Sombras da Luz: Skyfall, Capítulo 16

Capítulo 16: Tahi mhaawhoo ^ Hhu~hng mhaawhoo!*
* [Mudam as marés, mudam os corações!]


*Bilbao, 9 de Janeiro de 2019*


Razor tinha visto os seus planos para regressar a Portugal frustrados. O grupo que ele acompanhava tinha-se separado, por causa das suspeitas de que estariam a ser seguidos desde a Transilvânia. As suspeitas tinham-se revelado correctas. Razor já estava quase a chegar ao Porto, quando teve de voltar para trás, a fim de socorrer Ophelia.

Esta fora surpreendida por um duo estranho, que exigiu o diário que Caleb recebera de Vladimir. Como Ophelia não o tinha, eles atacaram e deixaram-na em mau estado. Ela ficou assim por algum tempo, em Bilbao, até que os restantes membros do grupo chegaram e Caleb, o líder deles, deixou-a beber do seu próprio sangue, para que ela recuperasse mais rapidamente.

Caleb, Razor, Ophelia e Corrine decidiram que continuariam a jornada todos juntos. Optaram por ficar em Bilbao algum tempo. Todos encontravam-se cansados da viagem, que estava a levar mais tempo do que imaginavam.

Entre o Natal e o Ano Novo, Hao Fang juntou-se ao grupo. Ele era um Mestre em Artes Marciais. Anos antes ele ajudara um amigo num evento muito importante, graças aos conhecimentos que tinha adquirido.* Depois desse evento, Hao Fang foraconvidado a ingressar no F.A.T.E. [Forces Against Terrorism on Earth] e trabalhava de perto a combater o Mal e vilões de toda a espécie, mas sempre [ou quase!] nas sombras.

* [Nota de Autor - ver “Vírgulas do Destino: A Vingança”]

Hao Fang era um homem discreto. Tinha a cabeça rapada e vestia-se com um hábito laranja. Os seus olhos eram escuros como o carvão, mas eram olhos bondosos, sem maldade. O seu corpo era magro, delineado e bem tonificado. Ele mantinha muitos dos hábitos que obtivera enquanto estivera sob a tutela de monges, em Hong Kong. Aprendera com eles uma arte ancestral, chamada Shan Hi Ko.

Não ficou admirado ao tomar conhecimento da existência de vampiros, bem como da união de Razor com Kitsune. Há muito que aquele tipo de informações estava na posse do F.A.T.E. sendo considerados “ficheiros secretos”. Poucos membros tinham acesso a eles. Hao Fang era um deles.

Os membros do grupo de Caleb afeiçoaram-se rapidamente a Hao Fang. A sua natureza calma e serena transmitia paz e tranquilidade. Caleb estava muito satisfeito com a entrada dele no seu grupo. Sentia-se muito orgulhoso. Naquela noite, estavam todos à volta de uma fogueira, a discutir uma boa novidade.

A deusa Ártemis, a verdadeira mãe de Razor, apareceu a este durante a tarde, quando ele se encontrava a meditar. Sabendo pela boca do seu filho dos problemas que estavam a atravessar, decidiu ajudá-los. Ártemis entregou a Razor a chave que permitiria abrirem o diário!      

As boas notícias não iriam ficar por ali. Hao Fang conhecia a linguagem Seirén! Como estava muito mais frio, todos aconchegaram-se uns aos outros, com olhar fixo na fogueira. Que segredos estariam por desvendar no diário?

*Alguns minutos depois…*

- Razor, empresta-me o diário. - pediu Hao.

Após uma rápida troca de olhares com Caleb, Razor assentiu com a cabeça. Retirou o diário do bolso e entregou-o a Hao Fang. Este observou-o encantado! O diário continha uma energia milenar! Razor pegou na chave que Ártemis lhe tinha dado e entregou-a a Caleb. Se o diário agora pertencia a este, era justo que fosse ele a destrancá-lo! Hao passou o diário a Caleb e este, com um olhar que não escondia nervosismo, abriu-o lentamente. Todos suspenderam a respiração.

Caleb não resistiu mais e sem cerimónias, começou a folhear o diário, com frenesim. Todas as páginas estavam preenchidas. A linguagem e a escrita mudavam em certas alturas, apontando para a hipótese de tal acontecer no momento em que o diário passava para um novo membro da família. Emocionado, começou a folhear o diário mais devagar, como se estivesse a saborear algo muito bom. Caleb percebera naquele momento o que Vladimir queria dizer.*

* [Nota de Autor - ver “Sombras da Luz: Skyfall”, Capítulo 13]

Levantando os olhos do diário, Caleb observou o seu grupo. Todos o miravam com um olhar inquisidor. Sem perder tempo, entregou o diário a Hao Fang e disse:

- Verifica por favor se consegues perceber o que está aí escrito. Algumas partes parecem-me estar em Latim ou em outras línguas mortas. Parecem-me familiares, de alguma maneira. Mas há páginas que, definitivamente, são diferentes de todas as outras. Devem ser as que estão escritas em Seirén!

Hao Fang seguiu o dedo que Caleb apontou, marcando uma parte do diário. Começou a ler aqueles textos para si, com ar muito intrigado. Caleb estava correcto! Aquilo era Seirén! Curioso, começou a murmurar para si mesmo, enquanto lia. Ophelia, Corrine, Razor e Caleb, mortos de curiosidade, quase que o devoravam, só com o olhar! Hao Fang sorriu.

- Muito bem. Começo por contar-vos que este diário é um bem muito precioso! Tens aqui um pedaço da História da Humanidade, Caleb! Esta parte foi escrita por um dos membros do Camarilla original! O seu nome era Marco Gualtiero, o Príncipe Defensor do Mar. Ele tornou-se Mathesulah e começou a escrever, já perto do final da sua vida.

Ophelia perguntou, completamente surpreendida:

- Camarilla? Mathesulah?

Caleb fungou, ligeiramente aborrecido. Esquecia-se muitas vezes que do grupo dele só ele era descendente de vampiros, os outros tinham-se tornado vampiros graças a ele. Assim, voltou a fungar e respondeu:

- A Camarilla é o nome da maior facção de vampiros que existe. Existem 7 clãs, espalhados pelo Universo. Todos eles comunicam e lutam entre si, desde o tempo de Caim, o Primogénito. Hao, se ele se tornou um mathesulah, então os escritos dele são mesmo muito importantes! Preciso que mos traduzas, por favor!

- Está descansado! Eu também quero saber o que Gualtiero tem para nos contar! - comentou Hao Fang.

Razor interrompeu-os:

- Podem dizer-nos o que é um mathesulah?

Caleb sorriu e explicou.

- Um mathesulah é um vampiro que atinge uma idade provecta. Chegam a ter mais de 2000 anos! É espantoso! E eu sou descendente dele! Os vampiros mathesulah são muito poderosos! Isso poderá explicar a razão dos meus poderes!

Hao Fang tinha mergulhado na leitura do diário. Marco Gualtiero escrevia muito bem. Depois de ler algumas páginas, prosseguiu com a explicação:

- O teu ancestral viveu na era do Völuspok! O Völuspok é uma profecia do século XI onde se narra tudo o que já aconteceu e vai acontecer no Planeta Terra, desde o início até ao seu final! Segundo Gualtiero, muitos séculos após a sua partida, o Mundo mergulhará no Caos. A Escuridão pairará sobre toda a Terra e só aqueles que são denominados por Sombras da Luz poderão travar essa Escuridão! Ele fala de uma Guerra Milenar, que opôs o Povo do Oceanos ao Povo dos Continentes! Menciona que um Mal Desconhecido despertará nessa Era, a Era da Escuridão. Será um Mal tão forte que nem vampiros, nem deuses, conseguirão vencer sozinhos! Terão todos que unir esforços, para o conseguir!

Razor levantou-se de rompante. Gritando para o céu, perguntou:

- Mãe! Ouviste-o? É verdade?

Uma voz etérea fez-se ouvir.

- Assim é, meu filho. A Escuridão aproxima-se a passos largos de vocês. Já não falta muito…

Razor e os restantes trocaram olhares, apreensivos! Um arrepio percorreu-lhes a espinha! Hao Fang continuou a ler e a partilhar com os restantes o que Marco Gualtiero narrava nas suas páginas. Mais intrigados do que nunca, não demoraram muito a decidirem partir na manhã seguinte, rumo a casa de Mikel. Afinal o Filho de Neptuno, o deus do Mar e Príncipe do Povo dos Oceanos, encontrava-se lá!


*Enquanto isso, na casa de Mikel…*


Kyle estava sentado na biblioteca que Mikel tinha na sua casa. À sua frente estava um livro antigo, que ele retirara de uma das estantes. Algo o fizera pegar naquele livro. Sentia uma sensação estranha. Apesar de não entender patavina do que ali estava escrito, conseguia sentir. De repente, Light começou a falar com ele, telepaticamente.

- Amo Kyle, o que estás a ler?

- Não sei bem, Light. Não sei explicar. Eu estava na faculdade e comecei a ouvir uma estranha cantilena. Não percebi a canção, mas senti-a. Assim, quando acabaram as aulas, vim para casa e tenho estado a ler… ou a tentar, pelo menos. Não percebo o que está aqui escrito, mas sinto que é algo tão familiar…

De repente, Light riu-se. O seu riso soou algo artificial. Kyle pressentiu que algo não estava bem. Fechou o livro, levantou-se, mas quando deu por si, uma voz feminina falava através dos seus lábios.

- Muito bem! Muito bem! Eu sabia! Valeu a pena esperar!

Kyle segurou-se à secretária. Não se estava a sentir bem! Algo estava a possuir o seu espírito! Começou a pensar em Mikel e no que este lhe havia dito, da última vez que o vira. Escorregou, arrastando a secretária consigo, que se virou, com impacto.

- É escusado, Príncipe Kyle! O Mikel não te poderá ajudar agora! Prepara-te para partir! Atlantis está à tua espera!

Kyle fechou os olhos e respondeu, de forma mecanizada:

- Sim senhora…

De imediato, foi ao quarto que tinha na casa de Mikel. Não tardou a abrir o estojo onde estava o Tridente de Neptuno. Pegou nele e saiu da casa, rumo ao oceano. Quando lá chegou, assumiu a sua forma Gihgul. Estava prestes a mergulhar, quando foi surpreendido por duas vozes, vindas do céu, que ficara carregado de nuvens de tempestade:

[Jessie]

Prepara-te, pois estás com azar!

[James]

E a dobrar!

[Jessie]

Para proteger o mundo da devastação!

[James]

Para unir todos os povos da nossa nação!

[Jessie]

Para denunciar os males da verdade e do amor!

[James]

Para conquistar todo o universo em redor!

[Jessie]

Jessie!

[James]

James!

[Jessie & James]

O Team Rocket à velocidade da luz vai atacar!
Rende-te agora ou prepara-te para lutar, lutar, lutar!


Kyle mirava o casal, completamente surpreendido!

- O que me querem? Quem são vocês?

- Nós somos a Jessie e o James, os melhores membros da Team Rocket! Agora entrega-nos o Tridente de Neptuno ou vais arrepender-te! - exclamou Jessie, aproximando-se de Kyle, seguida por James.
 
Uma voz fria irrompeu pelos lábios de Kyle. Com um sorriso céptico, comentou:

- A sério? Vocês atrevem-se a desafiar-me? A mim?

Kyle assumiu a sua forma Nexus. Jessie e James encolheram-se, com medo. O olhar que Nexus lhes lançou era assustador! Equivalente à sua fúria! Levantou o Tridente o mais alto que pôde. Abriu as suas longas asas vermelhas e saiu da água, sorrindo maldosamente.

- Sabem… Jessie e James… Por vezes, até eu… Até eu cometo erros. E sem dúvida que ter-vos contratado foi um deles! - declarou Nexus.

O Tridente começou a brilhar. De repente, uma tempestade de raios começou a atingir o local onde se encontravam.

- Oh-ho…! - murmurou James, atrapalhado.

- Agora… É tarde demais! Desapareçam da minha vista, seus incompetentes! - gritou Nexus, apontando o Tridente e lançando um enorme raio contra eles!

- A Team Rocket está pronta p’ra descolar…! - gritaram Jessie e James, abraçados um ao outro, antes de serem fulminados por um raio e pulverizados instantaneamente.

Nexus suspirou. O céu serenou e as nuvens começaram a desaparecer. Kyle regressou à sua forma Gihgul. Mais calmo, olhou para o Tridente com outros olhos. Estava ali a sua arma e ao mesmo tempo a prova de quem era realmente. Light falou, através dos seus lábios:

- Amo Kyle, está mais do que na hora de regressarmos. Vamos embora? Eu sei o caminho.
Kyle assentiu com a cabeça.

- Sim. Por favor, Light, mostra-me o caminho, quero chegar a casa o mais depressa possível.

- Que assim seja, meu amo…

Kyle mergulhou no oceano. Ficou admirado com as suas capacidades enquanto gihgul. O facto de ter uma enorme barbatana em vez de pernas era-lhe estranho, mas dentro de água, muito prático. Ele deslocava-se a uma velocidade considerável, apreciando a paisagem. Não demorou muito para voltar a escutar a estranha cantilena, embora continuasse sem a compreender. 

O tridente volta e meia iluminava-se. Sempre que Kyle se desviava do caminho que deveria seguir, ele começava a brilhar intensamente, afugentando criaturas que se moviam na escuridão dos oceanos. Por vezes ele passava por seres abissais, criaturas mesmo esquisitas e de formas invulgares, que estavam adaptadas à profundidade e à pressão dos oceanos. Kyle sentia-se cada vez mais em casa. 
Tudo no oceano movia-se a uma velocidade muito particular. Estava encantado com a beleza que encontrava aqui e ali. Ainda passou por diversas naus que estavam nas profundezas do Oceano Atlântico. A paisagem começou a ficar de repente mais colorida. A temperatura e a pressão também aumentaram. 

- Amo Kyle, estamos a chegar ao portal que nos levará a Atlantis! Prepare-se para mergulhar na Fossa de Porto Rico! 

Kyle, sentindo que estava quase a chegar a casa, sorriu feliz e avançou, decidido, rumo ao local. Mergulhando ainda mais fundo, apontou o Tridente em frente e disse, em linguagem seirén:

- Eu sou Kyle, Filho de Neptuno, Rei dos 7 Oceanos! Permitam-me regressar a casa, são e salvo! Que assim seja escrito, no Livro de Atlantis!

A fossa de Porto Rico começou a emitir uma luz azul, muito brilhante! Um portal abriu-se e Kyle foi sugado! Quando deu por si, estava encostado a pedras, dentro de uma caverna que emitia uma luz esverdeada.

- Onde estamos, Light?

- Atravessamos o portal que nos trouxe à Fossa das Marianas, no Oceano Pacífico! Amo Kyle, estamos quase a chegar! Atlantis está a menos de uma hora de viagem! Prossigamos!

- Concordo! Mal posso esperar! - exclamou Kyle, muito animado e voltando a mergulhar na água. 

A 2ª parte da viagem rumo a Atlantis foi muito diferente da primeira. Havia muito mais animação no Oceano. As paisagens eram muito diversas e coloridas, a água era mais quente e os habitantes tinham um aspecto exótico! Completamente abismado com as diferenças, Kyle nem deu pelo tempo passar. Só quando 7 sereios lhe apareceram à frente é que Kyle se apercebeu que tinha chegado a casa!
  
- Príncipe Kyle! Finalmente voltaste! Está tudo bem? - perguntaram, com um grande sorriso.

[Continua...]

Comentários

  1. Respostas
    1. Francisco, creio que vais gostar dos Guardiões dele também, os 7 Príncipes dos Oceanos, que se darão a conhecer no próximo capítulo!

      Abraço :)

      Eliminar
  2. Gosto dos diálogos e do fio condutor, sempre polvilhados com música. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Mark, espero que continues a acompanhar a história, que está prestes entrará na sua recta final agora. :)

      Eliminar

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal