03/04/2016

Vírgulas do Destino: A Vingança! Capítulo 7

Capítulo 7: O Passado de X!

Após a sua vitória sobre Nagashi, Katsumo vai ao encontro de Hao. Este recebe-o de braços abertos:

- Ei meu jovem! Parabéns! Foi uma vitória espectacular!

- Sim...! Foi um combate difícil, mas tive sorte! O senhor Nagashi é de facto muito forte! – respondeu Katsumo, feliz.

- Assim é, meu amigo! Devemos treinar e trabalhar para sermos os mais fortes, mas, apesar disso, haverá sempre alguém tão forte ou ainda mais forte que nós! – exclama Hao.

- Claro que sim! – responde Katsumo, bastante satisfeito! - Agora, vamos jantar!

Muito mais tarde...

Hao levanta-se:

- Eu vou indo. Amanhã espera-me um combate muito difícil. E a ti também Katsumo! Vê se descansas! Precisas de estar em boa forma! – dizendo isto, Hao parte para os bosques, onde iria treinar. Katsumo dirige-se para o quarto, preparando um banho quente. Precisava de relaxar o corpo e a mente...

Enquanto isso, noutra zona da ilha...X e os seus capangas trocam impressões sobre os combates que terão lugar no dia seguinte.

- Ghrishma e Arun, amanhã vai ser um dia muito importante para mim. A minha vingança está perto de chegar ao fim. Arun, com a tua vitória sobre Katsumo e consequentemente a sua morte... - declara X, sorrindo malévolo.

- O Hao ficará louco de raiva quando assistir ao grande final do seu amigo Katsumo! Ih ih ih ih! – responde Ghrishma, excitado.

Arun toca no seu peito numa cicatriz e afirma:

- Sim! A minha cicatriz lembra-me todos os dias aquilo que Katsumo me fez! Desta vez, serei eu a vencer! Ele não perde pela demora!

X rejubila ao escutar estas palavras e remata:

- Agrada-me ouvir isso! Agora, chega de conversa! Comecem os dois a treinar! Imediatamente!

- Às suas ordens, mestre! – respondem Arun e Ghrishma, fazendo uma vénia.

X vira-lhes costas e murmurando, diz:

- Apesar de tudo, EU é que vou ganhar! Katsumo, vais pagar por tudo! Mwa ah ah ah ah!

A noite passou com uma lentidão que foi apreciada por todos. Uns treinavam. Outros optaram por descansar e assim recuperar as energias perdidas. O certo é que, chegado o novo dia, todos estavam bem-dispostos e cheios de vontade de lutar...e de vencer...

Toda a gente se dirigiu para a arena e assim que X e o árbitro se aproximaram, todos se levantam:

- Senhoras e senhores, bem-vindos à 1ª eliminatória das ½ finais deste torneio! Hoje, vão lutar os 4 melhores participantes deste torneio. O nosso primeiro combate opõe Ghrishma, que veio da Índia...a Hao, que veio de Hong Kong! – declara o árbitro, entusiasmado.

Ao ouvirem os seus nomes, ambos os lutadores partem para a arena de combate, entre apupos e ovações do público. Entretanto, X e Arun sentam-se para ver o combate e este último pergunta:

- Qual o motivo...do mestre se querer vingar do Katsumo? O que fez ele?

X vira-se para ele e responde:

- Arun, não te metas onde não és chamado. Não me arranjes problemas, senão...já sabes o que te espera!!

Retraindo-se, pensa:

- "O que será que aconteceu? Porque é que ele não me diz?"

Entretanto, na arena...

Muito bem meus senhores! Aos vossos lugares!

Dong, dong, dong!

Ghrishma sussurra:

- En eh eh! Vai ser muito divertido!

Hao olha para o seu adversário e pensa:

- "Tenho de ter muito cuidado e ser cauteloso."

E assim começa mais um espectacular combate!

Hao estava na sua posição de defesa quando Ghrishma o ataca. Aproveita-se da sua velocidade para correr pela arena, criando a falsa ilusão de que havia vários Ghrishma ali. De repente, aproxima-se de Hao mas dá um salto e preparava-se para ataca-lo pelas costas. Hao lança um pontapé para trás, atingindo Ghrishma no peito. Ghrishma cai de pé, levantando-se de imediato. Fecha a mão e prepara-se para dar um soco rotativo na cara de Hao. Este defende-se e pontapeia-o no mesmo sítio. Ghrishma volta a cair mas desta vez deixa-se estar estendido. Precisava de pensar um pouco sobre como neutralizar Hao. Entretanto, o árbitro inicia a contagem.

- Levanta-te Ghrishma! Ainda é cedo para dormir! – afirma Hao.

Ghrishma levanta-se e retoma o combate. Hao ataca-o, lançando-lhe uma série de ataques de socos e punhos na cara, peito, costelas, a uma velocidade incrível. Ghrishma recua cheio de dores, admirado com a velocidade dos golpes do seu adversário. Hao vira-se para ele e diz:

- É melhor desistires, não estás ao meu nível!

Dong, dong, dong!

- O tempo de combate acabou! Descanso de 3 minutos! Depois disso, retomamos o combate! – explica o árbitro. Katsumo aproxima-se de Hao para lhe dar algum apoio.

- Estás a ir muito bem! Mantém as defesas! O Ghrishma deve estar a guardar o melhor para o fim!

- Sim, eu sei disso...mas nunca pensei que ele fosse tão resistente... - suspirou Hao Fang.

No outro lado do ringue, X aproxima-se de Ghrishma:

- Hao Fang desembaraça-se bem...melhor do que imaginava...Mas chega de brincadeiras Ghrishma. Não hesites em matá-lo e quando o fizeres, lança um olhar provocante ao Katsumo!

Ghrishma faz uma vénia e rindo-se divertido, responde:

- Ah ah ah ah! Que assim seja, mestre!

Dong, dong, dong!

Ghrishma prepara-se para atacar. Já vira que o seu oponente não era um adversário qualquer. Pegando nas suas kattar, ele lança-se contra Hao. Hao agarra-lhe nos braços e aplica-lhe um pontapé no queixo, deslocando-lhe o maxilar! Ghrishma ainda assim não desiste, pois lança as suas kattar contra o adversário...mas não o atinge. Hao aproxima-se dele e diz:

- Não tens honra nenhuma! – e aplicando outro golpe, coloca o maxilar no sítio e Ghrishma desmaia.

- E Hao Fang é o vencedor! Amanhã teremos a outra meia Final! – exclama o árbitro, perante o olhar furioso de X.

Ghrishma estava irritado, não com o seu oponente, mas consigo mesmo. Dera tudo o que podia...porque não conseguira? Levantando-se a cambalear, Ghrishma sai da arena perante aplausos e apupos do público. Arun vai ter com ele e ajuda-o, levando-o para a sala de reuniões. X vai lá ter e furioso pergunta:

- Afinal o que se passou? Era suposto teres vencido o combate! O que aconteceu?

Ghrishma baixa a cabeça e fazendo uma vénia, diz:

- Mestre, desculpe-me...aquele Hao não é um lutador vulgar...há qualquer coisa nos seus ataques, na sua força...na sua energia...

Ao ouvir isto, X percebera finalmente o porquê de sentir que o Hao era alguém invulgar! Não havia dúvidas! Virando-se para os seus guerreiros, X declara:

- Não tinhas hipóteses Ghrishma! Se Hao for quem eu penso...interessante...

Ghrishma e Arun viram-se confusos para o seu mestre. Ghrishma pergunta:

- Há tanto tempo que trabalho para si...! Porque não me diz qual o motivo da sua vingança? Quem é o Katsumo, mestre? Porque o odeia tanto? E agora isto com o Hao...? Quem é ele?

Arun acena com a cabeça.

- Sim, de facto, é verdade mestre...nunca me disse o motivo de querer vingar-se do Katsumo...

X levanta-se e aproximando-se de um móvel, pega numa fotografia onde estão 2 rapazes.

- Estão a ver esta fotografia?

Ghrishma e Arun acenam com a cabeça.

- Sim, quem são eles?

X ri-se.

- Não reconhecem?

Ghrishma pega na fotografia e espantado, pergunta:

- Não me diga que...é o mestre?

Arun aproxima-se para ver melhor e diz:

- E o outro...só pode ser...o Katsumo?!

Virando costas, X aproxima-se de uma janela e responde:

- Assim é. Eu e o Katsumo fomos discípulos do mesmo Mestre. Vivíamos no mesmo dojo e treinávamos muito. Fomos grandes amigos...até que um dia...

[X recorda-se de um momento que ocorreu há muito tempo atrás]

- Katsumo! Eu desafio-te para um combate! Que vença o melhor! Quem vencer, fica a treinar com o nosso mestre! Assim, aprenderá as mais poderosas e secretas técnicas que ele nos pode ensinar!

Katsumo vira-se para ele e responde:

- Shinta*... eu não quero lutar contra ti! És um grande amigo...não tem lógica isso! Não quero!

* Nota do Autor - [Shinta é o verdadeiro nome do "X"].

Shinta nega com a cabeça e diz:

- Não! Tem de ser assim! É justo! É uma questão de honra! O que perder, vai-se embora, ouviste? Não há espaço neste dojo para nós os 2...!

Katsumo levanta-se e olhando triste para Shinta, pergunta:

- Queres mesmo...fazer isto?

O velho mestre dos dois rapazes apareceu e com um sorriso enigmático, observava o ambiente entre os seus pupilos. Suspirando levemente, pensou:

- "Não vale a pena Katsumo...o coração de Shinta está mergulhado no domínio total, no sentir-se superior aos outros...prevejo um futuro terrível para ele...quem me dera poder fazer algo mais por vocês..."

Shinta aproxima-se de Katsumo:

- Estou à espera! Não lutas? Pois bem, começo eu então!

O mestre dos miúdos abre os olhos e exclama:

- Katsumo! Enfrenta-o! Defende-te, senão não terás hipóteses!

Katsumo sorria triste. Não queria nada fazer aquilo...

Shinta começou a rir-se feliz! Estava quase a ganhar!

- Estás triste Katsumo? Provei que sou o mais forte! Desiste e vai-te embora!

Katsumo responde, determinado:

- A luta ainda não acabou, Shinta! Eu não queria fazer isto, mas não me deixas alternativa...Prepara-te!

Shinta mostra-se surpreso! Katsumo riposta e passado algum tempo...

- Aiiiii! Hummmm...aiiii...! – grita Shinta, um bocado magoado.

Katsumo aproxima-se dele e tenta ajudá-lo a levantar-se.

- Desculpa...

Shinta levanta-se sozinho dando um safanão na mão de Katsumo.

- Deixa-me! Tu venceste! Amanhã eu vou-me embora...tu venceste...

No dia seguinte...

- Mestre, a sua bênção... - sussurra Shinta, ajoelhando-se perante o seu mestre.

O mestre sorri e diz:

- Podes ficar connosco, Shinta...eu perdoo-te...

Shinta vira costas, dizendo:

- Não...eu já me decidi mestre...Adeus...

Shinta sai a chorar e a correr, mas esconde-se atrás de uns arbustos e escuta a conversa que se segue entre o seu antigo mestre e Katsumo.

- Shinta! Shinta! – Katsumo começa a chorar e a gritar pelo seu velho amigo.

- Não vale a pena Katsumo...o coração do Shinta está dividido! Espero que ele tenha a sorte de encontrar o bom caminho... - responde o mestre.

- Mas porquê mestre? Porquê que ele é assim? – pergunta Katsumo.

- Sabes Katsumo... Quando lutas, combates de corpo e alma, porque és genuíno. O Shinta procura sempre ficar mais forte, mas pelos motivos errados. Isso deve-se aos abusos de que foi vítima...oxalá os espíritos bons o acompanhem e iluminem...!

Katsumo limpa os olhos e após alguns minutos em silêncio, diz:

- Mestre, decidi que também eu vou partir! Novos desafios me aguardam! Um dia voltarei para aprender novas técnicas e lhe agradecer por tudo!

O velho mestre sorriu e fazendo uma vénia a Katsumo, remata:

- Não é preciso, Katsumo! Basta que uses a tua força e os teus dons naturais de combate! Serás sempre bem-vindo ao meu dojo!

- E foi assim...o Katsumo foi-se embora e também partiu, sempre com a esperança de me reencontrar... - remata Shinta. Virando costas a Arun e Ghrishma, coloca a fotografia numa gaveta e fecha-a.

Ghrishma olha muito espantado para Arun e exclama:

- Possa! Que história incrível! Podia dar um filme...!

Shinta olha para os seus súbditos e diz:

- Pois bem, agora já sabem...quanto ao Hao Fang, eu vou tratar dele também... Arun, vai treinar com o Ghrishma...quero ficar sozinho...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Entrelinhas Direcionadas: Felizes Aqueles Que Sabem Ler Nas Entrelinhas! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS