Sombras da Luz: Despertar, Capítulo 13

Capítulo 13: Incertezas


*31 de Maio de 2018*

Mikel estava de volta a Portugal. Depois de se despedir de Razor, uns dias antes, tivera dificuldades em se manter em Sevilha. Sentia-se um bocado perdido e desnorteado. Não sabia o que fazer, nem por onde começar. Aborrecido, foi para a cama fazer uma sesta. Acordou, horas depois, com o estrondo de um trovão enorme.

- "Fodasse, deve ter caído aqui perto!" - pensou, estremunhado.

Levantou-se para ir ver à janela ver o tempo. Estava um dia cinzento, de chuva forte, vento e trovoada. Parecia mais um dia de Inverno do que um dia de quase Verão. Desceu as escadas e dirigiu-se para a sala, ligando a televisão.

Sentia-se sozinho.

Levantou-se e foi preparar um chá. Quando voltou, deu com uma repórter a anunciar que havia sido lançado o Alerta Vermelho de mau tempo para aquela região, devido a uma súbita tempestade que surgira, embora os meteorologistas não soubessem explicar como.

Intrigado, Mikel acabou de tomar o chá e activou as suas "defesas". Não muito longe dali, detectou uma enorme força de energia, que estaria a provocar aquele temporal intenso!

- Este temporal... Esta energia... Isto é-me familiar! - comentou Mikel para consigo mesmo, arrepiando-se de seguida!

Invocou Ōkami, Light e Rá. Munido com as suas criaturas, meteu-se num carro que tinha alugado e dirigiu-se para o local onde estava a fonte de energia, quinze quilómetros a sul do local onde se encontrava.

Chegado lá, deparou-se com um cenário catastrófico: ventos ciclónicos rodopiavam sobre o mar, formando enormes trombas de água. Nuvens negras, mais negras que o mais negro dos carvões, rodopiavam à volta de um nevoeiro intenso, que se abateu sobre o local.

O mar enraivecido lançava ondas com mais de 10 metros sobre a praia e contra as rochas. Os trovões ali eram ainda mais estrondosos! Relâmpagos cortavam o céu tempestuoso inúmeras vezes, até que por fim, Mikel pode ver onde estava a causa do fenómeno - um rapaz com uma aura azul-aqua flutuava no ar rumo ao céu... Cantando uma melodia... Uma estranha, porém familiar e triste melodia...

- Não é possível! Ele está...! Ele está a abrir o Portal para o Outro Mundo*! - exclamou Mikel, impressionado, concentrando a sua energia e abrindo as suas próprias asas!

* Nota do Autor - [ver "Vírgulas do Destino: Prisioneiros do Amor" Capítulo 7 e Capítulo 15]

De imediato, ele começou a cantar também, não reparando em 4 vultos que observavam tudo, escondidos atrás de uma rocha.



[Mikel]

Quero bater as minhas asas brancas,
Até um raio de luz...


Um dos vultos exclamou, surpreso:

- Ohhh! Quem é que está a cantar? É o Lord Mikel?


[Mikel]

Mas este céu lá bem no alto,
Já não me seduz...


[Mikel & ???]

Junto a esta chuva fria,
Que me cobre o coração...
Regresso à solidão...
(À solidão...)

A memória ecoa à distância,
Como um grito de dor!
Um grito de dor...!

Hoje as trevas são a minha infância.
E o futuro será o que for!

Dormirei por entre as brumas!
Sonharei que vou chegar!
Ao destino onde um dia,
O...
...Meu coração, me levar!

E os despojos,
(E os despojos),
Da minha alma,
(Da minha alma),
Quem os vai recolher?

Como uma pluma,
Que baila no vento...
Assim eu quero viver!


Os ventos sopravam cada vez mais fortes! De repente, os 4 vultos perdem os seus capuzes e virando-se uns para os outros, comentaram entre si:

- Esta voz que canta, não pode ser!

- É a voz do Mikel!

- Ohhh...Vocês já ouviram mesmo bem? Tem uma voz tão triste!!

Uma das misteriosas personagens rematou:

- Vamos embora, temos de informar os outros sobre estas novidades! Já sabemos onde está o Lord Mikel! Vamos!

E assim, os 4 seres desapareceram em menos de nada, enquanto Mikel se concentrava o mais que podia para evitar uma catástrofe! O rapaz prosseguia a estranha cantilena, voando cada vez mais alto, decidido a atingir o seu objectivo!



[???]

A memória ecoou à distância,
Como um grito de dor!

Hoje as trevas são a minha infância,
E o futuro será o que for!

Dormirei por entre as brumas!
Sonharei que vou chegar!

Ao destino onde um dia,
O...


[??? & Mikel]

...Meu coração, me levar!


[???]

E os despojos da minha alma,
Quem os vai recolher?
Como uma pluma,
Que baila no vento,
Assim eu quero viver!


[??? & Mikel]

Assim a minha fantasia, não vai acabar!!!
Para todo o Sempre,
O meu Sonho,
Vai-se realizar...!


- Tenho de o impedir! Ele não pode abrir o Portal! Não agora! Tenho de o impedir antes que seja tarde demais! - exclamou Mikel, voando em direcção ao rapaz, que finalmente conseguira abrir o Portal para o Outro Mundo!

- Tu aí! Não vás! Não entres! Por favor, não faças isso! Esse caminho é muito perigoso! - gritou Mikel, desesperado.

O rapaz voltou-se para ele. Ao vê-lo, exclamou, surpreendido:

- Kuma!!!

Mikel olhou para o rapaz com atenção. Este começava a perder as cores das asas, o que significava que estava a morrer!

- OH NÃO!!! KYLE!! AGUENTA-TE!!!

Mikel voou muito rapidamente e aconchegando o rapaz já inconsciente nos seus braços, partiu rápido que nem uma flecha, rumo a sua casa. À medida que se iam afastando do local, a tempestade perdia força até que se desvaneceu completamente.

Chegados a casa de Mikel, este levou o rapaz para o quarto de tratamentos. Lá começou a tratar-lhe as feridas e a curar-lhe os danos mais fáceis, tentando entender o que se teria passado para ele ter agido daquela forma.

De uma coisa Mikel estava certo: aquele rapaz tinha poderes, tal como ele. Conseguira abrir o Portal para o Outro Mundo e parecia desesperado por seguir em frente e abandonar a Terra. Algo de muito grave lhe devia ter acontecido.

Mais calmo e tranquilo, Mikel sentou-se e começou a passar-lhe energia. O rapaz ainda estava inconsciente, mas agora tal facto ocorria por este se encontrar esgotado. Era bastante alto. Tinha cabelos castanhos, ligeiramente ondulados. Começava a ter alguma barba e possuía várias argolas na orelha direita. Continuava magro e elegante, como sempre fora. Mikel já o reconhecera. Já sabia quem era. Tratava-se de Kyle, um amigo que Mikel não via há já bastante tempo. Passados alguns minutos, os níveis de energia de Kyle estabilizaram e este acordou.

- Owwww... Onde estou? - perguntou, ensonado e com voz débil.

- Olá pequeno! Estás em minha casa! - respondeu Mikel, com um grande sorriso! Tinha conseguido salvá-lo!

- Awwww! Não pode ser! Kuma!! - exclamou Kyle, sorrindo feliz e abraçando-se a este.

- Quem diria...! Então tu agora andas a provocar tempestades assim do nada? Que raio de história é esta de tu quereres abrir a porta do Outro Mundo, Kyle? - perguntou Mikel, meio a brincar meio a sério.

Ele era sempre muito frontal quando era preciso. Atrapalhado, Kyle corou e baixou a cabeça. Sentou-se na maca e respondeu:

- Estou farto de viver. Estou farto de mim próprio. Estou farto de ser assim. Ninguém gosta de mim, passam a vida a trocar-me ou a trair-me! Estou farto! Farto! Não quero viver mais! - explodiu, começando a chorar.

Mikel abraçou-o com muito carinho e fazendo-lhe festas na cabeça, sussurrou:

- És um tonto, tu! Tens tantas pessoas que gostam de ti... Os teus amigos, a tua família, os teus fãs... E claro, tens-me a mim também...

- Awwwn... és tão kido, Kuma...!

- Não vais deixar de viver por causa das pessoas que te trocam ou te traem. Essas que te fazem isso, simplesmente não te sabem dar o merecido valor. E aqui entre nós, se não o sabem dar, olha, mais vale que saiam da tua vida assim, do que estarem a criar laços ainda mais fortes e a dor aí ser muito mais insuportável...

- Possa, mas já dói tanto! Achas que é possível doer mais? - inquiriu Kyle, com um olhar de perplexidade no rosto. Os seus olhos cor de amêndoa brilhavam.

Mikel suspirou. Com um meio sorriso, respondeu:

- Sim fofo, a dor é muito sobrevalorizada. Não sabemos a verdadeira dimensão dela até a sentirmos realmente. E isso, meu querido, só quando passamos pelas coisas é que atribuímos o devido valor...

- Dói tanto...! Eu não consigo esquecê-lo! Eu quero morrer, Kuma! - exclamou Kyle, recomeçando a chorar, abraçado a Mikel.

- Não existe um remédio infalível para isso, fofo... Quem me dera poder dizer-te outra coisa, mas o único remédio vai soar-te a cliché: o Tempo cura tudo. É verdade. Levará o seu tempo até te levantares e a curares as feridas que sangram agora no teu lindo coração, mas um dia, ele voltará a ficar unido e brilhante!

- Achas que sim? - perguntou Kyle, desconfiado. - Quem me dera acreditar nisso...

- Vais ver só! Tens de acreditar em Ti próprio! É assim que tudo começa! - respondeu mikel, entre sorrisos.

Um pouco mais animado, Kyle pediu para ver a casa de Mikel. Este mostrou-lhe tudo. Kyle adorou a piscina interior de água quente que Mikel tinha ao lado do jardim. Não tardou muito para que os dois fossem para lá chapinhar e divertirem-se um bocado.

Mikel observava Kyle e apercebeu-se que este se movimentava graciosamente dentro de água. Conseguia mesmo nadar no fundo da piscina e deslocar-se, sem dificuldades para respirar durante quase um minuto debaixo de água. Intrigado, Mikel deixou-se estar ali, entretido a brincar com Kyle, mas a dúvida surgiu-lhe na cabeça:

Estaria ele perante o filho de Neptuno?

[Continua...]

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sexo oral. Porém escrito!

Projecto "Baleia Arco-Íris" [Update]

Animal X Animal