Vírgulas do Destino: Prisioneiros do Amor, Capítulo 26

Capítulo 26: O tesouro perdido!

*Algumas horas mais tarde...*

- A operação foi um sucesso! Tudo correu bem e Lord Mikel encontra-se agora a descansar! Se quiserem visitá-lo, venham ao final da tarde! - retorquiu a Dra. Raquel, ao telefone, enquanto falava com Kojiru e desligando em seguida.

Ela virou-se para uma enfermeira e disse:

- Vou sair por agora, para almoçar algo. Alguma coisa, por favor ligue-me!

A enfermeira acenou com a cabeça e respondeu:

- Esteja descansada, senhora doutora!

Ao fim da tarde, Kojiru, Acácio e Howl entraram no quarto de Mikel. Encontraram este um bocado combalido e ensonado - a medicação que lhe tinha sido dada era muito forte. Sorrindo para os amigos, convidou-os a sentarem-se e começaram a conversar. A dada altura, Howl pediu para ficar a sós com Mikel. Os outros dois levantaram-se e prometeram voltar no dia seguinte, pedindo a Howl para não se demorar, já que tinham de regressar ao hotel para jantar e Mikel precisava de descansar. Quando se certificou que Kojiru e Acácio tinham ido embora, Howl aproximou-se de Mikel e abrindo a mochila, disse:

- Consegui! Trouxe a lira! - exclamou Howl, triunfante, entregando-a a Mikel.


Este pegou nela e tocou um bocadinho. Que lindo som ela produzia!

- Awww! Excelente! Esperemos que o Mark amanhã traga a outra e também o tal cofre...!

- Vais ver que sim! Bom, vou embora...

- Já vais? - perguntou Mikel, um pouco triste.

- Sim, tenho uma tonelada de trabalhos para a escola... Para compensar as faltas que tenho dado, enviaram-me uma série de coisas para fazer... O Kojiru disse-me que me ajudava e tu sabes que não posso desperdiçar a oportunidade!

- Claro, claro! Tens toda a razão... Amanhã vens a que horas?

- Depois da hora do lanche! A Jéssica vem na hora de almoço e a Sophie disse que passava por cá mais para o fim da tarde... Assim, ainda posso estar com ela! - retorquiu Howl, piscando o olho a Mikel.

- Maroto! Vai lá então! - respondeu Mikel, enquanto Howl se despedia com um abraço.

Depois do seu pupilo ter-se ido embora, Mikel começou a ler a documentação toda que tinha trazido consigo. Como ia ter de passar mais dois, três dias na clínica até ter alta, decidiu que iria aproveitar o tempo para começar a montar o gigantesco quebra-cabeças que tinha entre mãos. De uma coisa estava certa - havia inimigos em toda a parte e desconfiava que alguém muito próximo dele andaria a transmitir informações ao pior inimigo de todos. 

Quanto mais lia, mais se surpreendia! Era impressionante a quantidade de informações que haviam sido recolhidas sobre ele, Caim, Howl, Mark, Sophie e as famílias deles. Era tudo bastante detalhado e pelo que Mikel se ia apercebendo, nem Kojiru, nem Jéssica, faziam a menor ideia que os seus Conselheiros tinham sido minuciosamente "estudados" antes de serem dados como "aptos" para o trabalho. Mas o pior de tudo nem era isso...

As horas passaram rapidamente. Pouco faltava para a meia-noite quando a Dra. Raquel regressou para o visitar e verificar o estado. Ao ver que Mikel se encontrava bastante agitado, insistiu com ele para guardar as suas coisas e dormir. Como este se queixasse da falta de sono, ela deu-lhe um soporífero e ele cedeu ao sono em poucos minutos. Curiosa, a médica aproximou-se da mala de Mikel. Queria descobrir o que andava ele a estudar para ficar assim tão agitado. Ao chegar lá, porém, debateu-se com uma surpresa: a mala estava fechada com diversos cadeados! Rindo-se e abanando a cabeça, virou costas e foi-se embora.

*10 de Maio de 2014*

Tal como Howl tinha mencionado, Jéssica apareceu ao início da tarde. Esteve com Mikel por um bocadinho, afirmando que teria de ser uma visita de médico, já que havia mais pessoas a quererem visitá-lo. Ela estava com esperanças de que Mikel e Caim tivessem uma boa conversa durante a visita, mas não o mencionou isso a Mikel, para não lhe causar nenhum stress. Kojiru chegou entretanto e para grande alegria deste, Jéssica estava ali, com Mikel! Fechando a porta com cuidado, ele aproximou-se dela e beijou-a com paixão!

- Cada dia sem ti, parece que me falta o ar para respirar... - sussurrou ele, com um grande sorriso.

- Não diria melhor... - comentou Jéssica, acariciando Kojiru.

- Hum, hum... Não é por nada, mas eu não posso sair daqui para vos deixar à vontade... - suspirou Mikel, olhando para a janela com um ar envergonhado.

Os três amigos olharam uns para os outros e começaram-se a rir. Kojiru de imediato pediu desculpas a Mikel e Jéssica saiu do quarto, anunciando que Mark estava à espera para entrar. Kojiru despediu-se e disse que voltaria daí a dois dias para o acompanhar na viagem de regresso a casa. Mark entrou de seguida, fechando a porta à chave. Com um grande sorriso, exclamou:

- Olá Mikel! Aqui estão os objectos!

Mikel levantou-se, ainda a custo e ajudou o amigo a colocar as coisas em cima da cama com muito jeitinho! O cofre era pesado mas Mikel sentia-se emocionado e excitado ao mesmo tempo! O que estaria ali dentro? Pegando na lira que Mark trouxera, Mikel tocou uns acordes e sorriu.


- Ela é mesmo linda! Produz um som muito bonito! Estás pronto para fazer História, Mark?

Mark acenou com a cabeça, um bocadinho nervoso! O que iria acontecer?

João sentou-se e explicou:

- De acordo com o que li, temos de tocar uma sequência de notas. Primeiro eu, depois tu e depois os dois ao mesmo tempo! Achas que consegues? É só assim que o cofre se abre!

- Vamos tentar! Explica-me como devo fazer!

Os dois amigos começaram a praticar. Ao fim de algum tempo, já estavam bem sincronizados! Respirando fundo, Mikel olhou Mark nos olhos e declarou:

- Está na hora! Vamos abrir o cofre!



E assim, com um sorriso, Mikel e Mark começaram a tocar uma pequena melodia em ambas as liras! No fim da melodia, o cofre começou a brilhar, produzindo um som e de repente...



... O cofre abriu-se!

Com uma enorme alegria, Mikel e Mark abraçaram-se e começaram a analisar o conteúdo do cofre! Era muito emocionante! Com muito cuidado, os dois amigos começaram a retirar o conteúdo do baú! Havia dentro dele um anel e vários objectos estranhos, produtos criados ao longo dos séculos! Além disso, encontraram também vários documentos, fotografias, um outro anel - em tudo semelhante ao primeiro - e uma chave!

- Uau! De onde será esta chave? - perguntaram-se os dois ao mesmo tempo.

Encantados, começaram a arrumar as coisas, deixando ficar os documentos, os anéis e a chave, fora do cofre. Ao lerem os papéis, cedo compreenderam que estes eram partes de um diário escrito ao longo dos séculos! Um grande diário escrito nada mais, nada menos, por Romeu e Julieta e os seus descendentes! Sempre se confirmava a teoria na qual Mikel tinha andado a trabalhar! Segundo os escritos, a chave fazia parte de um legado deixado aos descendentes de ambas as famílias! Os dois anéis e as liras eram os restantes objectos que comprovavam a autenticidade! Só com os três itens é que os mais recentes descendentes poderiam aceder a algo...

- O que será? - perguntou Mikel.

- Pois, isso não vem aqui mencionado... Mas deve ser algo muito especial! - respondeu Mark, entusiasmado.

- E temos aqui fotografias... Quem são estas pessoas?

Mark pegou nas fotos e virando-as, leu:

- Sir Paul Lytton e Madam Mathilda De Mondion...

- Espera lá... Disseste "Lytton" e "De Mondion"? Essas pessoas eram os bisavós do Kojiru e da Jéssica! - exclamou Mikel.

- Tens a certeza?

- Claro! Toma, tens aqui a minha lista com os dados!

Mark começou a analisar a lista que Mikel lhe entregara. Entretanto, este pegou num livro onde existiam várias páginas soltas. Qual o seu espanto quando algumas folhas caíram e ele leu um título onde se lia: "Testamento de Sir e Miss Wallace Yuga". Quando estava a ajoelhar-se para recolher as folhas, alguém bateu à porta. Atrapalhados, Mikel e Mark começaram a guardar tudo à pressa, com Mikel a colocar aqueles documentos dentro da sua mala.

- Já vai! É só um minuto! - respondeu Mikel, atrapalhado.

- É melhor eu ir-me embora também, vou colocar tudo nos sítios antes que alguém desconfie! - murmurou Mark, certificando-se que estava tudo bem escondido e que não levantariam suspeitas.

Em seguida, Mikel deitou-se na cama e Mark foi abrir a porta. Uma enfermeira entrou e disse:

- Lord Mikel, não aconselhamos a que feche a porta à chave... Pode acontecer-lhe alguma coisa e depois é mais difícil de o poder socorrer...

Mikel concordou com ela enquanto esta lhe dava a medicação que ele tinha de tomar. Mark despediu-se dele e depois de se certificar que ele havia tomado os medicamentos, a enfermeira também saiu. Suspirando de alívio, mandou mensagem a Mark a agradecer a preciosa ajuda e a pedir desculpas por não ter perguntado por Tiago nem como estavam as coisas agora. Mark respondeu que da próxima vez que estivessem juntos, falariam sobre tudo isso e que não se preocupasse, que tudo se iria compor... Que teria acontecido? Estava Mikel perdido em pensamentos, quando bateram à porta. Quem seria?

- Entre!

Era Caim! Ele vinha com a sua guitarra às costas e trazia-lhe nas mãos um ramo de flores, um peluche e uma caixa de chocolates! Sorrindo feliz, Mikel disse:

- Olá Caim! Que surpresa!

Este pousou a guitarra e deu-lhe um abraço, dizendo:

- Ora essa! Eu tinha de vir! Toma, é para ti!

- Awwww! Não era preciso estares a gastar dinheiro, meu tonto... - respondeu Mikel, com uma voz doce.

- Mikel... É a primeira vez em muito tempo que me tratas assim... - sussurrou Caim, com ternura, abraçando-se a este.

Este por sua vez baixou a cabeça, corado e respondeu:

- Hum... Por favor, não confundas as coisas... Eu agradeço-te muito a atenção e o facto de teres vindo, mas prefiro que continuemos a seguir cada um o seu caminho... É o melhor para os dois... Desculpa-me...

Caim ficou com lágrimas nos olhos e perguntou:

- Estás a gostar de alguém? É por isso?

- Não... Não estou a gostar de ninguém... A bem dizer, nem tenho tempo para pensar nisso ultimamente... Caim... Quem "deslizou" foste tu, não fui eu... Porque raios me hás-de estar a perguntar isso?

- Porque... Porque... - Caim virou costas e dirigiu-se à janela.

A vontade de revelar a verdade a Mikel era agora tremenda. Mas sabia que se contasse a verdade, os seus pais seriam mortos. Ele vivia nesse dilema há meses e estava prestes a rebentar. Não sabia o que fazer. 

Por sua vez, Mikel abraçou-se ao peluche e começou a chorar em silêncio. Custava-lhe estar a agir assim. Queria ficar bem com Caim, mas continuava muito magoado com a atitude dele. Acalentava a esperança que quando a guerra chegasse ao fim, eles pudessem resolver as coisas que se mantinham pendentes. Este virou a cara para Mikel e reparou que ele estava a chorar. De imediato correu para ele e abraçou-o, chorando com ele. Murmurou baixinho:

- ¡Perdoname!

João abraçou-o com mais força e não disse nada. Passados alguns minutos, que pareceram horas, Caim sentou-se ao lado de Mikel. Suspirando, este disse:

- Olha fofo, obrigado por tudo... Fizeste-me um favor muito importante... Estou a referir-me à ajuda que deste ao Mark... - frisou.

- Ora essa! - respondeu Caim, desiludido. - No que eu puder ajudar...

- Como estão as coisas lá em Lisboa? O Mark já cá esteve, mas nem tivemos tempo para conversar!

Caim deu um longo suspiro e começou a explicar.

- A entrevista que vocês deram na televisão caiu que nem uma bomba. A Artemisa e a governadora Milú nem queriam acreditar quando souberam! Exigiram ver a emissão! Quando viram o Mark falar do Tiago daquela forma tão apaixonada e depois do reencontro deles, a beijarem-se, nem imaginas a cena que elas fizeram! Ele foi chamado de imediato a casa da Governadora, foi insultado do piorio pelas duas e, não contentes com isso, despediram-no!

Mikel olhou para Caim, incrédulo!

- A sério? Mas que grandes "ordinaronas"! Francamente, o Mark é um rapaz impecável! É perfeitamente natural que, perante o sofrimento que estava a viver, quando reencontrasse a pessoa que ama, as emoções viessem à tona!

- Sim, eu sei disso, mas que queres que te faça? Nem toda a gente tem a mente aberta... E olha que muita tolerância teve ele! Aceitou a demissão e virou costas sem dizer mais nada. Se fosse comigo, tinha partido para o insulto! Era eu, que deixava que me insultassem!

Mikel fungou.

- Sabes fofo, se tu agisses assim, estarias a dar importância a este tipo de situações. Acho que o Mark fez o mais correcto... Ao ignorar e desprezar, deu-lhes a melhor das respostas! Assim, elas ficaram sem argumentos!

Caim acenou com a cabeça.

- Bem, és capaz de ter razão... Pelo menos agora o Mark está mais feliz do que antes, sabes? Está a viver com o Tiago! A Jéssica discutiu com a mãe por causa do que ela tinha feito! A governadora disse que se ela assumisse as responsabilidades, quando fosse ela a governar que fizesse o que quisesse, mas que por agora, ele não trabalhava para ela! A Jéssica disse que ele era amigo dela e que não era pelo Mark gostar de uma pessoa do mesmo sexo que as coisas iriam mudar! Assim o Mark continua a trabalhar para a Jéssica, mas está proibido de frequentar a casa da governadora... Olha, eu... - Caim ia começar a explicar o que se andava a passar, motivado pelas palavras de Mikel, quando bateram à porta.

- "Eu não me acredito nisto! Logo agora!" - pensou.

- Entre!

Howl e Sophie entraram, fazendo uma grande festa a Mikel. Triste por ter perdido a oportunidade de esclarecer tudo, Caim despediu-se de Mikel e saiu quase a correr. Queria encontrar um cantinho onde se pudesse sentar... E chorar...


*25 de Maio de 2014*


Nos Açores, era dia de festa! Para além das cerimónias que iriam decorrer à noite, era o dia do Senhor Santo Cristo dos Milagres! Espantado com a grandiosidade das festas, João perguntou a Acácio do que se tratava. Este, orgulhoso de falar na sua terra, respondeu:

- O Povo Açoriano é um povo muito religioso, esperançoso, devoto e com muita fé, pois acredita nos valores cristãos e como tal dão extrema importância à religião, tradição e festividades religiosas. Existem duas festividades que caracterizam muito bem os pontos acima mencionados:

As festas em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres e as Festas do Divino Espírito Santo.

As Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres são caracterizadas como sendo a maior festa religiosa existente nos Açores, pois reúne todos os anos, na cidade de Ponta Delgada, muitos emigrantes, oriundos dos E.U.A. e do Canadá, muita população local e visitantes regionais (outras ilhas), nacionais (continente) e estrangeiros. A Festa do Senhor realiza-se no quinto Domingo após a Páscoa e prolonga-se durante uma semana.

Realizam-se duas procissões, uma mais pequena que é feita no Sábado em torno da Praça 5 de Outubro, onde está situado o Santuário e Convento da Esperança e uma outra, muito maior que é feita no Domingo.

Na procissão de Sábado, vários grupos (Bombeiros, Polícia, Construção Civil e Táxis de Ponta Delgada, Carros Antigos, Grupo de Motards e Motas (desde aceleras até 4 rodas), que vêm prestar homenagem ao Senhor, num desfile em torno da Praça.

A procissão de Domingo percorre várias ruas da cidade de Ponta Delgada, passando assim pela maioria das igrejas e conventos existentes na Cidade. O pavimento das ruas da Cidade, por onde passará a procissão, é decorado com "tapetes" coloridos de flores, folhas verdes e farelo (restos da madeira moída) pintado. Esta procissão é maior (cerca de 4h/5h) porque conta com a presença dos alunos das escolas de Ponta Delgada (Secundárias e Profissionais) e Universidade dos Açores, Escuteiros, Bombeiros e Bandas Filarmónicas.

É de salientar que em ambos os dias existem imensos peregrinos a pagar as suas promessas feitas ao Senhor. Estes muitas vezes fazem várias voltas de joelhos e a carregar círios, em torno da Praça ou então vêem-se muitos grupos de pessoas que saem das suas localidades de residência e caminham a pé até chegar ao Convento da Esperança, em Ponta Delgada.

Como é habitual em todas as festas, não poderia deixar de haver muita música, fogo-de-artifício, barracas/tascas com comida e bebida tradicional e uma feira onde constam várias empresas locais que dão a conhecer os seus produtos/serviços aos visitantes.

- Caramba! Oh Acácio, então e qual é a história do culto ao Senhor dos Milagres? - perguntou Mikel.

Acácio riu-se e respondeu:

- A história do culto do Senhor Santo Cristo dos Milagres surgiu no Convento da Caloura, em Água de Pau. Reza a tradição que foi precisamente neste local que ergueu-se o primeiro Convento de Religiosas na Ilha. Deste modo, para que tal comunidade fosse estabelecida como devia, foi necessário que duas religiosas viajassem até Roma para trazer ao Convento a Bula Apostólica. O desempenho das duas religiosas foi de tal modo positivo que o Santo Papa, não só lhes passou a ambicionada Bula como também lhes ofereceu uma imagem do Ecce Homo. Esta Imagem quando chegou ao Convento foi colocada num altar onde se conservou por alguns anos.

O local onde se situava o Convento era muito exposto a ataques de piratas e corsários. Este fenómeno fez com que uma parte das religiosas se refugiasse no Convento de Santo André, em Vila Franca do Campo e a outra parte seguiu para o Mosteiro da Esperança, em Ponta Delgada, ficando assim o Convento deserto. Porém, a Imagem do Senhor não ficou esquecida, pois uma religiosa galega, cujo nome era Madre Inês de Santa Iria quis trazê-la para Ponta Delgada.

O culto ao Senhor Santo Cristo dos Milagres ocorreu porque os habitantes viviam numa constante agonia, devido às doenças graves e à actividade vulcânica e sísmica constante. O único refúgio que lhes restava era ter fé e devoção no Senhor Santo Cristo.

A clarissa Madre Teresa da Anunciada dedicou toda a sua vida ao Senhor Santo Cristo e foi através dela que em Abril de 1700, organizou-se a primeira procissão em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Esta procissão despertou uma enorme devoção e foi de uma tal grandeza que nunca mais se deixou de realizar até aos dias de hoje.

A 26 de Maio de 1984, foi inaugurada uma estátua da Madre Teresa da Anunciada, junto ao Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres, devido a toda a devoção que teve pela Imagem. Esta estátua foi da autoria do escultor Euclides Vaz.

Mikel estava sem palavras! Junto com Acácio assistiu a toda a festa. As horas passaram rapidamente e aos dois amigos juntaram-se Howl e Kojiru, que tinham ficado a ensaiar a música que iam tocar naquela noite, durante a festa.

O evento ia decorrer no centro da cidade. Muitas pessoas estavam a preparar os palcos onde as bandas iam actuar mas também havia pessoas a preparar uma tenda para os convidados, onde decorreria um jantar volante. Além disso, haveria também uma tenda para Mikel fazer leituras de Tarot, o que estava a causar grande sensação perante os convidados - ele só daria consultas durante uma hora, já que depois tinha de se ir preparar para a festa de passagem de testemunho, onde tocaria com a sua banda!

Milú, Artemisa, Agostinho, Jéssica e os seus Conselheiros chegaram aos Açores ao final da tarde. Seguiram-se os cumprimentos da praxe, as fotografias e uma cerimónia intimista, entre ambas as facções. Como as horas voavam, rapidamente seguiram para o espaço onde iria decorrer a cerimónia. George fez as apresentações e anunciou que Lord Mikel estaria a dar consultas, respondendo a uma pergunta a quem quisesse. Como começasse a haver uma grande afluência, este pediu a Howl para ajudar a organizar as entradas, o que ele fez, muito satisfeito. A dada altura, Mikel estava a descansar por breves momentos, quando entrou Milú!

- Espero não vir incomodar, Lord Mikel! - começou esta.

João levantou-se de imediato e beijando-a na mão, convidou-a a sentar.

- Ah, mas que cavalheiro! Gostei! Muito bem, presumo que saiba o que me traz aqui...

- Pretende uma consulta? Hoje só poderei responder a uma única questão. Espero que compreenda...

- Claro, claro! Não se preocupe! Pode explicar-me o que tenho de fazer?

- Eu vou entregar o baralho à Governadora Milú. Vai pensar numa pergunta que queira fazer, baralha as cartas e quando achar que está pronta, parte o baralho em três partes. Eu vou recolher as cartas e veremos juntos a resposta à sua pergunta, sim?

- Está bem!

E assim a governadora pegou no baralho de cartas e rindo-se, começou a baralhar, intrigada se aquilo resultaria. Partiu o baralho, e aguardou que Mikel recolhesse o mesmo.

- O que perguntou?

- Eu gostava de saber o que me reserva o futuro...

- Muito bem, vamos ver...

E assim Mikel começou a colocar as cartas na mesa. Passado uns instantes, declamou:

Quando esta guerra acabar,
Uma viagem a Milú irá fazer.
Nessa aventura alguém especial irá encontrar,
Uma pessoa que terá imenso prazer em conhecer...!


- Além de tarólogo, é poeta? Ah ah ah! Muito bom! Espero que o George lhe esteja a pagar bem, Lord Mikel! Ah ah ah ah! - respondeu Milú, entre gargalhadas!

- Minha senhora, é o que as cartas me dizem! Posso também revelar-lhe que deve ter cuidado com as suas amizades... E acredite que a sua vida em breve conhecerá uma grande mudança...

- Ai que bom! Muito bem! Gostei deste bocadinho! Obrigada Lord Mikel! - rematou Milú, despedindo-se deste e virando costas.

Não tardou muito para que Mikel recebesse outras visitas importantes. George aproveitou a oportunidade enquanto as pessoas estavam a jantar. Depois de lhe explicar como deveria fazer e ter recolhido as cartas, Mikel perguntou o que havia o Governador George perguntado às cartas.

- Meu caro amigo Lord Mikel, pretendo saber o meu futuro!

Depois de recolher as cartas, Mikel declamou:

Quando esta guerra terminar,
Não perca tempo, vá viajar!
Um sonho muito antigo, 
Por fim, realidade se vai tornar!

- A sério? De que sonho se trata, Lord Mikel?

- Só consigo ver que está relacionado com algo que o seduz há bastante e que sonha tornar realidade há imenso tempo... E que é além-fronteiras... Junto com esse sonho cumprirá um outro desejo seu, também antigo!

- Ahm... Muito interessante! Muito mesmo! Obrigado! - colocando o seu chapéu de coco, George levantou-se e foi-se embora.

O tempo que Mikel disponibilizara não dera para muito. Kojiru e Jéssica, bem como os restantes amigos acabaram por não ter oportunidade de serem atendidos, tal era a quantidade de pessoas que queria receber uma tiragem, mas Mikel prometeu-lhes fazer uma consulta quando estivessem todos juntos novamente. Quando o relógio bateu as 22:30, um apresentador subiu ao palco.

- Olá muito boa noite a todos! Como sabem, hoje é uma noite muito especial! Antes de passarmos ao grande momento da noite, vamos ouvir as duas bandas mais famosas de Portugal! Dêem as boas vindas aos "Sol Nascente" e aos "Dark Arkangels"!

As duas bandas subiram ao palco e cumprimentaram o público! Depois de jogarem ao "Pedra-Papel-Tesoura", ficou decidido quem tocaria primeiro. Seriam os "Sol Nascente" a começar!




[Jéssica]

Quando estou para baixo e a minha alma tão cansada
Quando os problemas vêm e o meu coração fica destroçado
Então, eu ainda vivo e espero aqui em silêncio
Até tu vires e sentares-te por algum tempo ao meu lado

[Sophie]

Tu inspiras-me e eu posso mover as montanhas
Tu inspiras-me e eu posso navegar em mares tempestuosos
Eu sou forte, quando estou nos teus ombros
Tu inspiras-me mais do que eu posso ser!

[Mark]

Não há vida - não há vida sem a sua fome;
Cada coração inquieto, bate tão imperfeitamente;
Mas quando tu vens, eu fico tão feliz,
Que às vezes, eu acho que vislumbro a Eternidade!

[Caim]

Tu inspiras-me e eu posso mover as montanhas
Tu inspiras-me e eu posso navegar em mares tempestuosos
Eu sou forte, quando estou nos teus ombros
Tu inspiras-me mais do que eu posso ser!

[Sophie]

Tu inspiras-me e eu posso mover as montanhas
Tu inspiras-me e eu posso navegar em mares tempestuosos
Eu sou forte, quando estou nos teus ombros
Tu inspiras-me mais do que eu posso ser!

[Jéssica]
Tu inspiras-me e eu posso mover as montanhas
Tu inspiras-me e eu posso navegar em mares tempestuosos
Eu sou forte, quando estou nos teus ombros
Tu inspiras-me mais do que eu posso ser!


[Jéssica, Sophie, Caim, Mark]

Tu inspiras-me mais do que eu posso ser...


O público começou a bater palmas, feliz! A canção era muito bonita! O apresentador regressou ao palco e sorrindo, afirmou:

- Foram os Sol Nascente! Uma excelente canção, na minha opinião! E agora, senhoras e senhores, convosco, os Dark Arkangels!

Estes entraram em palco e sentando-se nos devidos lugares, começaram a olhar uns para os outros. A um sinal combinado, começaram a tocar!



[Mikel, Kojiru, Howl, Acácio]

Procura o teu amor...!
Procura o teu amor...!

Tu sempre brilhaste, tão brilhantemente
O teu rosto sorridente é como uma pequena estrela
Tenho vindo a valorizá-lo [a luz eterna das estrelas]

Naquele dia, eu não podia vir e proteger-te
Eu só segurei as minhas lágrimas de arrependimento
Ainda estou a sentir a dor [Eu não vou esquecer-te, baby!]

Procura o teu amor, nos cristais dos céus!
Procura pelo teu amor, por favor, não comeces a chorar!
Procura pelo teu amor, eu realmente
Quero mantê-lo perto de mim agora!

O teu cheiro forte, estou sempre [a procurá-lo]
Tu podes ouvir a minha voz gritar [eu amo-te tanto!]
Onde estás, tu agora [meu amor?]
Minha linda princesa, meu lindo príncipe...



Responde-me, responde para mim
Imediatamente, responde por mim
Responde-me, responde para mim
Então, gentilmente, responde por mim

Procura o teu amor...!
Procura o teu amor...!
Procura o teu amor...!
Procura o teu amor...!

A correr pelo céu nocturno distante,
Eu agora faço um desejo a uma estrela cadente!
Sussurrando: "eu quero estar contigo" 
[Por favor, diz-lhe isso, oh luz das estrelas]

Como o tempo passa, tornamo-nos adultos
Eu finalmente percebi que...
As peças partidas não são suficientes 
[Por favor, fica ao meu lado, baby!]

Procura o teu amor, no oceano de prata
Procura o teu amor, o navio flutua à deriva

Procura o teu amor, nesta loucura
Ele vai ser varrido para ti!
O teu cheiro forte, estou sempre [a procurá-lo]
Tu podes ouvir a minha voz gritar [eu amo-te tanto!]

Onde estás tu agora [meu amor?]
Minha linda princesa, meu lindo príncipe...

Responde-me, responde para mim
Imediatamente, responde por mim

Responde-me, responde para mim
Então, gentilmente, responde por mim!

Responde-me, responde para mim
Imediatamente, responde por mim

Responde-me, responde para mim
Então, gentilmente, responde por mim!

O público levantou-se uma vez mais e começou a bater palmas! Os quatro amigos saudaram-nos e com um grande profissionalismo, fizeram uma vénia e abandonaram o palco. Orgulhosos do sucesso que os filhos estavam a obter, pouco tempo depois, os governadores George e Milú subiram ao palco. Quando começaram a discursar, um vulto misterioso, que estava a assistir ao evento numa varanda próxima, recebeu uma chamada.

- Agora! - respondeu uma voz metálica, impessoal.

O vulto misterioso sacou de uma arma e fazendo mira, apontou a Milú. Quando esta ia começar a falar sobre a renúncia ao cargo e sucessão à sua filha Jéssica, o vulto disparou. 


O tiro foi certeiro! A governadora fora atingida em cheio no peito! As pessoas começaram a gritar e a fugir, enquanto Milú caía no chão! O vulto fugiu de imediato. No entanto, devido à pressa, deixou para trás uma meia, com a qual tinha coberto a cara...

[Continua...]

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal