Existo, logo penso! #1.11 [PT]


Há algumas semanas atrás, um rapaz de uma cidade chamada Ponte de Sôr foi brutalmente espancado por dois irmãos, filhos do Embaixador Iraquiano em Portugal. Creio que o caso só ganhou conotação mediática precisamente por serem filhos de quem são. Se fosse uma rixa num qualquer ponto do país, entre pessoas comuns, não acho que fosse ter a mediatização que o caso alcançou.

Confesso que não sei quem é mais culpado. Desde há muito que acredito naquele dito: "O lobo sempre será mau se tu ouvires apenas a versão do Capuchinho Vermelho". Crescemos a ouvir a famosa história do Capuchinho Vermelho, mas é bem verdade que este dito faz todo o sentido. Será que, no final de contas, o lobo é mesmo mau?

capuchinho-vermelho-lobo-mau

No caso deste rapaz, é verdade que ele ficou em muito mau estado. Bateram-lhe e muito. Porém, de acordo com os agressores, eles também foram inicialmente abordados, provocados e agredidos por meia dúzia de rapazes, o que é, no fim de contas, uma cobardia. São 6 contra 2. Dizem que o Rúben, o moço que foi espancado com mais violência, estava nesse grupo.

Eu não sei quem tem razão. Sei que ainda não escutei os membros do grupo a defenderem-se, nem a defenderem o Rúben. O rapaz esteve em coma, bastantes dias, tendo vindo para casa a semana passada, a tempo de celebrar os seus 16 anos. O que sei também é que os dois irmãos iraquianos disseram algo com o qual concordo plenamente: a noite é palco de violência deste género em diversos locais do país.

Quem tem culpa deste tipo de acontecimentos? A educação dos pais? A liberdade, que está a extrapolar os limites do aceitável e tolerável? A sociedade em si, que fecha os olhos perante as atitudes agressivas de jovens da idade do Rúben? Para esta resposta creio que o mais correcto será dizer que todos tem culpa.

Portugal tem vindo a mudar nesse aspecto. Há 20 anos atrás, quando eu era um adolescente, tudo era diferente. Havia mais respeito, mais contenção nos actos. Hoje em dia parece que, na maioria dos casos, os adolescentes querem viver ao extremo, o mais depressa possível. Ainda anteontem, vi num parque da cidade, um rapaz de 10 anos que se abraçava e beijava uma miúda da idade dele, de forma bem provocatória e adulta. [Basicamente, só lhe faltava meter os dedos num certo sítio, entre outras coisas!] porque de resto, em poucos minutos ele fez de tudo, para delírio das coleguinhas da miúda que olhavam para aquilo com fascinação...

Incomodou-me. É esta a sociedade que estamos a criar para o futuro? Se assim for, ainda bem que em algumas coisas, continuo mais reservado. Sou da opinião que existe um tempo para tudo. Com 10 anos estes miúdos deviam era brincar e aproveitar o melhor que a infância tem, não era armarem-se em crescidos, porque depois, quando chegarem a adultos, se viverem agora a vida a 1000%, que lhes restará para descobrir e viver?

Não tardou muito, depois do episódio dos irmãos iraquianos, para um novo acontecimento surgir nas notícias: um rapaz de 17 anos espancou outro, de 14 anos, por este supostamente andar metido com a sua [ex] namorada. Tão novos e já fazem coisas abomináveis, em nome de guerrinhas, ciúmes parvos e hormonas aos pulos!

Este é um problema da sociedade em geral. As pessoas tem dificuldades em aceitar quando as coisas acabam. Se a rapariga não gostava mais do rapaz de 17 anos, o correcto era esse rapaz aceitar e seguir em frente. Há muitas "Marias" na Terra! Mas, como disse anteriormente, as pessoas não estão habituadas a aceitar um "não". É uma das coisas que mais problemas traz à sociedade. Se as pessoas conseguissem ver as coisas por outro prisma, por certo não existiram tantos males. E quem diz levar uma tampa num relacionamento, diz muitas outras coisas. É importante educarmos as crianças e jovens para saberem lidar com um "não". Por vezes custa dizer, muitas vezes custa escutar. Mas, se for dito como deve ser, quem sabe de acompanhado de uma explicação para o motivo, talvez seja mais fácil de o aceitar. Dizer não, "porque não!", é meio caminho andado para deixar as coisas no ar, inacabadas e provocando tragédias como esta descrita acima.

Este caso fez-me lembrar um, de uma senhora minha amiga, que tinha um filho adolescente, mais ou menos da minha idade, creio que ele era mais novo que eu na altura, teria 17 e eu 19. O rapaz era bonito e um dia foi cortejado por uma miúda de 14 anos, mas ele desde o primeiro momento disse que não estava interessado. Ela insistiu várias vezes e recebeu sempre um "não" como resposta às suas investidas. Até que um dia, a rapariga "contratou" meia dúzia de rapazes para dar uma lição a esse conhecido meu. Ele não resistiu aos ferimentos. Bateram-lhe tanto na cabeça que ele morreu. Foram todos a julgamento e, com a excepção da miúda, que no fundo era a verdadeira culpada, foram para a prisão, até porque já eram maiores de idade. Que adiantou à miúda aquilo, no fim de contas? Terá de carregar o pesado fardo da culpa para o resto da vida. O meu conhecido morreu. A mãe dele ficou desfeita, como é de imaginar. Os rapazes foram para a cadeia, por terem sido idiotas o suficiente para irem na conversa de uma miúda mimada.

Na semana passada um rapaz foi baleado, acabando por morrer no hospital, durante um assalto. Foi baleado pela polícia, havendo também feridos entre os polícias. A população, família do rapaz e amigos dele, mostram-se muito revoltados. querem que seja feita justiça. Mas, afinal, o que é isto de justiça? Para começar na minha opinião, o rapaz morreu, talvez porque estivesse no sítio errado, à hora errada. Mas, ainda assim, porque foi ele provocar/participar num assalto? Onde existe justiça nesse aspecto, tão apregoada pela família e amigos do rapaz? Se o assalto tivesse corrido bem, ele haveria de andar a vangloriar-se nas redes sociais, e quem sabe não tardaria a assaltar mais sítios e a prejudicar a vida de outras pessoas, quem sabe até a disparar contra alguém, se apanhado em flagrante. Sendo assim, só posso dizer "temos pena". Pode parecer insensível da minha parte, mas ninguém o mandou andar com más companhias, ninguém o mandou assaltar e roubar aquilo que não é dele. Quem anda à chuva, molha-se. Quem brinca com o fogo, queima-se. Quem assalta, pode ser baleado e até morrer! Foi tudo fruto das escolhas dele. Boas ou más, ele tinha a opção de escolher.

Espero sinceramente que esta tragédia coloque algum juízo na cabeça de muita gente, principalmente malta nova, que têm a mania que são invencíveis, devido à lei que os protege. Se fosse eu a mandar, a lei mudaria. Passaria a ser o juiz a avaliar, mediante algum relatório clínico/psiquiátrico, se esses jovens se poderiam "escudar" na idade ou se mereciam ser punidos com a cadeia/prisão domiciliária. Esta última alternativa era capaz de ser até a mais barata para o Estado.

dilma-brasil


Enquanto isso, no Brasil, a Presidente Dilma lá foi afastada do poder, ficando o Michel Temer no seu lugar. Esta situação tem gerado muita revolta lá nas terras de Vera Cruz e percebe-se o porquê. Com que direito apenas 60 pessoas decidem o destino de alguém tão importante na política de um país, em vez de darem voz ao povo?

temer-brasil

Se Temer pensava que iria ganhar apoiantes com a saída de Dilma, o tiro saiu-lhe totalmente pela culatra. Na minha forma de ver as coisas, inicialmente deveria ter sido criado um Referendo à Nação, para saberem a vontade do povo. Caso o povo quisesse afastar a Dilma, aí convocavam-se novas eleições presidenciais e um novo ou nova Presidente tomaria posse, de forma digna e honrada. Teria sido o povo a decidir. Temer está no poder e o Brasil enfrenta uma grave crise social. Como lidará ele com isso, sabendo de antemão que o povo não o aceita? Esta é uma "novela" que espero tenha um bom final!

hillary-trump

Quem também anda de "candeias às avessas" é a América. Nas últimas sondagens, Trump leva a melhor sobre a Hillary, ainda que por uma margem mínima de 2 pontos. Tendo em conta que o Trump toma atitudes e diz coisas pela boca fora que até ao Partido Republicano, partido que o suporta, não toleram e muitos Republicanos até já estão a deixar de o apoiar publicamente, estamos perante um grave problema. O que acontecerá se Trump realmente vencer e as suas ideias megalómanas e excêntricas forem para a frente?

trump-putin

Como diriam no final dos episódios de Dragon Ball Z aqui em Portugal:

"Não percam os próximos episódios, porque nós também não!"

Comentários

  1. O que se coloca aqui em primeiro lugar, é que eu conduzir bebado, se baterem no meu carro, sou culpado...

    Os Filhos do Embaixador, tem 17 anos, e em Portugal só se pode conduzir aos 18. Logo são culpados de tudo...

    Mas, nós portugueses baixamos as calças a tudo e a todos, e depois a puta sou eu... Queria ver se fosse um muçulmano a ser agradido por dois ciganos (dizem que é a Etnia do Rapaz) ou por dois Católicos...

    O mesmo se passa, se o Ruben tivesse sido agredido por dois Brancos portugueses e não pertencentes a uma minoria qualquer.

    Os Outros Jovens é o efeito da Educação dos Pais em casa. É crime público se o rapaz gritar com a rapariga. Vimos isso no programa "Se fosse contigo", mas coitados dos professores se baterem nos filhos dos outros. Os pais também não batem no seus queridos filhos...

    É a Evolução do Ser Humano, quando se chega ao patamar da idiotice, já há pouco ou nada a fazer...

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Francisco, todos são culpados, então deviam todos ser punidos.

      Abração :)

      Eliminar
  2. Por partes: Frutos que a sociedade colhe desta exacerbada e descabida liberdade com que se criam os filhos. Limites não existem. Podem tudo. Agora é colher. Quem sabe aprendem o dito popular: É de pequeno que se torce o pepino!

    A Dilma: Nada de fúria por aqui por seu afastamento inteiramente legal e constitucional, em um regime Presidencialista. Cá por mim já esearíamos em um regime Parlamentarista há muito tempo mas quem mais combate são os PTistas. Apenas colhem os frutos plantados. Ela não foi a primeira. Tivemos o caso Collor quando os mesmos PTistas que hoje clamam golpe requereram e votaram em peso para o Impeachment dele. Só para lembrar foi o Congresso em nome do povo que deliberou a saída do então presidente eleito por maioria e que derrotou na época, em segundo turno o Sr Lula da Silva.
    Reclamam do Temer mas quem votou em Dilma votou em Temer [o que não foi meu caso]. Engraçado é que eles votaram em dois mandatos no Sr. Temer para vice. Que coisa.
    Os protestos hoje resumem a movimentos organizados e insuflados por eles. Não representam o povo como um todo que segue sua vida normal e aliviado.
    Já já se esquecem e param, até porque teremos daqui a poucos dias eleições municipais em todo o país e segundo os dados de pesquisas o PT não elegerá sequer um prefeito e serão esmagados nas câmaras de vereadores.
    Tudo isto só para esclarecer.
    Nos EUA! #foratrump ... rs

    Beijão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paulo!

      Obrigado pela explicação! Nada melhor que quem vive com esta realidade no dia a dia para explicar as coisas. As notícias são muitas vezes incompletas, adulteradas e manipuladas, por isso nada melhor que saber as coisas por quem as vive no dia a dia. é uma situação complicada a que o Brasil atravessa hoje em dia. Espero sinceramente que essa novela chegue logo ao fim, pois vocês têm sofrido por demais!

      Abreijos :)

      Eliminar

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal