02/09/2016

Sombras da Luz - Skyfall - Capítulo 18

Capítulo 18: Confrontos na Terra, Confrontos no Céu! Skyfall!


*Enquanto isso, no Planeta Terra…*


*Janeiro, 15 de Fevereiro de 2019*

Tudo estava a correr conforme Kyle esperava! Junto com os seus irmãos, ele já tinha vencido as 7 Princesas dos Continentes! Nenhuma delas possuía o orbe que procurava, bem como não era na companhia delas que se encontravam Doroteia e Dulcineia, as amigas dele que haviam sido raptadas. Deliciado pelo caos que estava a proporcionar, Kyle avançava rumo à Bretania, onde estaria à sua espera o líder de todas as Princesas dos 7 Continentes. Chegado lá…

- Com que então és tu o Príncipe Kyle? - perguntou um rapaz alto, montado num cavalo, num tom de voz decidido.

Kyle saiu da água, aproximando-se do rapaz. Este continuava montado a cavalo. Tinha um tom de pele moreno. Era bastante atraente. Alto, cabelos castanhos compridos, um rosto com feições quase andrógenas. Vestia uma armadura feita de peles de animais e tinha nas mãos um grande arco e flechas, provavelmente criados por ele. 

titus-gaius

- És um indígena! O líder daquelas raparigas todas, afinal não passa de um indígena? - perguntou Kyle, com um sorriso maldoso. 

- A minha etnia não é importante. Seja um indígena como dizes, seja um ser dos oceanos, como tu és, somos todos habitantes deste maravilhoso e amado planeta…

- Humf! Como queiras…! Sim, eu sou o Príncipe Kyle! Senhor de Upzulpub! E tu, quem és?

- Eu sou Titus Gaius! Filho da Mãe Gaia! Sou o Príncipe Líder Guardião dos 7 Continentes! Neste momento a Terra chora, pelo que fizeste às minhas irmãs! Porquê? Porque causas tanto sofrimento a seres inocentes... Príncipe Kyle, senhor de Upzulpub?

- Como te atreves a falar assim comigo, Titus? Julgas que estás a falar de igual para igual? Eu não te reconheço como Príncipe! Porque mandaste raptar as minhas amigas? Onde estão Doroteia e Dulcineia? Ordeno-te, em nome dos Oceanos, que me respondas com a verdade! 

O Príncipe Titus Gaius desceu do cavalo. Fez-lhe festinhas e tirando-lhe a sela, deu-lhe ordem para partir. Este seguiu de imediato a sua ordem. Colocando o arco e as flechas no chão, respondeu:

- Não sei quem são esses seres. Lamento, se despareceram, mas não sei delas. E se não as encontraste durante o rasto de destruição que provocaste até agora, então, provavelmente nunca as encontrarás.

- Mentes! Eu exijo saber a verdade! Onde está o 4º Elemento? Eu preciso dele! Dá-mo! 

- Diz-me Príncipe Kyle, para que precisas do 4º Elemento? Por acaso queres gerar vida, depois de tudo o que fizeste? Tens arrependimento no teu coração? Caíste em ti? Se assim for, prova-me que mudaste e eu dar-te-ei o que me pedes…

Kyle aproximou-se de Titus e apontou-lhe o Tridente de Neptuno.

- Não creio que estejas em posição de me contrariar… Afinal o que será deste planeta, se o Príncipe Líder Guardião dos Continentes desaparecer? Dá-mo! Ele é meu! Eu mereço-o! O meu povo merece ser soberano!

Titus virou costas, com um suspiro triste e começou a cantar:


[Príncipe Titus]

Tu achas que eu sou um selvagem
E conheces o mundo
Talvez estejas certo,
Não eu não consigo ver,
Que selvagem, eu possa ser
Se tu é que não vês ao teu redor
Ao teu redor!

Tu pensas que esta terra te pertence
Que a Terra é um ser morto, 
Mas vais ver!
Que cada pedra, planta ou criatura
Está viva e tem alma, é um ser!

Tu dás valor apenas aos seres
Que acham como tu sem se opor!
Mas segue as pegadas de um estranho
E terás mil surpresas de esplendor!

Já ouviste um lobo uivar no luar azul
Ou porque ri um lince com desdém?
Sabes cantar com as cores da montanha
E pintar com quantas cores o vento tem?
E pintar com quantas cores o vento tem!

Vem descobrir os trilhos da floresta
Provar a doce amora e o seu sabor!
Rolar no meio de tanta riqueza
E não querer indagar o seu valor!

Sou o irmão do rio e do vento
A garça, a lontra, são iguais a mim!
Vivemos tão ligados uns aos outros
Neste arco, neste Círculo sem Fim!
Que altura a árvore tem?
Se a derrubares não sabe ninguém!

Nunca ouvirás o lobo, sob a lua azul
O que é que importa
A cor da pele de alguém?
Temos que cantar com as vozes da montanha
E pintar com quantas cores o vento tem!
Mas tu só vais conseguir,
Esta terra possuir,
Se a pintares com…
Quantas cores o vento tem…

Os irmãos de Kyle prostraram-se maravilhados, perante a mensagem do belo índio. Renderam-se. Uma horde de animais surgiu repente, dispostos a proteger Titus com a sua própria vida. Kyle, furioso com a atitude dos irmãos, levantou o seu Tridente, o mais alto que podia e berrou. Os seus olhos ficaram vermelhos e de repente, mudou de forma, tornando-se no dragão malvado Nexus!    

[Enquanto isso, na nave Akitran, na Sala do Raio Dourado…]
  
Mikel mirou a imponente figura que estava à sua frente. Esboçando um leve sorriso, curvou-se humildemente, fazendo uma vénia, sendo seguido por Renge, que entretanto se levantara. Embora estivesse combalido e a sentir-se fraco, sabia que tinha sido graças à prontidão de Mikel e do Mestre Lanto, que ele tinha sido curado. O Mestre Lanto sorriu e respondeu com uma vénia aos dois.

- Meus amados Mikel e Renge! Acabaram de superar uma perigosa armadilha, típica dos seres que habitam no Universo que vocês denominam de Inferno. Para nós, tudo é Amor. Os seres que escolhem habitar naquele local, são aqueles que recusaram aceitar a entrada do Amor nas suas vidas. Vivem assim na Escuridão. 

Mikel interpelou-o:

- Mas… Eu conhecia o Howl! Ele foi meu pupilo*! Porque acabou ele ali, depois de tudo o que passou enquanto viveu no Planeta Terra?  

* [Nota do Autor - ver "Vírgulas do Destino: Prisioneiros do Amor"]

- Querido Mikel, aquilo que vocês vivem no Plano Terrestre é, como tu já te apercebeste, uma forma de aprendizagem. A natureza daquele que, outrora foi teu pupilo, era de demónio. A tua natureza divina é de arkanjo*. O vosso destino estava traçado desde que vocês foram gerados. Ele teria de cumprir o seu caminho, regressando ao Inferno, assim como tu um dia regressarás ao teu plano divino, em Spodeth-Alpha. Não deves ficar triste. Ele aproveitou a lição que tu lhe ensinaste. No entanto, ele e tu pertencem a mundos diferentes. Pelo menos neste momento.

* [Nota do Autor - não foi gralha minha escrever arcanjo com "k" em vez de "c". É propositado e futuramente revelado o motivo.]

- Isso parece-me soar um pouco a preconceito, Mestre Lanto… - comentou a medo Renge, encostando-se a Mikel.

Mestre Lanto riu-se com doçura.

- Eu compreendo as tuas dúvidas, meu jovem amigo! Sob o teu ponto de vista, posso dizer-te que tens uma certa razão. Mas, assim são as coisas neste Plano Divino! Todos os seres podem dar-se bem uns com os outros, todos no fim somos o mesmo! Somos frutos de Chibi-Sama, mas ele permitiu-nos o Livre Arbítrio! Enquanto alguns escolhem a Luz, outros escolhem a Escuridão! No entanto, todos são livres de seguir o seu caminho!

- Isso é estranho… Para nós, é um pouco confuso! Todas as almas são livres, então porque escolhem viver na Escuridão? Lá não há Amor! Parece, pelo que vimos até agora, tudo é vazio e triste! - suspirou Mikel.

- Tu dizes isso, meu amado amigo, porque tu és um ser cheio de Amor e de Luz! A Escuridão e a Luz coexistem, não como opostos uma da outra, mas sim como complementos uma da outra! Uma não pode existir sem a outra! Os seres que vivem na Escuridão têm a sua maneira de ver as coisas! Por vezes, alguns até escolhem viver em Escuridão para encontrarem a sua Luz! Mesmo vocês, Sombras da Luz, por vezes entram em fases em que a Escuridão toma conta dos vossos corações!

- Pois, lá isso é verdade…! - comentou Mikel, coçando a cabeça.

- Vocês passaram por uma prova difícil. Falaremos melhor mais tarde. Voltem à vossa forma humana, tomem um banho e descansem. Mais tarde retomaremos a lição. Até lá! - rematou Mestre Lanto, desaparecendo.

Mikel e Renge acederam. De imediato retomaram a forma humana e dirigiram-se à casa de banho, onde um banho de espuma os aguardava. Felizes, lançaram-se para dentro de água e relaxaram, sorrindo um para o outro. Deixaram-se estar ali durante imenso tempo. Como a água não arrefecia, foram brincando, até se cansarem. Renge aproximou-se de Mikel e recostou-se no seu peito. Sentia falta dos pais. Mikel, apercebendo-se disso, abraçou-o carinhosamente e começou a fazer festinhas nos seus cabelos, fazendo de conta que não via Renge a chorar baixinho. A dada altura, este levantou a cabeça e com os olhos brilhantes, disse:

- Obrigado Mikel! Tens sido um grande amigo! Se não fosses tu, não estaria aqui para contar a história! 

- Renge, mesmo que eu não conseguisse, creio que não estava nos planos tu perderes a vida tão cedo! Alguém te salvaria de qualquer das maneiras!

- Pode ser, mas ainda bem que foste tu… Sabes? Começo a sentir saudades dos meus papás…

Mikel deu-lhe um beijinho no rosto. Aquele olhar de Renge… Era tão parecido com o olhar de Ángel quando estava triste… Por momentos Mikel sentiu vontade de beijar de forma apaixonada Renge. Queria dar-lhe força, ânimo. Mas resistiu ao impulso. Para ele, era estranho e confuso. O seu coração batia de forma especial por Renge. Mas Mikel tinha dúvidas se era amor. Não parecia ser um tipo de amor romântico. Sentia mais a necessidade de proteger e dar carinho a Renge, mas não passava disso. 

Renge retribuiu o beijo e levantou-se, seguindo para o quarto, deixando Mikel entregue aos seus pensamentos. Vestiu uma túnica dourada e depois seguiu para a sala, onde se sentou em frente de um piano, a tocar uma peça que naquele momento traduzia tudo o que sentia: as saudades dos seus pais, o quão feliz ele estava por ter conhecido Mikel, os sentimentos confusos que começavam a brotar no seu coração por ele, as emoções que vivenciara já ao longo da aventura.  

Na banheira, Mikel quase adormeceu. A música que Renge tocava era sem dúvida harmoniosa. Muito profunda. Ele sabia tocar mesmo bem! Mikel acabou por levantar-se e sair da banheira, dirigiu-se ao quarto, vestiu também uma túnica dourada e daí seguiu para outra sala, onde se sentou a comer frutas deliciosas. Renge, ao escutar Mikel na sala de refeições, parou de tocar e seguiu o seu exemplo.

Conversaram imenso tempo sobre as lições que iriam aprender ali e sobre o que Mestre Lanto lhes havia falado. Ainda não tinham certezas de terem compreendido a lição que Lanto já lhes começava a incutir. Por seu lado, Mestre Lanto dirigiu-se à sala de comando, para falar com o Comandante Karran.

- Oh, Mestre Lanto! Que honra vê-lo, meu caro!

- Obrigado pelas gentis palavras, Comandante! Como estão a evoluir as coisas?

- Tudo decorre conforme planeado! 

- Comandante Karran, tem mesmo a certeza que isso será benéfico? Ninguém sabe onde está Chibi-Sama! Essa decisão deveria ser tomada por ele, apenas! Só ele tem o poder de decidir isso!

- Mestre Lanto, saiba que faço isto em nome de um Bem Maior! Depois de Chibi-Sama, dos 
Principados que estão presos no Jardim dos Deuses, destituídos de vida e sem poderes, devido ao Mal Desconhecido, sou eu quem fica ao comando de Tudo! Eu e o Comandante Ashtar!

- Pois, isso é outra questão que gostaríamos de ver respondida, Comandante Karran! - exclamou outra voz, que se juntou a Mestre Lanto.

- Mestra Rowena! Que surpresa! - comentou Karran, com um meio sorriso.       

- Karran, sempre agradável… - comentou Mestra Rowena, sem sorrir. - Gostaria que nos dissesse onde está o Comandante Ashtar! Ele já devia estar aqui, do seu lado! Manobrar uma operação desta envergadura… Não é para um homem só!

Karran conteve a sua fúria. Respirando fundo, de forma dissimulada, acabou por responder:

- O Comandante Ashtar está no Plano Divino mais alto, em busca de pistas. É verdade que Chibi-Sama desapareceu sem deixar rasto, mas ele tem de estar em qualquer lado!

Rowena e Lanto acenaram com a cabeça, mais satisfeitos.

- Ainda assim, Comandante Karran, as coisas não estão boas. Presumo que esteja atento às energias? - inquiriu a Mestra Rowena.

- Sim, claro que sim! Tudo corre conforme os escritos nos Registos Akáshicos! Por falar nisso, Mestres, como estão os pequenos Mikel e Renge?

- Ambos encontram-se na minha Sala, de momento. Estão a descansar. Daqui a pouco receberão o meu ensinamento e novas pistas sobre o divino nome do amado Mikel. - respondeu Mestre Lanto, com uma vénia.

- Excelente! Não os façam esperar!

- Muito bem, que assim seja feito! - remataram os Mestres Lanto e Rowena, fazendo uma vénia e desaparecendo.

Instantes depois, Mestre Lanto regressou à sua sala. Estava preocupado. Mestra Rowena lançara as sementes que ele próprio já se questionara. Estariam eles a fazer o certo? Procurou pelos dos jovens e deu com eles a dormir na sala, abraçados um ao outro. Permitiu-se sentar em frente a eles, sorrindo ternurento. Se os dois jovens imaginassem o que estaria para vir…

*Horas depois…*

- Finalmente acordaram, meus amados! Comecemos de imediato a vossa lição!

Mikel e Renge, ainda ensonados, mostraram-se surpresos com a determinação de Mestre Lanto.

- Na minha sala, vocês expandirão os vossos conhecimentos e mentes. Falaremos sobre Prana, o Princípio Vital, o Corpo Vital.

Os dois rapazes, perante a solenidade das palavras de Lanto, despertaram completamente e sentaram-se à frente deste, escutando com muita atenção as suas palavras. A aula do Mestre Lanto durou muitas horas. Este ensinava os seus conhecimentos de forma algo enigmática, mas ao mesmo tempo interessante. Mikel e Renge nem deram pelas horas a passar. Quando por fim o ensinamento terminou, ambos mostraram-se muito surpresos, pelo conhecimento que haviam adquirido. Observavam os seus corpos com veneração e respeito. Mestre Lanto sorriu.

- Meus queridos, o tempo urge! As vossas armas já receberam o segundo elemento, o Electrão! Terão agora novas habilidades! Aqui as têm!

Mikel e Renge pegaram nas suas armas com grande admiração. Conseguiam sentir que algo estava diferente. Ambos começaram a praticar com as armas, até que Renge perguntou:

- Mestre Lanto, isto vai acontecer mais vezes?

- Meu amado Renge… As armas de todos os Sombras da Luz, à medida que Mikel reunir os 7 Elementos e os trouxer até nós, os Mestres Ascensos, sofrerão uma melhoria. Todas ficarão mais fortes, tanto para o Bem, como para o Mal. É uma grande responsabilidade que vocês carregam nos vossos ombros. Mas, se existe quem possa aguentar este fardo são vocês, meus amados! O Mal Desconhecido está a aumentar! O tempo começa a escassear! Partam para o local onde está o 3º Elemento!


Acenando com a cabeça, Mikel e Renge seguiram para um portal que se abriu à frente deles! Aquilo começava a ser familiar! Porém, quando estavam prestes a entrar no portal, Mestre Lanto exclamou:

- Amado Mikel! Aqui tens novas pistas sobre o teu nome! Junta as letras, no final saberás o teu nome divino! - Lanto atirou para Mikel duas runas, com as letras “H” e “I”.

- Obrigado, Mestre Lanto! - rematou Mikel, guardando as runas e dando a mão a Renge, enquanto entravam no portal.

A viagem dos dois foi esquisita. Mikel sentia um desconforto no peito. Para onde iriam agora? Não tardou muito para descobrir a resposta. A viagem durou apenas uns segundos. Quando o portal se voltou a abrir, deparou-se-lhes um cenário caótico! Seres alados defrontavam outros seres alados! Eram homens com asas!

- São anjos! - exclamou Renge, completamente surpreso! - A vibração deles é idêntica à minha!   

Ao exclamar aquilo, um par de asas de Renge apareceu, sob as suas costas, ao mesmo tempo que o 
manto dourado que tinham adquirido na Sala do Mestre Lanto se desvanecia, ficando totalmente nu. Ele estava mais belo do que nunca, agora que as suas asas, imaculadamente brancas, brilhavam nas suas costas. O mesmo fenómeno acontecia a Mikel, embora as suas asas tivessem duas tonalidades: um par de asas era esverdeado e outro par era azul, ambos num tom invulgar, fantasmagórico! 

Parecia que ninguém se apercebera que eles estavam ali. Anjos corriam atrás de outros anjos. Uns tinham asas negras. Outros, asas cinzentas. Outros tinham asas brancas. Todos lutavam entre si. Alguns montavam cavalos alados, enquanto nuvens de fumo surgiam, aqui e ali, mostrando locais onde estavam a ocorrer confrontos mais graves! Um anjo enorme cantava, lá bem no alto do céu:


[???]

De repente, levantamo-nos e olhamos para o Céu de Prata Rachado!
Se o tédio está a matar-vos, então é melhor que morram!
Anjos, ouçam-me! Os seres humanos não são realmente assim tão importantes!
Não precisamos de algo como o Amanhã, por isso, não escondamos os nossos punhos fechados!

Não somos velhos o suficiente para estarmos a vender os nossos sonhos!
Anjos, nós somos os únicos que podemos puxar o gatilho das armas, nos nossos corações!

[Anjos]

“Vamos rasgar os nossos corações!
Aquele ali, que desistiu… Ele é outra história!
Gritaremos a uma só voz:
Finalmente encontramos a liberdade, debaixo das nossas nuvens!”

[???]

Nem sempre vemos, todas as feridas espalhadas em nós, desde aquele dia em que caímos!
Porém, vamos arrastar-nos para a frente, seguir em frente, sentindo-nos um pouco desconectados, choraremos!
Embora nenhuma resposta chegue,
Estarmos sentados, sem fazer nada e a rir… Não queremos ficar assim!

[Anjos]

“Não existe nada que possamos fazer agora, é inútil!
Nós estamos apenas a viver neste mundo magnífico agora!
Todas as verdades e mentiras,
São coisas que nunca seremos capazes de esquecer!”

[???]

Somos muito jovens para morrer, não somos?!
Estamos todos aborrecidos, enquanto lutamos por este Céu de Prata Rachado!
Nesta noite sem vento,
Nós vamos fazer a diferença!

[Anjos]

Vamos gritar todos, a uma só voz:
Os nossos sentimentos não serão destruídos por ninguém!


Mikel e Renge observavam a cena, completamente atónitos! De repente, uma voz falou atrás deles:

- Mikel! Renge! Vocês estão bem?

Virando-se, surpreendidos, os dois rapazes soltaram um “oh” de espanto!

- Hórus! O que fazes aqui?!? Quem é ele? - perguntou Mikel, apontando para um belo cavalo alado preto, com uma crina de fogo, onde Hórus estava montado.

- Sejam bem-vindos ao Paraíso! É verdade, pode não parecer, mas estamos no Paraíso! Ele agora é conhecido como Skyfall! Este é o Árion! Foi ele quem me salvou da confusão no Jardim dos Deuses*!

* [Nota do Autor - ver "Sombras da Luz: Despertar"]     

- Ah! Muito prazer em conhecer-te, Árion! - respondeu Mikel, fazendo uma festa ao cavalo alado.

- O prazer é todo meu, Filho de Hórus! Subam, vou levar-vos ao local onde está o 3º Elemento! Aproveitemos que todos estão distraídos com os combates! - afirmou Árion.

Mikel e Renge subiram para o dorso de Árion. Assim que ficaram seguros, este levantou voo e subiu muito alto, a grande velocidade. À medida que subiam no ar, todos assistiam a combates entre anjos. Lendo os pensamentos dos rapazes, Hórus disse:

- As Potestades estão a combater contra os anjos e os arcanjos! Esta luta não está fácil! Depois dos Principados ficarem presos no Jardim dos Deuses, as Potestades têm vindo a ganhar mais poder! Não sei se já foram vítimas do Mal Desconhecido, mas tem estado mais fortes e agressivos do que é habitual neles! Os arcanjos estão a ter sérias dificuldades em detê-los e muitos anjos já foram vítimas desta violência descabida!

Por todo o lado se viam anjos a combater contra outros anjos! Muitos sacavam de pequenas espadas e cortavam a cabeça aos seus adversários, pelos vistos a única forma eficaz de derrotar outro anjo! Horrorizados, Mikel e Renge assistiam ao massacre, à medida que subiam cada vez mais.

- Não podemos fazer nada, Hórus?

- Querido Mikel, tu tens que te focar na tua missão! Só quando a tua espada for completamente restaurada é que terás o verdadeiro poder para trazer a paz a todos os universos! Até lá, tens que aceitar realidades como esta!

 - Dói-me tanto…! Gostava que ninguém tivesse de sofrer assim! - rematou Mikel, ao ver um anjo ainda jovem, da idade de Renge, a ser degolado alguns metros à sua frente.

- Quem permite um destino destes?! - insurgiu-se Renge, revoltado.

- Vocês não entendem… - suspirou Hórus, agastado.

Por fim, a subida terminou. Parando num monte de nuvens alaranjadas, Árion falou:

- Chegamos. É ali em frente que está o 3º Elemento. Mikel, vai buscá-lo. Não olhes para trás, nem percas o teu sentido. Concentra-te e pega apenas no orbe.

Mikel saltou para o chão. Estranhou o chão. Nunca tinha andado sobre nuvens. Era fofo, leve! Sensação curiosa, embora estranha! Parecia que a cada momento poderia cair num vazio infindável! Decidiu correr, mas cedo se apercebeu que as nuvens não permitam correrias. Tinha de se deslocar a uma velocidade muito própria, de acordo com as nuvens. Passado alguns minutos, chegou ao seu destino. Entrou numa caverna de nuvens. 

Lá dentro, vários objectos reluzentes ofuscavam os olhos. Mikel teve de colocar as suas asas sobre o rosto, para ver entre asas o que o rodeava. Estava numa caverna pequena, mas atolada! Para onde quer que se virasse, estavam orbes brilhantes! Uns dourados, outros prateados, outros com as sete cores do arco-íris! Qual seria o orbe correcto? O tempo estava a esgotar-se. Mikel tinha noção que teria de tomar alguma decisão, mas não sabia o que fazer! Depois de várias hesitações, entre todos os orbes, acabou por escolher um sujo e sem brilho, que estava misturado entre todos os outros, passando quase despercebido. Ao pegar nele, este começou a brilhar, emanando três cores: azul, verde e vermelho!

Certo de que tinha feito a escolha certa, Mikel começou a afastar-se dali, à medida que urros e berros furiosos chegavam até ele! Alguma coisa estava a acontecer mais abaixo! Mikel seguiu até junto dos seus amigos e assim que subiu para o dorso de Árion, este abriu as suas longas asas e começou a voar, em busca do portal que os levaria de regresso à nave Akitran!

Anjos, arcanjos e Potestades voavam ao encontro de Árion e dos seus amigos! Estavam todos zangados pelo que Mikel acabara de fazer! Dispostos a lutar, Hórus, Mikel e Renge saltaram do dorso de Árion, preparando-se para combater! No entanto, o anjo que havia cantado antes, aproximou-se deles e abriu um par de asas enorme, exclamando:

- Vamos embora! Levem-me com vocês!

Um portal abriu-se atrás dele. Hórus, Mikel, Renge, Árion e o anjo voaram para lá e assim que entraram, este fechou-se de imediato.

No instante seguinte, todos se encontravam numa sala cor-de-rosa. Tudo ali era daquela cor!

- Safaram-se por um triz, vocês todos! Sejam bem-vindos à minha sala, meus queridos! Eu sou a Mestra do Raio Rosa, Rowena!

[Continua...]

4 comentários:

  1. Pena estar quase no final :(

    Que Mestra está a chegar?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Mestra da Chama Rosa, Rowena! ^^
      Sim, de facto só faltam mais dois capítulos para terminar "Sombras da Luz: Skyfall"! Mas o importante é que estejam a gostar! ^^

      Eliminar
  2. E nós cá estaremos para acompanhar o final. :)

    ResponderEliminar

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Entrelinhas Direcionadas: Felizes Aqueles Que Sabem Ler Nas Entrelinhas! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS