Sombras da Luz: Despertar, Capítulo 3

Capítulo 3: Pânico no Jardim dos Deuses!


Ángel sentou-se e deu ordem aos restantes Principados para fazerem o mesmo. Eles obedeceram e os restantes deuses, deusas, ninfas e outras criaturas mitológicas ali presentes fizeram o mesmo. Chibi começou a correr atrás de borboletas, divertido, perante o olhar atento de Vesta.

- Muito bem, então queres saber a verdade. Pois bem, aqui vai ela... Como já percebeste, meu caro Hórus, eu, o Ángel, não sou bem aquilo que tu imaginas. Na verdade, nem sou quem que o Mikel imagina. E queres saber a melhor? O próprio Mikel tem o conhecimento divino disto! Mas, neste momento, por se encontrar na Terra, tal conhecimento é-lhe negado... E ele está a viver o plano divino que criou comigo.

Hórus olhou confuso para Ángel! Que homem tão enigmático! Ángel já não tinha mais os 19 anos que tinha quando partira da Terra. Tinha agora 30 anos, assim como todos os restantes Principados. Mas que raio de história era aquela do Mikel saber de tudo e ao mesmo tempo, não saber? E aquilo de viver o plano divino? Mas que raio?

- Eu consigo ler-te os pensamentos, meu querido amigo! Eu sei que parece confuso, mas uma coisa de cada vez. Vá, deixa-me explicar-te tudo como deve ser. Se depois tiveres dúvidas, eu volto a explicar-te até entenderes. É importante que compreendas.

- Porquê? - perguntou Hórus, franzindo o sobrolho.

- A seu tempo saberás a resposta a isso... - replicou Ángel. - Bom, como te estava a dizer...

- Já lhe explicaste tudo, Ángel? - perguntou Chibi, instantes depois, regressando animado, com algumas borboletas poisadas nas mãos.

- Ainda não, Chibi-Sama! Lamento muito!

Chibi colocou as borboletas sobre algumas tulipas e disse:

- Oh, não tem mal, é natural que existam muitas dúvidas por esclarecer. Mas vá, despacha-te que temos mais assuntos para falar com os nossos amigos.

Ángel assentiu com a cabeça e com um ar sério, recomeçou:

- Certo. Então é assim. Eu sou o Destino Personificado. Cada um dos Principados representa algo Divino, importante para a Harmonia do Universo. Quando o Mikel aceitou o plano divino dele, ficou combinado que eu iria reencarnar na Terra durante algum tempo, juntando-me a ele. Desta forma, eu iria ajudá-lo a despertar e ele iria ajudar-me também a concluir a minha missão. Ele não sabe disto, já que neste momento não tem acesso às suas verdadeiras memórias, porque as memórias divinas só as recuperará quando regressar a este Lado do Véu.

- Mas então... O vosso amor... Ele esteve apaixonado por ti...! E tem estado a sofrer por ti...! Todo este tempo?!? - retorquiu Hórus, indignado.

- Tudo isso faz parte do Plano Divino dele. Posso dizer-te que ele está a cumprir o seu Plano Divino com muito sucesso. O Mikel nem sequer é humano, tal como tu sabes... Ele descobrirá a verdade muito em breve.

- Então? - inquiriu Hórus.

- A seu tempo tu também saberás essa resposta, meu caro amigo... E, para terminar a conversa, quero dizer-te em nome de todos os Principados e do próprio Chibi que, se batemos em retirada, foi porque as coisas estavam realmente más para o nosso lado. - rematou Ángel, recuando e colocando novamente o capuz sobre a cabeça.

Seguiu-se um enorme burburinho entre a plateia. Todos cochichavam uns com os outros. Hórus foi ter com Anúbis e perguntou-lhe em voz baixa o que é que ele achava disto tudo.

- Ele é definitivamente o rapaz da outra vez. Porquê que nos iludiu também não sei, mas é ele. Ele está a dizer a verdade. Alguma coisa muito séria está a passar-se para termos sido chamados, acredita. - respondeu Anúbis.

Chibi deixou-os falar à vontade. Quando todas as conversas começaram a esmorecer-se, por falta de respostas, ele sentou-se na chama do Fogo Sagrado. Por alguns instantes, parecia que ia arder, quando de repente, começou a levitar e a sua voz se fez ouvir lindamente, por todo o Jardim.

- Meus queridos filhos e minhas queridas filhas. Lamento ter-vos causado estas confusões todas. Sei que vocês devem estar confusos com estas mensagens que estavam a ser dirigidas entre Hórus e o meu Principado da Chama Verde. No entanto, ambas as histórias estão relacionadas. Esta, que acabaram de assistir e a conversa que me levou a anunciar e a convocar o concílio.

Alguns deuses começaram a bater palmas e outros a dizer: "Até que enfim, vamos saber o que se passa!" e "Já não era sem tempo!". Chibi riu-se.

- É tão bom descer a esta vibração. Vocês são tão parecidos com os humanos. Assumem muitas características deles. Apraz-me muito isso, sabiam? Demonstra o caminho que até os deuses devem percorrer para chegar ao Divino. É uma óptima forma de recordar que o caminho é constante! Bom, mas não foi para vos dar um sermão que vos convoquei, nada disso. Como já falaram entre vocês logo no início e já ouvi dizer enquanto fui passear pelo Jardim, correm rumores sobre uma energia desconhecida que anda pelo Universo, sem controlo...

Todos os presentes colocaram-se em alerta máximo, bastante atentos ao que Chibi iria dizer a seguir.

- E têm toda a razão. Esta energia é ainda desconhecida, ataca quando menos se espera, não tem rasto, não tem qualquer forma de presença identificável, não sei como foi criada, nem por quem. Só sei que ela é extremamente perigosa e que absorve o poder de todas as criaturas que encontra pela frente. Imaginem o pesadelo que será se esta energia se cruzar no caminho das Potestades e estes por acaso a dominarem, ou vice-versa. Estamos a correr um sério risco.

- Até nós, deuses? - perguntou Apolo, com um ar sério.

- Até eu, meu querido filho, até eu... - respondeu Chibi, com uma expressão preocupada.

Todos começaram a falar e a debater ao mesmo tempo, bastante preocupados. Do nada, ouviu-se um som semelhante a rasgar algo, passos e de repente...

...começou o pesadelo! Uma energia em forma de ectoplasma ia sendo lançada em todas as direcções, por dois vultos que abriram uma brecha do Outro Lado do Véu e cantavam uma arrepiante canção:



[???]

Pé ante pé, através da janela,
Pela janela, que é onde eu estou...

Vem, pé ante pé, através das tulipas, ter comigo!
Ohhhh, pé ante pé, caminhamos por aqui,
No Jardim Sagrado dos Deuses!

Vem, pé ante pé, através das tulipas, ter comigo!
Se estivermos ajoelhados em flores, vamo-nos desviar!
Vamos manter os chuveiros à distância!

E se eu te beijar no jardim, sob o luar
Tu vais-me perdoar?
Vem, pé ante pé, através das tulipas, ter comigo!


Por todo o lado, viam-se deuses e deusas a correr desesperados, para fugirem dali, mas não havia fuga possível! O Jardim dos Deuses havia sido selado pela estranha energia em forma de ectoplasma! Aos poucos, todos eles estavam a ser transformados em estátuas de pedra, aos quais o estranho ectoplasma sugava os poderes!


[???]

Se estivermos ajoelhados em flores, vamo-nos desviar!
Vamos manter os chuveiros à distância!

E se eu te beijar no jardim, sob o luar
Tu vais-me perdoar?
Vem, pé ante pé, através das tulipas, ter comigo!


- Hórus, toma o meu Tridente! Foge! - gritou Neptuno, a dada altura, bastante ferido.

- Ah? Como? Eu não posso fugir! Eu sou um dos deuses da Guerra! - respondeu este, de imediato. Tenho medo, mas não vou fugir! Vou lutar contra esta besta!

- Sempre foste um idiota, até tenho vergonha de ser teu avô... - respondeu Anúbis, com um sorriso no rosto. Neptuno tem razão! Tens de fugir, tu és dos poucos que pode fazer algum coisa por nós!

O estranho ectoplasma chegou aos Principados! Chibi desapareceu instantaneamente! Vesta foi atingida por um raio vermelho lançado pelos vultos que observavam tudo da brecha que tinham aberto entre as dimensões! O Fogo Sagrado que ela colocara no centro do Jardim dos Deuses começou a extinguir-se. Neptuno, que se encontrava bastante ferido mas ainda lutava, corajosamente, foi atingido por um segundo raio vermelho, lançado pelos misteriosos vultos! Com um enorme esforço, lançou o seu Tridente a Hórus e sussurrou:

- Por favor... Leva o meu Tridente ao meu filho... Ele vive na Terra... O Mikel sabe quem ele é... Por favor... Ajuda-os... O Universo inteiro corre perigo...

Hórus estava chocado! Ao pegar no Tridente de Neptuno, decidiu lutar contra aquela estranha criatura sem forma.


- Maldita coisa! Pára de destruir os meus amigos! Morre, seu monstro! - gritou, virando-se para o ectoplasma que começava a preparar-se para absorver Neptuno!

O ectoplasma transformou-se num vulto negro, encapuçado e aplicou um valente murro no peito de Hórus, que ficou com as marcas de uma queimadura azeviche na pele, na zona do impacto. O impacto foi tão forte que este voou literalmente 20 metros para trás, embatendo contra os pilares de uma fonte. De imediato perdeu os sentidos.

- Neto idiota e inconsequente! És sempre o mesmo! - resmungou Anúbis, teletransportando-se para junto de Hórus. Nunca vi ferimentos assim... Não podes morrer aqui, meu neto... Tens de salvar-nos deste Inferno! Virando-se para um grupo de cavalos alados que se preparava para descolar e tentar fugir, gritou:

- Árion! Salva-te e leva o meu neto daqui para fora! Ele precisa de ser visto pelos Mestres Ascensos! Depois, deverá entregar o Tridente de Neptuno ao filho dele, o Mikel! Posso contar contigo?

- Claro que sim, senhor! Com todo o gosto! - respondeu Árion, ajeitando-se para que Anúbis colocasse Hórus no seu porte e segurando o Tridente de Neptuno entredentes.

- Então vai, meu jovem! Salva-te e salva o meu neto! Fico em dívida para contigo! - rematou Anúbis, abrindo uma nova brecha no Jardim com o seu Bastão, directamente para o Espaço.

- Aqueles vão fugir! - gritou um dos vultos, apontado para Árion e Hórus.

- Deixa lá, no estado em que estão, não vão longe, ah ah ah ah! - respondeu o outro vulto.

[Continua...]

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal