoas matam e morrem por crenças deste tipo. Estão morrendo e matando por mentiras. E obrigando que outros acreditem em suas Verdades.

Ao perguntaram: "Qual o teu nome?" podes continuar a responder o nome que estiver escrito em sua cédula de identificação, mas com a perspicácia de que talvez esteja mentindo naquele momento. Não uma mentira criminal, mas ainda assim não se venda como uma Verdade. Não venda um olhar, uma vida, um pensamento como verdadeiro ao outro, no máximo a si próprio e ainda assim com ressalvas. Se fores a favor da pena de morte, lute por ela. Se for contra, lute contra ela. Mas não diga o que é errado ou o que é certo na vida. Diga seu ponto de vista e sua verdade, mas assuma que sua Verdade é mentira para outros e isso está correto. No momento em que julgar que o outro está errado (e sim, estará) ele julgará o mesmo a ti e ganhará o mais forte, independente de quem esteja certo.

Este texto tem por intuito a conscientização de um pensamento analítico a respeito sobre as informações e percepções adquiridas para que não sejam repassadas como Verdades absolutas. Este espaço tem por objetivo a contribuição racional do pensamento mesmo que seja para sonhar ou fantasiar. Quem quiser vender uma Verdade como verdadeira não é bem-vindo. Quem quiser vender uma Verdade como possível de ser verdadeira será bem-vindo.

O jornalismo tem por filosofia transmitir as verdades recolhidas. Porém por conta de diversas questões as informações repassadas são transformadas ou filtradas para uma manipulação generalizada. Como a Verdade é algo que praticamente não existe e o cérebro é um órgão que transforma Verdades em outras Verdades, permitir que o jornalismo e a mídia transformem ou filtrem informações é manipular dados já manipulados. E o mundo recebe essas manipulações acreditando nelas. Hoje a Internet permite que qualquer pessoa retransmita com maior velocidade essas manipulações. Inclusive como este texto está fazendo agora, seja ele verdadeiro ou não. Mas o que este texto tem por objetivo é pedir que quem o lê não acredite nele, mas também não acredite em nenhum outro que ler durante toda a vida. Com isto não pede para não acreditar nas descobertas da Ciência nem nos livros de História. Este texto espera que os documentos e as notícias da mídia ainda sejam considerados como verdadeiras, que os professores e governantes e médicos e militares sejam pessoas confiáveis. O texto não pede que tudo o que foi aprendido até hoje seja esquecido e considerado como errado. Apenas pede que tudo o que se escuta ou se leia seja recebido com ressalvas. Seja seu cônjuge, seja seu pai, seja seu filho, seja você próprio, jamais venda uma Verdade como verdade fosse mesmo que você acredite nela e queira que seja.

Todo este texto tem por intuito alcançar uma compreensão por parte de quem o recebe, mas a Verdade do texto é diferente da Verdade de quem o lê. Estejas tu lendo na região ou na época que for, na língua ou da forma que for, o texto tem o intuito de te fazer acreditar em parar de acreditar em tudo o que lê ou que ouve. Tudo é falso. Essa é a única Verdade!

Comentários

  1. Simplesmente SESNSACIONAL Jonas [seu nome não é? só agora dei fé deste detalhe ... rs]. Compartilhei pois merece ...

    Beijão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Paulo Roberto. O assunto não é novo mas é sempre bom poder reforçá-la.

      Eliminar
  2. Belissimo e denso texto sobre a VERDADE... muito bom mesmo! parabens!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela palavras. Em tempos com tanta intolerância o tema deveria ser mais difundido para a aceitação das opiniões alheias.

      Eliminar
  3. uau!!! Pensando aqui... ou quem sabe, não...

    ResponderEliminar
  4. Se há a dúvida do pensamento já basta, estando ou não a fazê-lo, Ana.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal