Vírgulas do Destino: Prisioneiros do Amor, Capítulo 15

Capítulo 15: Emoções descontroladas!

Mais calmo, Mikel aceitou voltar para o palácio, na companhia de Mark e Acácio. Howl e Sophie mantinham-se nos jardins, onde conversavam animados sobre o que tinha sido a vida deles naqueles meses em que estiveram separados.

- Howl, o que tens feito tu desde que nos separámos?

Este baixou a cabeça, triste.

- A minha família morreu durante a guerra, foram apanhados numa explosão. O governador George e Kojiru procuraram-me. Eles disseram-me que o Mikel perdera a sua família também e que certamente ficaria feliz por me acolher durante algum tempo. E assim foi! Temos estado a viver nos Açores desde que ele regressou de Espanha. Ele colocou-me numa escola para tirar um curso e numa Academia de Futebol, para seguir o meu sonho de ser um jogador de futebol!

- Que bom! Fico mesmo contente que estejas bem! - respondeu Sophie, com um sorriso, beijando Howl de seguida.

Este abraçou-a, corando imenso. Depois de tanto tempo afastado de Sophie [desde Agosto de 2013 que não se viam], ainda mal acreditava que estava ali, tête-a-tête, com a sua pequena estrela.

- Meu amor.. Agora que estamos juntos, nada nem ninguém nos vai separar outra vez! - sussurrou Howl beijando-a e encostando-a contra o seu peito.

Sophie não se fez rogada. Fechando os olhos, fazia os possíveis para se recordar o mais que podia de Howl e de tudo o que já tinham vivido, mas a sua mente ainda estava muito nebulosa. Sabia que Howl era o seu namorado mas, estranhamente, sentia-se vazia. Porque será que se sentia assim? Ela gostava muito do Howl e já tinham vivido lindos momentos juntos. Sentia-se feliz ao lado dele, embora aquela estranha sensação continuasse a persistir.

- "Talvez seja dos nervos...não esperava encontrá-lo aqui!" – pensou.

Howl, por sua vez, olhava-a com ternura. Acariciava-lhe os cabelos, dando-lhe beijinhos. Pegando na mão esquerda de Sophie, convidou-a para irem dar um passeio pelo bosque que rodeava o jardim. Esta aceitou. Os dois seguiram de mãos dadas rumo ao bosque, desaparecendo numa ténue névoa, que entretanto aparecera...

*Enquanto isso, no Palácio...*

- Aqui estou! Lamento muito a minha atitude... Peço-vos desculpas a todos... - declarou Mikel, fazendo uma vénia a Kojiru e a Jéssica.

Kojiru aproximou-se do seu conselheiro e respondeu:

- Não te preocupes, eu e a Jéssica quisemos preparar uma surpresa para todos vocês. Já deu para perceber que vocês têm reagido de diferentes formas a este reencontro. Mas não há mal nenhum nisso...

Jéssica acenou com a cabeça. Sorrindo divertida, virou-se para Caim e perguntou:

- Lord Mikel já está aqui. Não tinhas algo para lhe dizer?

Caim ficou corado que nem um tomate e acenou rapidamente com a cabeça, pigarreando. Mikel também ficou atrapalhado e começou a mexer no cabelo, bastante nervoso. Acácio, Kojiru, Jéssica e Mark seguiram para a porta, fechando-a em seguida. Por fim, Caim aproximou-se da janela e suspirando, disse:

- ¡Mikel! ¡Perdoname!

Mikel sorriu para ele e acenou com a cabeça. Caim retribuiu o sorriso. Abraçaram-se. Assim ficaram durante algum tempo, abraçados, em silêncio, de olhos fechados.

- Já fazia muito tempo que não nos víamos, meu amor... - começou Mikel.

- É verdade... Aconteceu tanta coisa... - retorquiu Caim, baixando a cabeça.

- Estás esquisito... Que se passa? Não estás feliz por me ver?

Caim virou-se para a janela. Suspirou e fechou os olhos, como que a ganhar coragem para o que ia dizer. Voltou-se para Mikel e respondeu:

- Depois de te ires embora... Aconteceram algumas coisas... Muito más...

- A sério? Que aconteceu? - perguntou Mikel, levemente assustado com o que viria por aí.

- Assaltaram-nos o apartamento. Roubaram quase tudo, dois dias depois de teres vindo embora.

- O quê? Como? Fizeram-te mal? Ninguém viu nada?

- Não...

- Caramba... Pelo menos ninguém se magoou... - suspirou Mikel, mais aliviado.

- Sim.. Mas levaram o caderno com todos os códigos... Hackearam os e-mails e como levaram o meu telemóvel...

- Estou a ver! Por isso nunca conseguia entrar em contacto contigo! Fartei-me de te escrever e de telefonar, mas nunca respondias!

- Pois...

Mikel aproximou-se de Caim. Olhou-o nos olhos. O seu olhar estava triste, apagado. Um mau pressentimento assolou o seu peito.

- Caim... Tu estás a esconder-me alguma coisa, não estás? Por favor, diz-me o que se passa! Tu não és assim!

Caim suspirou profundamente. Parecia muito mais velho do que realmente era. Não conseguia olhar Mikel directamente nos olhos. Custava-lhe imenso. Fechando os punhos, rebentou:

- Mikel... Eu estava triste, cansado e confuso... Acabei por encontrar um pouco de amor e conforto nos braços de outra pessoa... E sou muito feliz ao lado dela...

Ao ouvir isto, Mikel deu dois passos para trás, completamente surpreso!

- Tu...! Tu... Estás a dizer-me aquilo que eu penso?!

Caim acenou com a cabeça, com um ar culpado e sério.

- Sim... Espero que me perdoes...

Mikel afastou-se rumo à janela. O seu cérebro martelava a toda a velocidade. Estava prestes a perder a cabeça. Depois de tudo o que tinha passado, ainda mais aquilo?

- Por favor... Perdoa-me... - suplicou Caim, com um murmúrio.

Acenando negativamente com um ar transtornado, lágrimas rolavam pelo rosto de Mikel.

- Não... Tu não tinhas o direito de me fazer isto, Caim! Depois de tudo o que eu passei, não merecia isto!! Eu não merecia isto!!!

Caim aproximou-se e tentou segurar Mikel por um braço. Este largou-o e retirou um par de chaves do bolso, que atirou para cima da mesa mais próxima.

- Tens aí as minhas chaves. Já não preciso disto para nada! Se ainda houver algo meu lá no apartamento, manda entregarem na minha casa! E manda avisar quando chegarem as coisas, se fazes favor!

- Mikel...! Por favor...perdoa-me!

- Deixa-me! Não te quero ver! Já tens outra pessoa, não é? Então vai ter com ela e deixa-me em paz! - explodiu Mikel, abrindo a porta e saindo feito um foguete, batendo a porta com toda a força.

Caim sentou-se numa cadeira a chorar. Estava destroçado por ter feito aquilo a Mikel. Se ao menos ele soubesse a verdade... Se ao menos alguém soubesse a verdade...

Com o estrondo, Kojiru, Jéssica e Mark entraram de rompante no salão, encontrando Caim a chorar descontroladamente.

- Que aconteceu, Caim? - perguntou Jéssica, abraçando-o.

- Não foi nada... Tivemos uma discussão, só isso... - respondeu ele, tentando controlar-se.

- É melhor ir procurar Lord Yusuke, não? - inquiriu Kojiru com um ar preocupado.

- Penso que Acácio já foi atrás dele... Ele não está aqui... - respondeu Mark.

Jéssica virou-se para Mark e disse:

- Mark, vai procurar uma das empregadas e manda preparar um café bem forte, se não te importas...

Este acenou com a cabeça e de imediato partiu em busca de uma empregada.


*Minutos depois, algures em Lisboa...*


- Estou sim?

- Olá!

- Ahm, és tu! Tens alguma novidade?

- Sim, tenho. E creio que a Madame Artemisa vai gostar de saber...

- Hum... O que se passa?

- O Caim acabou de destroçar Mikel... Ela entenderá o recado. Ah! Outra coisa... A Sophie recordou-se do namorado... Chama-se Howl e é um dos pupilos de Mikel...

- Muito interessante! Obrigado pelas novidades, a Artemisa vai adorar! - respondeu Agostinho, com um sorriso triunfante.

- Não tens de quê! Vou regressar ao salão, já devem estar a estranhar a demora.... - respondeu a segunda voz, desligando de seguida.


*Entretanto, em Sintra...*


- Aqui está o café! - respondeu Mark, entrando pela sala, com um pequeno sorriso, acompanhado de Acácio.

- Algum sinal do Mikel? Sophie? Howl? - perguntou Jéssica, entregando o café a Caim.

Ambos negaram com a cabeça, enquanto Caim tomava o café, com os olhos postos no chão.

- Não, não vi ninguém nas redondezas... - respondeu Acácio, com um ar preocupado.

- É capaz de ser melhor deixarmos o Mikel em paz. Ele deve querer ficar sozinho. Meus senhores, vamos começar a reunião? Já devíamos ter começado há algum tempo! - rematou Jéssica, dirigindo-se para uma mesa e sentando-se.

Kojiru, Caim, Acácio e Mark olharam uns para os outros e seguiram-lhe o exemplo. Enquanto isso, nos jardins do palácio, Mikel chorava descontroladamente. Uma agonia tremenda invadira-lhe o corpo e o espírito. Não tardou muito para encontrar um local que sentiu ser o seu porto de abrigo: um poço.

O corpo dele já não reagia a nada, parecia um robot. Desceu rapidamente até ao fim do poço e por ali ficou, a chorar. Não se sentia assim tão triste desde a morte de Ángel. De repente, levantou a cabeça e olhou para cima...


Ao ver a luz, lembrou-se de algo...

- "Porque não? Afinal, já não tenho nada a perder mesmo..." - pensou Mikel, começando a subir os degraus do poço, rumo à superfície.

Ao chegar ao topo, Mikel procurou uma clareira. Aí, começou a respirar fundo e a concentrar-se. O tempo começou a mudar. O céu escureceu. O vento começou a soprar mais forte. Ouvia-se trovoada ao longe. Mikel parecia satisfeito. Ele começava a sentir os efeitos dentro de si. A energia dele fluía livremente. De repente, ele levantou a cabeça para o céu e começou a cantar!




[Mikel]

Quiero batir mis alas blancas
Hacia un rayo de luz
Que ilumina en la distancia
Todo el cielo azul...

Howl e Sophie apareceram, vindos do bosque, pois tinha começado a chover! Ao assistirem aquilo, Sophie deu um grito, assustada. Kojiru, Mark, Acácio, Caim e Jéssica apareceram pouco tempo depois, ficando completamente espantados com o que viam! Mikel estava alguns metros acima do solo, imerso numa energia verde-azulada. Howl aproximou-se de Mikel, gritando:

- Mikel! Pára! Não faças isso! Pára antes que seja tarde demais!

Mas era escusado. Mikel não ouvia nada. Tinha-se protegido com uma barreira energética. Estava completamente concentrado, disposto a abrir o Portal do Outro Mundo, para ir ter com Ángel!

[Mikel]

Pero una lluvia amarga
Las empapa de frialdad,
Vuelvo a la soledad...

Siento un recuerdo resonar
Lento en mi interior,
Como un arroyo al susurrar,
Un lejano rumor...


De repente, um espectro começou a ganhar forma humana! Era Ángel! Ele tinha um ar muito doce e terno. Era mais baixo que Mikel [dava-lhe pelos ombros], tinha cabelos loiros, pelos ombros. Os seus olhos eram azuis. Tinha pele clara e um ar muito feminino. Quando abriu completamente os olhos e as suas asas [imaculadamente brancas], sorriu muito feliz para Mikel e acompanhou-o na melodia!


[Mikel & Ángel]

Dormiré mientras mis alas
Flotan porque llegaré
¡Al destino donde un día
Yo mi corazón curaré!


[Mikel]

Y los pedazos
De mi alma rota...
¿Alguién recogerá?
Como una pluma,
¡Busco la eternidad!

Howl tentava que Mikel despertasse daquele transe! Mikel levitava cada vez mais alto e já tinha aberto completamente os seus dois pares de asas: um par preto e branco e outro par azul e verde! Já não faltava muito para que o pior acontecesse!

- Mikel, por favor, ainda vais a tempo de parar esta loucura! Se o Ángel te abraçar, tu vais morrer!!

Infelizmente, Mikel não o escutava. Chorava de alegria, feliz. Tinha no rosto um sorriso que nunca mais acabava! Finalmente, o seu tormento ia terminar!

- ¡Kit-chi! ¡Mi pequeño zorrito! - exclamou ele, aproximando-se lentamente de Ángel.

- ¡Oka-chi! ¡Mi lindo lobito! - respondeu Ángel, com um grande sorriso.


[Ángel]

Dormiré mientras mis alas
Flotan porque llegaré
¡Al destino donde un día
Yo mi corazón curaré!

Y los pedazos
De mi alma rota...
¿Alguién recogerá?

Como una pluma
¡El viento me acunará!

Vine atraído por un sueño a este lugar,
Y el sueño ahora ya se desvaneció...

El Presente está manchado de silencio y soledad,
Ya mi sueño lo aplastó la realidad...

Ángel e Mikel aproximavam-se cada vez mais. O vento começou a ficar cada vez mais agressivo e as nuvens à volta daquele lugar rodopiavam, formando uma brecha bem no topo do céu. Howl tentou libertar os seus poderes, mas em vão. Ainda não estava pronto. Precisava da ajuda de Mikel! O problema é que este estava prestes a entrar no Portal do Outro Mundo!


[Mikel & Ángel]

Dormiré mientras mis alas flotan porque llegaré
¡Al destino donde un día yo mi corazón curaré!


[Mikel]

Y los pedazos
De mi alma rota
¿Alguién recogerá?

Como una pluma
¡Busco la eternidad!

Un espejismo secular...
Es mi sueño...


[Mikel & Ángel]

¡Pero soy su dueño y sé que existirá en algún lugar!

Mikel e Ángel abraçaram-se, por fim. As asas de Mikel começaram a perder o brilho e a cor, enquanto ele ia fechando os olhos, lentamente.

- Nãooooooooo! - gritaram Howl, Kojiru, Sophie, Acácio, Jéssica, Mark e Caim, com um ar aterrorizado.

[Continua...]

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal