22/04/2016

Sombras da Luz: Skyfall, Capítulo 9

Capítulo 9: Uma surpresa nunca vem só! Parte 2


[Início da 3ª Fase da história "Sombras da Luz: Skyfall"]


A viagem de Mikel rumo ao futuro começara! Ao entrar no vórtex, ele elevou-se no ar e começou a rodopiar! O seu corpo tornou-se mais leve que o ar! O caminho parecia não ter fim! As voltas tornavam-se cada vez maiores! Ele sentia-se muito tonto!

Então, de repente, escutou uma voz.

[???]

"Deve existir um outro Mundo por detrás de cada amante.
Uma ponte infinda no assoalho.
Um berçário de estrelas.
Vazio.
Profundo.
Na densidade infinita dos deuses.

Lá dentro, está a lente dos olhos.
Dos átomos.
De todas as coisas indivisíveis.
É aí que as Realidades nascem, sorrateiras.
Do que sonhas fugir, baby?"


Ao escutar de ouvir aquela voz misteriosa, o rodopio terminou e ele caiu, perdendo os sentidos. Quando acordou, deu por si num local rodeado de árvores. Estava numa floresta!


Levantou-se.

Começou a observar o local à sua volta. Não reconhecia aquela floresta! Onde seria? Olhou para o céu. O sol já estava a descer. Começou a andar, um bocado zonzo. A viagem tê-lo-ia levado para aonde era suposto?


Não demorou muito para encontrar um caminho de terra batida, que seguia em frente, rumo a um túnel verdejante, bem lá ao fundo. Mikel não sabia há quanto tempo estava a andar, quando de repente, bateu em algo. A princípio, pensou que estaria a sonhar, que seriam efeitos da viagem que tinha feito. Porém, após algumas tentativas frustradas para avançar e chocar sempre contra algo, percebeu o que se passava. Estava perante uma barreira invisível!

- Se isto for obra do teu Eu do Futuro... Mikel, tu saberás como ultrapassar! - comentou Ōkami, através dos lábios de Mikel. - Vá, experimenta!

- Está bem, está bem, vamos lá a ver se resulta! - suspirou Mikel, um pouco agastado.

A viagem tinha-o deixado muito cansado. Consumira muita energia. Concentrou-se e passado algum tempo, começou a fazer alguns gestos e a murmurar, procurando tocar na barreira. Instantes depois, sentiu que esta se abria o suficiente para ele avançar e assim o fez. Após passar a barreira, ouviu esta a fechar-se, atrás de si.

Riu-se levemente.

Pelos vistos, não mudara nesse aspecto com o passar do tempo.

Aos poucos começou a escutar os sons da floresta. Esta, que se tinha mantido até então muito silenciosa, agora parecia retomar à normalidade. O vento soprava por entre as folhas das árvores. Pássaros chilreavam, satisfeitos, há medida que regressavam aos seus ninhos. Mikel parava aqui e ali para contemplar tudo à sua volta. Era de facto uma floresta muito bonita e luxuriante. A dada altura, sentou-se junto a um riacho. Precisava de descansar um pouco. O tempo começava a arrefecer. Estava ele a ponderar criar uma fogueira ali mesmo, quando sentiu um objecto frio nas suas costas e uma voz, que ordenou:

- Mãos ao alto!

Mikel ficou assustado! Não tinha dado por nada! Obedecendo, levantou as mãos, que foram de imediato amarradas. Alguém lhe colocou uma venda nos olhos.

- Espera lá... Quem és tu? Porque estás a fazer-me isto?

- Aqui, quem faz as perguntas sou eu! Como conseguiste passar a barreira? Deves ser um demónio daqueles malditos! Toca a andar e nada de brincadeiras, senão disparo!

Mikel não percebia nada! Não reconhecia aquela voz. Quem seria?

- Olha, eu não sei o que se passa... Mas posso explicar...

- Guarda as tuas explicações para mais tarde! Continua a andar, sempre em frente! Já estamos quase a chegar!

Passada meia hora chegaram a um local, onde pararam.

- Aguarda aqui. Vou chamar uma pessoa para te ver! Não tentes nenhuma graça, porque não hesitaremos em disparar!

Mikel acenou com a cabeça, sentando-se. Minutos depois, ouviu os passos de duas pessoas a aproximarem-se. A voz da pessoa que o tinha capturado exclamou:

- É ele!

Uma segunda voz, mais familiar, respondeu:

- Caramba! Tinhas razão! Vamos tirar as teimas! Desaparece daqui, demónio!

Ao dizer estas palavras, lançou uma bacia de água sobre Mikel. Este começou a tossir.

- Ei! Então? Esta porra está gelada!

- Hummm... Não aconteceu nada! Ele não é um demónio! Tira-lhe a venda, quero olhá-lo nos olhos! - exclamou a segunda voz, surpreendida.

- É pra já! - respondeu o dono da primeira voz, tirando a venda que Mikel tinha sobre os olhos.

Mikel estava estupefacto! Estava sentado em frente de um casarão!

A casa tinha dois pisos. Estava construída num alto, mesmo em frente a um lago. Tinha várias frentes, cada uma virada para um lado do lago. Toda a casa era feita em madeira, mas via-se que era bem construída e estava bem protegida. No piso inferior, tinha pilares rodeados de pedra e a fachada principal também. Os vidros eram espelhados e não deixavam ver lá para dentro.


- "É um casarão e pêras!" - pensou Mikel.

- Pois é... - respondeu a voz, atrás de si.

- É incrível! Afinal... quem és tu? - perguntou um homem, que mirava Mikel, com um ar completamente estupefacto.

Este abriu a boca de espanto! À sua frente estava o seu Eu do Futuro! Só podia ser! O seu Eu era muito parecido com ele. A maior diferença residiria nos cabelos, que no seu Eu do Futuro eram mais compridos e em tom castanho-avermelhado. Estava mais magro, mas fora isso, parecia que o Tempo tinha sido simpático para com ele. Ainda mantinha um olhar vivo e expressivo, mantendo um rosto jovem.

- Bem... Eu...

- Então?

- Eu sou tu... E tu és eu... - começou Mikel, não sabendo por onde começar.

- Isso não me diz grande coisa... - comentou Mikel do Futuro, com olhar desconfiado.

- O que nós queremos saber... É como é que tu conseguiste chegar até aqui. Passaste a barreira! E ninguém devia conseguir fazê-lo sem a nossa autorização! - exclamou a segunda voz, aproximando-se de Mikel do Futuro.

Mikel olhou para a pessoa que falava. Ficou admirado! Era um rapaz... Ou seria uma rapariga? Era um ser invulgar! No alto da cabeça tinha duas orelhas de gato e, ao fundo das costas, uma cauda! Deveria ter os seus 16/17 anos. Baixinho, de cabelos escuros compridos e olhos verdes. A sua pele era clara e tinha um ar andrógino. Quem seria?

- Bom... - recomeçou Mikel. - Eu sei que isto vai soar esquisito... Mas... Eu venho do ano 2018. Quanto à barreira, eu também sei como se criam barreiras assim, por isso não me foi difícil de abrir uma brecha e entrar... Afinal, foi no meu tempo que tu aprendeste a fazer estas coisas...

- Estou a ver, estou a ver... Então e podes dar-me provas de que de facto tu és eu? Por certo saberás coisas sobre mim que mais ninguém saberá, ah ah ah ah! - comentou Mikel do Futuro, entre risos.

Mikel ficou a ponderar, olhando para eles. Conhecendo-se bem, sabia que teria de ter cuidado com as respostas, caso contrário, Mikel do Futuro não se acreditaria nele. Se fosse com ele, teria feito exactamente a mesma coisa.

- Eu não sei por onde começar, mas...

- Vá lá, não deve ser tão difícil assim!

- Está bom... Então... Aqui vai... Quando eras bem pequeno, tivesse uma cadela pastora-alemã chamada Lassie. Ela não deixava ninguém aproximar-se, a não ser tu. Ela adoptou-te como sua cria e por isso, deixava-te fazer trinta por uma linha! Chegaste a ir para a casota dela dormir!

Mikel do Futuro começou-se a rir!

- Ah ah ah ah! A Lassie... Sim, isso é verdade! Mas... Tu podias ter sabido disso porque alguém te contou... A avó contava essa história às pessoas...

Mikel retorquiu.

- Sim, lá isso é verdade. Mas que eu me recorde, a avó nunca contou que a tivemos de mandar abater um dia, porque ela estava doente e a sofrer. E que fomos na carrinha do avô levá-la ao veterinário e que ao virmos embora, estávamos os três muito tristes....

Mikel do Futuro suspirou. O seu ar ficou mais sério.

- Continua. Diz-me mais coisas.

- Quando tinhas 17 anos, tiveste um grande desgosto. Tentaram separar-te do Nuninho... Nessa fatídica noite, choraste imenso abraçado a ele... E dedicaste-lhe uma música...



Mikel do Futuro olhou para o Mikel do Passado. Estava lívido.

- Pois foi... Dediquei-lhe a Miss You Nights, do Dobie Gray - respondeu, sentando-se ao lado de Mikel. - Consegues dizer-me mais alguma coisa?

- O Ángel pediu-te em casamento no dia 25 de Janeiro de 2010...

- Awww...! Mas isso é do conhecimento geral! - exclamou Mikel do Futuro, sorrindo feliz. - Para nós foi um dia mesmo especial, fizemos questão de o tornar memorável!

- Ele pediu-te em casamento eram... 21 horas e 24 minutos...

Desta vez, Mikel acertara na muge! Por esta é que o seu Eu do Futuro não estava à espera! Levantando-se surpreso, mas satisfeito, começou a bater palmas:

- Bem, bem, bem! Essa informação só nós os dois é que sabíamos! É incrível! Tu és mesmo eu! - exclamou, começando a chorar emocionado.

O rapaz ao seu lado chorava também. Aproximando-se de Mikel, desamarrou-lhe as cordas que o mantinham com os braços presos. Mikel começou a massajar os pulsos. Era um alívio estar solto! Mikel do Futuro colocou um braço sobre o ombro de Mikel.

- Desculpa lá tudo isto... Eu não sei como é que é o teu Mundo em 2018, mas este, em 2038, é muito mau. Muito mau mesmo! Vamos para dentro, vou dar-te umas roupas para vestires! Deves estar gelado! Renge, podes preparar um chá para o nosso convidado? - inquiriu Mikel do Futuro, convidando Mikel a entrar na casa.

- Sim, é para já! - respondeu o rapaz, com um sorriso, entrando em casa.

- Eu vou buscar umas roupas para ti. Senta-te ali na sala, em frente da lareira, para te aqueceres, está bem?

- Claro. Obrigado!

E assim, Mikel entrou numa sala da casa. Sentou-se à lareira. Ah! Como era agradável aquele calor! Não tardou muito para que o rapaz aparecesse com o chá e Mikel do Futuro com roupas.

- Toma, isto deve servir-te. Podes ir ali à casa de banho trocar essas vestes. Nós ficamos a aguardar por ti, para tomarmos um chá!

Mikel dirigiu-se a uma das casas de banho do casarão. Tal como o resto da casa, estava mobilada com gosto. Tinha uma janela para o lago!

- "Deve ser muito relaxante tomar banho aqui, com esta vista...!" - pensou.

  Trocando de roupas, dirigiu-se à sala, onde Mikel do Futuro e o tal rapaz chamado Renge o aguardavam.  


- Senta-te, senta-te! Está à vontade! Então... O que te traz até aqui? Fizeste uma Viagem no Tempo! Nós ainda estamos assim chocados, por assim dizer, com essa novidade!

Mikel riu-se levemente.

- Pois, acredita que eu também estaria a sentir-me assim, se fosse o caso! É uma longa história...

- Nós temos todo o tempo do mundo, ah ah ah ah!

- Bom, então aqui vai... O Ángel e eu ficamos noivos naquela noite. Desde que nos conhecemos, fomos sempre muito felizes. Lá tínhamos as nossas quezílias, de vez em quando, como qualquer casal, mas o amor que nutríamos um pelo outro era mais forte. Infelizmente, três meses e meio depois de termos ficado noivos, o Ángel foi atropelado com gravidade. Não resistiu aos ferimentos, nem à hemorragia interna que sofreu. Eu passei muito tempo em sofrimento, acabando por ficar doente. Tanto, que no final desse maldito ano, também estive às portas da morte. Recuperei, aos poucos, a minha saúde e com o passar do tempo, vivi novos amores, embora o Ángel tenha-me marcado de uma forma extraordinária. Nunca o esqueci.

Mikel do Futuro e Renge emocionaram-se. Mikel prosseguiu.

- As coisas no ano 2018 estão a ficar más. Um mal desconhecido está a perturbar o Planeta Terra e é uma séria ameaça para o Universo. Eu estive reunido com os Mestres Ascensos, com Hórus e até com os Senhores do Tempo. Foram eles que me permitiram viajar até aqui, para que eu pudesse rever o Ángel... Eles disseram que, de todas as realidades, esta era a única em que eu/tu e ele se mantinham juntos e continuavam vivos... Foi por isso que eu vim até aqui...

- De facto, assim é... Eu e o Tenshi estamos juntos. - murmurou Mikel do Futuro, com um sorriso enigmático.

- Então... E quem és tu? - perguntou Mikel, enquanto bebia o chá, olhando para Renge.

- Eu sou Renge, o filho do papá Yusuke e do papá Tenshi! - respondeu Renge, visivelmente orgulhoso.

Ao ouvir aquilo, Mikel deu um pulo!

- O quê? Tu és filho deles?!?

Mikel do Futuro aproximou-se de Renge e deu-lhe um beijo na testa.

- Ah ah ah! É verdade! Quando nos casámos, eu e o Kit-chi decidimos adoptar novos nomes. Eu passei a chamar-me Yusuke e o Ángel passou a chamar-se Tenshi. E... Depois de vários acontecimentos... Passados alguns anos... Tivemos o nosso filho!

- Mas... Como? - Mikel estava completamente surpreendido!

- Sabes... Recordas-te de como o Kit-chi gostava de "brincar" no jardim? Pois bem, um belo dia, nós pedimos a Hórus se nos poderia conceder a graça de termos um filho. Ele concordou, dizendo que para tal, teríamos de ofertar os nossos néctares a uma flor... Fizemos isso no canteiro das rosas. E assim, passado algum tempo, nasceu o nosso menino, o Renge! - rematou Yusuke, abraçando Renge, visivelmente feliz.

- O canteiro das rosas... - sorriu Mikel.

Aquilo trazia-lhe boas recordações. Yusuke prosseguiu.

- Sabes? Antes de termos o Renge, nós adoptamos uma menina, chamada Sarah.

Yusuke levantou-se e foi buscar um álbum de fotografias. Abriu-o.

- Aqui está.


Mikel pegou no álbum. Renge sentou-se ao lado dele. Na foto, estava uma menina de cabelos loiro-acastanhados e olhos no mesmo tom. Na legenda da fotografia estava escrito:

"Sarah - Outubro de 2015"

- Awww...!

- Aqui está...! Tiramos essa foto pouco antes de viajarmos para Paris... Infelizmente, semanas depois, houve atentados terroristas em Paris e a nossa filha... Ela... Ela foi uma das vítimas dos atentados!

Mikel olhou para Yusuke, chocado!

- Que horror! Lamento imenso!

- Foi um grande choque, sim. Nós demoramos a fazer o luto. Foi aqui, nesta altura, que o nosso Mundo começou a entrar em desgraça. Os atentados terroristas passaram a ser muito frequentes, sabes? Tivemos de nos mudar, até porque a situação em Portugal degradou-se bastante... E em Espanha também. Muitas vidas têm-se perdido ao longo destes últimos 20 anos. A população mundial ficou reduzida a cerca de metade, só para ficares com uma ideia!

- Caramba! Mas... Ninguém os trava?

- O problema foi o Mal que tu mencionaste e que chegou à Terra em 2018. Esse Mal aliou-se aos terroristas e juntos, semeiam o pânico e o terror por todo o lado. Como te disse, tivemos de fugir. Acabamos por encontrar este local e temos vivido aqui desde então. Quando sentimos que estávamos prontos para ter um filho, ultrapassado o luto, falamos com Hórus e ele concedeu-nos a graça de termos o Renge.

- Vocês têm um filho bem bonito! Parabéns! - exclamou Mikel.

Ele estava perdido no meio de tantas emoções. Por um lado estava feliz, porque Yusuke e Ángel se mantinham juntos. Por um lado estava triste, pela morte prematura de Sarah. Por outro lado, sentia-se com ciúmes e injustiçado, já que ele sempre sonhara em ter um filho com Ángel.

- O Tenshi está a dormir. Queres vê-lo? - perguntou Yusuke, levantando-se.

- Ohhh...Deixa estar...! Se ele está a dormir, não vamos incomodá-lo!

- Não vais incomodar, acredita... - comentou Yusuke, convidando Mikel a segui-lo.

Intrigado, Mikel seguiu atrás de Yusuke. Subiram umas escadas e atravessaram um corredor. As portas estavam todas fechadas.

- O Tenshi está aqui. Podes entrar! - sussurrou Yusuke, abrindo uma porta devagar.

Mikel entrou.

O que viu deixou-o petrificado! Ángel estava dentro de um cristal! Não mudara muito. Estava magro, mais magro do que aquilo que Mikel se recordava. O seu olhar estava vazio. Não via mais aquele brilho que sempre o encantara. Ángel mantinha os cabelos compridos, num tom loiro-escuro. Encontrava-se desnudado e um dos seus braços estava preso por uma corrente, dentro do sinistro cristal!


- Mas...! Mas...! Mas que raio de porra é esta?!? - gritou. - Ángel!!!

Correu para junto do cristal. O cristal brilhava intensamente, entre o azul e o verde fluorescente.

- ¡Kit-chii!! ¡Soy yo! ¡Juan! ¡Oka-chi! ¡Tu Oka-chi, amor!

Yusuke e Renge observavam, da soleira da porta. Nenhum deles queria perturbar aquele reencontro.

- O Tenshi foi vítima do Mal que assola a terra, João... Ele foi amaldiçoado e agora está dentro da Prisão de Crystal. Este Mal anda à procura dos seres vivos que possuem poder divino. O Tenshi salvou o nosso filho de ser capturado... Mas ao fazê-lo, foi amaldiçoado e está preso dentro do cristal desde então... Faz agora 7 anos...

Ao dizer isto, Yusuke começou a chorar. Renge abraçou-se ao pai, a consolá-lo. Por sua vez, Mikel, completamente desvairado, começou a dar murros no cristal.

- ¡Kit-chi!! ¡Habla conmigo! ¡Zorrito, soy yo! ¡Oka-chi! ¡Tu lobito amado!

- Não adianta, João... Eu já tentei inúmeras vezes... O cristal não parte, não cede a nada! Ele é feito de um material muito resistente, chamado Phlebotinum! É esse material que permite aos seus prisioneiros manterem-se vivos!

Mikel gritou.

A dor que sentia no coração era tremenda! Por momentos, sentiu-se reviver a trágica noite em que Ángel havia morrido. Transtornado, pegou numa cadeira que estava ao lado do cristal e atirou-a com toda a força contra o cristal. A cadeira desfez-se em pedaços. O cristal, por sua vez, nem um risco tinha. Continuava em perfeitas condições.

Sentindo-se derrotado, Mikel começou chorar e a perder as forças, segurando o cristal com as forças que lhe restavam.



[Mikel]

O meu sonho que me trouxe até este lugar...
Esse sonho, desapareceu!
O Presente está marcado pelo Silêncio e pela Saudade
O meu sonho não chegou à realidade...

Dormirei por entre as brumas,
Sonharei que vou chegar,
Ao Destino onde um dia,
O meu Coração, me levar!

E os despojos, da minha alma,
Quem os vai recolher?
Como uma pluma,
Que baila no vento,
Assim eu quero viver!

A Eternidade,
Vem aí para me chamar...
Quero o teu Amor,
Mas o Amanhã não vai chegar...

Yusuke foi ter com Mikel e abraçou-o a chorar. Renge, que os observava na soleira da porta, aproximou-se pé ante pé. Abraçando-se aos dois, começou a chorar copiosamente. Naquele momento, Mikel, Yusuke e Renge sentiam a mesma dor.

[Continua...]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Entrelinhas Direcionadas: Felizes Aqueles Que Sabem Ler Nas Entrelinhas! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS