04/04/2016

Vírgulas do Destino: Prisioneiros do Amor, Capítulo 11

Capítulo 11: Confidências

*10 de Janeiro de 2014*

George voltou aos Açores e começou o processo para restituir a Mikel, o seu título de Lord. Não tardou muito para que começassem a surgir pessoas interessadas em ser amigas dele. Como este sabia quais eram as intenções dessas pessoas, ele desabafava muitas vezes com Howl, à noite, quando estavam os dois no quarto.

Ficara decidido que Howl iria retomar os estudos. Apesar dele não gostar muito da escola, Mikel propôs uma troca - Howl retomava os estudos e Mikel colocava-o numa Academia de Futebol para ele poder jogar e quem sabe, realizar o seu sonho. Assim, não tardou muito para que Howl entrasse para o São Miguel Futebol Clube, a equipa principal da ilha. Embora ele fosse um jogador talentoso, a recepção não foi das melhores. Os restantes colegas diziam entre si que Howl só tinha entrado para a equipa porque tinha um bom "padrinho". Começaram a mandar-lhe bocas, a gozar com a maneira dele falar, já que ele era do Continente e não tinha sotaque dos Açores. Quando ele começou a jogar, começaram a acusá-lo de ser um jogador individualista. Rapidamente ele foi colocado de parte e convidado a ficar em casa.

Quanto ao Mikel, este começou a sentir o peso da responsabilidade de ser um Lord. Além de ter reuniões com várias pessoas todos os dias, ainda tinha o trabalho enquanto Chefe dos Conselheiros. Ao fim de algum tempo, ele apercebeu-se que a guerra não iria terminar tão cedo quanto desejaria. Todos os dias enviava mensagens a Caim e tentava ligar-lhe, mas este nunca atendia nem respondia de volta. Mikel estava muito preocupado. Não tardou muito que a preocupação desse lugar ao desânimo. Era possível que Caim tivesse ficado zangado com ele...


*22 de Fevereiro de 2014*


George e Kojiru partiram para Portugal, na companhia de Acácio. Iam para uma reunião com a Governadora Milú e a filha desta, Jéssica. Era a primeira reunião onde Kojiru e Jéssica iriam participar. Mikel ficara nos Açores a tratar de alguns assuntos importantes. Depois de almoço, ele deu ordens para que todos os empregados tirassem o resto do dia de folga.

- Mas tem a certeza, Lord Mikel? - perguntou Sheila, a Governanta da mansão.

- Sim, só cá estou eu e o Howl, eu preparo algo para o nosso jantar quando ele vier, não se preocupe.

- Muito bem, então com a sua licença... - Sheila faz uma vénia a Mikel e virou costas.

Este foi para o quarto. Algum tempo depois, dirigiu-se à varanda e verificou que todos os empregados se foram embora. Sorrindo feliz, Mikel colocou música bem alto e põs-se a cantar e a tocar instrumentos imaginários. Sentia muitas saudades de tocar música.

*Ao fim da tarde...*

*Nhoc nhoc nhoc*

- Entra!

Howl abriu a porta. Estava ferido no sobrolho e sangrava do nariz. Ao vê-lo assim, Mikel desligou a música e foi ter com ele, entregando-lhe um lenço para estancar o sangue.

- Que te aconteceu?

- Andei à porrada na escola...

- Porquê?

- Eh pá... Eles começaram a pegar comigo porque eu sou diferente deles... Não gostam de mim e eu também não gosto deles! Passam a vida a provocar-me... Eu ripostei! Eles começaram a bater-me e eu parti-lhes a cara...!

Mikel começou a rir-se. Foi à casa de banho buscar algodão, álcool e pensos. Sentou-se à beira de Howl e começando a limpar-lhe as feridas, disse-lhe:

- Eu sei que não é fácil... De facto, nós aqui é que somos os estranhos! Para eles, somos os estrangeiros! Mas também não podes ceder às provocações deles! Senão, só lhes estás a dar razão a eles!

- Então o que faço? Eles tratam-me mal!

- Prova-lhes que tu és bom e mereces estar entre eles! Não és tu que estás errado, mas sim eles ao tratarem-te mal... O mesmo para a equipa de futebol! Se queres realmente conquistar o teu sonho de seres um jogador, tens de lutar por ele!

- Hummmm... És capaz de ter razão...

- Claro que sim! Olha, vamos jantar algo? - perguntou Mikel com um sorriso meigo, abraçando Howl.

- Shim!! Tou cheio de fome!

Mikel e Howl seguiram para a cozinha a rir-se. Num instante, prepararam algo delicioso para comer - bifes com molho de natas e cogumelos, ovos estrelados e batatas frias - um dos pratos favoritos de ambos.

- Olha Howl, já ando há algum tempo para te perguntar..

- O quê?

- Nunca mais falaste na Sophie... O que é feito dela?

Howl pousou os talheres e baixou a cabeça. Os seus olhos castanhos ficaram brilhantes, cheios de lágrimas. Suspirando, respondeu:

- Desde que começou a guerra que nunca mais a vi. Os pais dela fugiram com ela e com os irmãos. Bem tenho tentado comunicar com ela, mas nunca obtenho resposta...

Mikel suspirou. Como o compreendia.

- Gostas mesmo dela, não é?

- Ela é a minha pequena estrela... Sem ela, eu não sou ninguém...

Mikel pegou num lenço para limpar as lágrimas que, teimosas, começaram a rolar pelo seu rosto. Howl virou-se para ele e abraçando-o, disse:

- Olha, vamos tocar uma música? Já faz muito tempo que não tocamos!

- Hum, boa ideia! Vamos para aquela sala de instrumentos que o Kojiru tem cá!

E assim, lá foram eles para a tal sala. Chegados lá, ficaram estupefactos. A sala era maior do que ambos imaginavam e tinha bastantes instrumentos. Ao canto, um piano de cauda. Tinha acesso ao jardim, através de uma enorme janela. Felizes, os dois rapazes pegaram em diversos instrumentos e começaram a praticar. A dada altura, Howl disse:

- Mikel, vamos tocar uma música em memória das nossas famílias e da Sophie? Tenho muitas saudades do meu pai... E tu?

- Tim, boa ideia... Eu tenho muitas saudades de algumas pessoas também... - respondeu mikel, pensando em Caim e em Ángel. Daria tudo para os ter ali do seu lado, agora. Sentou-se ao piano, esticou as mãos e inspirando fundo, começou a tocar, acompanhado por Howl.


[Howl]

Eu ouço o tique-taque do relógio
Enquanto estou deitado no escuro do quarto
Pergunto-me: Onde estás hoje à noite?
Não recebo nenhuma resposta
E a noite passa tão lentamente
Ohhhh, tenho saudades tuas...


[Mikel]

Até agora, sempre contei só comigo mesmo
Nunca me importei até te conhecer
E agora, isso arrepia-me até aos ossos
Como faço para estar sozinho contigo?
Como faço para estar sozinho contigo?


[Howl & Mikel]

Tu não sabes há quanto tempo eu quero
Tocar os teus lábios e te abraçar
Tu não sabes há quanto tempo eu espero
Estou decidido a dizer-te esta noite
Mas o segredo continua a ser meu:
O meu coração continua a ser teu!


[Howl]

Até agora eu sempre contei só comigo mesmo
Nunca me importei até te conhecer
E agora isso arrepia-me até aos ossos
Como faço para estar sozinho contigo?
Como faço para estar sozinho contigo?


[Mikel]

Como faço para estar sozinho contigo?
Como faço para estar sozinho contigo?


[Howl]

Sozinho, sozinho...

[Continua...]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Entrelinhas Direcionadas: Felizes Aqueles Que Sabem Ler Nas Entrelinhas! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS