16/04/2016

Sombras da Luz: Despertar, Capítulo 11

Capítulo 11: Recordações


*23 de Maio de 2018*

- Hummm... Tão bom...! - comentou Mikel, entreabrindo os olhos.

- Ainda tenho sono, Majestade... - respondeu Razor, de olhos fechados, com voz ensonada.

- Podes ficar a dormir fofo, não precisas de te levantar... A bem dizer, também não me apetece levantar. Estamos tão bem aqui, no quentinho, não é mesmo? - inquiriu Mikel, deitando-se de lado e recostando a sua cabeça sobre o peito de Razor. Este sorriu e abraçou Mikel, beijando-o.

- É verdade, Majestade...

- Sobre isso... Antes de mais... Razor, pára de me tratar assim. Se eu sou um Príncipe como tu afirmas, ao menos trata-me pelo meu nome... Sempre que me chamas por "Majestade" ou "Sua Alteza", parece que estás a criar uma barreira entre nós... E isso não me agrada... A sério...

- Mas, Príncipe Mikel, é o vosso nome, eu devo tratá-lo assim! É assim que o tratava antes!

- O antes foi antes, Razor. Agora é agora. Ao menos chama-me Mikel. Não desgosto do nome e soa-me familiar, não sei porquê...

Razor começou-se a rir e deu-lhe um beijinho na testa.

- Achais familiar porque é o vosso verdadeiro nome Ma... Mikel! - corrigiu Razor, perante o olhar de reprovação de Mikel que o olhava intensamente.

- E também podes tratar-me por tu, sabes? Se somos assim tão amigos, não precisas de estar com tanta cerimónia, Razor...

- E os protocolos? Se o Rei Gallanos sonha...

- Esse homem é o meu pai, não é? Bem, não me recordo dele, ainda... Decerto será um homem justo e por isso deixar-me-á decidir pela minha própria cabeça, correcto?

Razor estava sem palavras! De facto, o Príncipe estava muito diferente daquilo que conhecera! Para melhor! Completamente fascinado, Razor beijou-o apaixonado. Quando se soltaram, disse:

- Mikel, quero ficar contigo. Vou lutar a teu lado para regressarmos a casa, a nossa casa. E vou pôr-te a par de tudo o que sei, agora. Eu e tu viemos de uma estrela-planeta chamada Spodeth-Alpha. É um local da 8ª Vibração. É por causa disso que as nossas habilidades espirituais são superiores à maioria dos seres que conhecemos.

- Espera lá, Razor! Se nós viemos desse lugar, como é que viemos aqui parar? O Planeta Terra está na 3ª Dimensão! - perguntou Mikel, começando a recordar-se de mais coisas à medida que Razor ia falando.

- Majestade, como viemos aqui parar, isso eu também não sei. O que sei é que Spodeth-Alpha é uma terra enorme. Existem várias tribos que prestam contas aos seus pais, o Rei Gallanos e a Rainha Elinee. Os povos que habitam lá são variados mas todos convivem em harmonia. Todos aceitam-se mutuamente e respeitam-se. Mesmo as Tribos de Lobisomens e de Dragões, que noutras Vibrações foram muito mal-encaradas, em Spodeth-Alpha conseguiram encontrar um local para se estabelecerem.

- Hummm - respondeu Mikel, pensativo, quando de repente...

... Um flash atingiu-lhe a mente como um raio.

Ele estava em frente de um homem de meia-idade, com uma coroa na cabeça e seguido de uma horda de cavaleiros. Não teria mais do que 14/15 anos. Preparava-se para partir. No seu coração, uma dor imensa: queria muito ficar ali! Não queria partir! Não deixar aquela pessoa especial... E de repente... ali estava ela! Era Razor, com 11 anos, a chorar convulsivamente, espreitando a um canto das cavalariças. Mikel saltou do cavalo e correu para ele, abraçando-o.

- Não vá! Príncipe Mikel, por favor, não vá! - suplicava o jovem Razor, entre lágrimas que lhe rolavam pelo rosto.

- Tenho de ir Razor... meu querido Cavaleiro da Lua Eterna...! Como Príncipe do Sol Nascente, é a minha obrigação! Tenho de partir! Por mais que me custe deixar-te! Em breve, juntar-te-ás a mim! Lutaremos juntos contra Garganthis e ficaremos juntos para sempre! Cuida-te, meu pequeno Cavaleiro! Torna-te forte o suficiente para vires ter comigo!

Abraçaram-se e trocaram um beijo.

- Amo-te! - sussurrou Razor.

- E eu a ti! - murmurou Mikel.

Voltando costas, o jovem príncipe dirigiu-se ao seu cavalo, voltou a montá-lo e passados alguns segundos deu ordem de partida! Ele e a horda de cavaleiros seguiram em frente, levantando uma imensa nuvem de poeira ...

- Oh meu Deus! - exclamou Mikel, em estado de choque, levantando-se da cama.

- Que se passa? Aconteceu alguma coisa, Mikel? - perguntou Razor, preocupado, levantando-se de imediato.

Mikel partilhou com Razor o flashback que tinha visto e ao contar-lhe tudo, foi a vez de Razor se emocionar! Era tudo verdade! Após mirar Mikel por uns instantes, uma ideia passou pelo seu espírito!

- Majestade...! Acho que já percebi o que nos aconteceu! - exclamou ele de repente.

- Então Razor? O que achas que nos aconteceu?

- Anos mais tarde, depois desse episódio que Vossa Alteza... Ahrm, que tu relataste, eu próprio alistei-me para as Cruzadas, para partir em busca de notícias tuas! Saber o que te tinha acontecido durante o confronto com o terrível Garganthis!

- E o que aconteceu? Quem é esse Garganthis? - perguntou Mikel, impressionado. Tudo fazia sentido na sua cabeça, à medida que mais flashes surgiam na sua mente.

- Garganthis é um terrível Dragão de 3 cabeças, Alteza... Ele domina as terras que ficam para além do Oceanum Phantanilum, na fronteira com Spodeth-Ómega. Eu não me recordo de que aconteceu após chegar às terras dele, mas recordo-me de ter lá chegado...

- Eu tenho vagas memórias de um céu avermelhado e de um calor sufocante...! - exclamou Mikel. - É isso?

- É o que me recordo também! Depois disso, sei que vim parar à Terra e fui gerado novamente e criado entre humanos. Mas tenho passado os meus últimos anos à tua procura...

- Fogo! Como é que tu sabes disso...? Que vieste parar à Terra e assim?

- A minha mãe é Ártemis, a deusa da Lua. É por isso que tenho acesso a algumas informações privilegiadas! De vez em quando a minha mãe tem saudades minhas e vem visitar-me. Eu aproveito e pergunto-lhe algumas coisas... E ela responde, se as coisas não interferirem no meu livre-arbítrio!

- Estás a gozar! A tua mãe é uma deusa? Vai-te lixar! - comentou Mikel, mal conseguindo acreditar naquilo que ouvia.

- Tenho uma prova, se quiseres ver... - respondeu Razor, com um ar sério. - Terei todo o gosto em mostrar-ta...

- Força, mostra lá, então... - afirmou Mikel, com ar trocista.

Razor saiu do quarto e foi buscar as suas vestes. Ao chegar ao quarto, virou-se para Mikel e explicou que as suas vestes tinham sido feitas de um tecido especial, que permitia albergar imensas coisas dentro, sem que pesasse mais, nem se notasse por fora das mesmas.

- Isso dá muito jeito, principalmente em viagens... - comentou Mikel. - É essa a prova?

- Não, a prova é esta... - rematou Razor, tirando um objecto de dentro da túnica.

- Wow! - exclamou Mikel ao pegar no objecto que Razor lhe entregara.

Era um conjunto de arco e flechas em ouro puro, maciço. As flechas eram leves ao toque e reagiam à energia de Mikel. A ponta era afiada por um material em cristal que Mikel supôs ser diamante. As penas das flechas eram em tons dourados e eram muito fofas. O cabo era comprido, macio e flexível. O arco tinha desenhados e gravuras da deusa Artémis. Cenas de caça em miniatura e alguns dizeres numa linguagem desconhecida, que segundo Razor, era linguagem dos deuses.

- Desculpa ter duvidado de ti, Razor! - exclamou Mikel baixando a cabeça e entregando os objectos de volta ao seu dono. - Nunca imaginei que isto pudesse ser verdade! Esta energia, a poderosa energia que estes objectos emitem, está para além do que eu alguma vez senti... A não ser quando eu tinha a chave que Hórus me deu...

- Majestade - começou Razor, abraçando-o. - Não tens que pedir desculpas. Eu sei que tudo isto é muito confuso. Pelo menos agora, não estamos mais sozinhos...

Razor ia preparar-se para beijar Mikel, só que este virou a cara.

- Desculpa Razor... Mas eu tenho que ser sincero contigo...

- Que se passa?

Mikel suspirou. Triste, contou a Razor aquilo que Hórus lhe contara a si.

- Por isso, resta-me pouco tempo neste planeta. Em breve vou-me embora, nem sei eu para onde, mas duvido que vá para Spodeth-Alpha...

- Não, Mikel! Não! O que vai ser de mim?! Demorei estes anos todos para te encontrar! - exclamou Razor, chocado.

Mikel começou a chorar e com um grande suspiro, continuou:

- Ainda há mais... Durante o tempo que estive cá na Terra, eu vivi um grande amor... E apesar do meu noivo ter morrido em 2010, a verdade é que ainda o amo, ainda penso nele... Depois dele, voltei a viver outro amor, anos mais tarde... E sabes que mais? Também o vi partir, também o perdi...! Razor... Não é justo para ti, eu estar a iludir-te... A magoar-te e a fazer-te acreditar que é possível existir algo entre nós... Por mais que me custe... Eu posso dar-te carinho, mas não te posso dar mais nada... Por agora... Quando estive com Hórus, ele disse-me que o Ángel... É na verdade o Destino Personificado e que veio à Terra numa missão. Ele veio cá para me "Despertar". Enquanto eu não o vir uma última vez... Eu não fico bem...! Compreendes isso? Consegues aceitar isso? Consegues perdoar-me? - rematou Mikel, lavado em lágrimas, abraçando-se a Razor, que chorava imenso também.

- Eu já sabia que ias mencionar isso, meu querido Príncipe Mikel... A minha mãe falou-me deles! Eu próprio também já me envolvi com outras pessoas desde que cheguei a este planeta... Tal como tu... mas sempre mantive a secreta esperança de te reencontrar...!

- Quem me dera que as coisas fossem diferentes, Razor... Acredita que sim...

- Eu sei Majestade... eu sei...

Mikel pegou em Razor pela mão e desceram as escadas rumo a uma salinha no subsolo, onde ele tinha instrumentos musicais. A sala era pequena. Toda preta, com as paredes forradas com algo que impedia o som de se propagar para fora dali. Ao entrarem, Mikel explicou:

- Quando me sinto em baixo, venho para aqui tocar música e cantar. Neste momento, sinto-me um miserável. Estou a magoar-te imenso... Depois de tudo o que fizeste por mim... Eu condeno-me por isso, Razor... Tu não mereces... Mas só faço isto porque não quero fazer-te sofrer...

Mikel sentou-se em frente a um piano e Razor abraçou-o por detrás e beijou-o, dizendo:

- Mikel... Por favor... Não fiques assim... Eu fico mesmo feliz e emocionado que estejas a reagir assim! Para mim, isso quer dizer que realmente eu sou importante para ti! Por favor, Príncipe Mikel... Não te esqueças de mim...

Este desatou a chorar e de repente, começou a cantar:


[Mikel]

Dizem que nada dura para sempre,
Bem, quem dera que isso fosse verdade...
Porque esta dor no meu coração não se vai embora...
Dizem que tudo precisa de mudar,
Dizem que o tempo vai curar tudo...
Bem, eu escutei e esperei por esse Dia...

Mas, eu acordo com esta raiva,
E a dor não me deixa viver em paz.
E o sorriso que mostro
É apenas de aparência!
Se me prender a esta dor
A minha alma não será livre!
Então continuo a tentar,
Mas eu não consigo seguir em frente!

Não consigo seguir em frente!
Preciso da dor para me lembrar!
Não consigo seguir em frente!
Ou apenas repetirei o passado!

E apesar dos teus braços dizerem: sim!
Sinto o meu coração continuar a dizer: não!
Eu quero amar-te!
Mas não consigo seguir em frente...

Já passei por começos ruins,
Já vivi finais infelizes!
Então eu fecho o livro,
Antes que a história comece...

Sou uma testemunha da vida,
Um estranho para os meus amigos!
Sou um traficante
De corações partidos e machucados!

Agora, tu pedes-me para recomeçar
Mas é mais fácil dizer do que fazer!
E as memórias são tão fortes quando chegam!
Quando a dor chega,
Eu nem tento fugir!
Porque é isso que me faz sentir vivo!

Eu não consigo seguir em frente!
Preciso da dor para me lembrar!
Eu não consigo seguir em frente!
Ou apenas repetirei o passado!

E apesar dos teus braços dizerem: sim!
Sinto o meu coração continuar a dizer: não!
Eu quero amar-te!
Eu quero amar-te!
Eu quero amar-te!

Mas eu não consigo seguir em frente!

Não, eu não consigo seguir em frente!

Tu ajudas-me?
Ajudas-me a seguir em frente...?


Razor e Mikel choravam imenso quando este acabou de cantar.

- Oh meu príncipe! Que canção tão maravilhosa! Adorei! Ajudo-te, sim!

- Ainda bem que gostaste, fofinho! Eu tenho coisas para fazer antes de me ir embora deste planeta... Preciso de encontrar o filho do deus Neptuno. Tu, que és filho de uma deusa, já ouviste falar dele? Hórus disse que eu o conhecia!

Razor negou com a cabeça.

- Nunca ouvi falar dele, Mikel... Se Hórus te disse que ele está neste planeta, então certamente vais ter notícias dele! Não desanimes!

- Espero bem que sim! Não faço a mínima ideia de quem possa ser e já não me resta muito tempo... - suspirou Mikel, limpando as lágrimas que teimavam em cair-lhe pelo rosto. Razor beijou-o e seguiram, escadas acima, para o quarto deste, onde se deitaram, abraçados.

Cada segundo contava.

[Continua...]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Entrelinhas Direcionadas: Felizes Aqueles Que Sabem Ler Nas Entrelinhas! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS