25/03/2016

Vírgulas do Destino: Meandros da Vida, Capítulo 3 [PT]

Capítulo 3: O jantar de blogues!

Mikel levou-me até à praia no carro dele. Lá, começamos a correr e a brincar um com o outro. A dada altura, fizemos uma fogueira. Eu fui buscar a guitarra ao carro e, ao tocar uma melodia, rapidamente começamos a cantar, enquanto trocávamos carícias, beijos... E fazíamos amor...



Porque eu nasci, para dizer que te amo
E eu estou dividido entre fazer o que devo fazer
Para te fazer meu
Fica comigo esta noite...

Despido e limpo,
Sinto-me novo, sinto-me fresco
Sinto tanta ambição
Tu e eu, carne na carne!

De cada vez que tu respirares
Enquanto estiveres ao meu lado
Trarás vida às minhas esperanças mais profundas!

Qual é a tua fantasia?
Qual é? Qual é? Qual é? Qual é...?
[Eu sei, tudo o que tu querias, não é tudo o que tu tens...]


*************************

*Lisboa, 25 de Maio de 2013*

- "Boa tarde senhores passageiros. É com prazer que vos informo de que estamos a chegar a Lisboa. Por favor certifiquem-se que não deixam nenhum dos vossos bens no autocarro. Obrigado!"

Acordei atarantado!

- "Hã?? Já estamos a chegar a Lisboa? Foi só um sonho?" - pensei.

- Desculpe, mas como podemos estar a chegar a Lisboa, se ainda agora saímos? - perguntei surpreso, aos passageiros que seguiam no banco da frente.

As pessoas ao meu redor começaram a rir-se. Eu olhava para elas confuso. Quanto mais me interrogava, mais elas se riam.

Olhei pela janela.

Era verdade!

Estava a chegar à Gare do Oriente, a paragem final do autocarro!

lisbon-gare-do-oriente

A viagem a meu ver foi bastante rápida. Parecia ter sido ainda agora que eu e o Mikel nos tínhamos despedido...

Suspirei.

Já sentia saudades dele.

Era uma pena que ele não tenha conseguido vir comigo a Lisboa, ao jantar de blogues. A nossa noite foi muito agradável. Depois de cantarmos à memória do Santiago e do Ángel, eu e o Mikel fomos passear pela cidade, de mãos dadas.

Pousamos as coisas no carro dele e depois ele fez-me uma "night tour", enquanto trocávamos miminhos, beijinhos, carícias e falávamos de tudo e mais alguma coisa. Como começávamos a ficar cansados, o Mikel levou-me para casa dele...

- Caim, bem vindo ao meu humilde lar! Põe-te à vontade! Queres tomar algo, comer alguma coisa? - perguntou ele com um sorriso doce.

- Obrigado fofo! Por mim, o que tu preparares está muito bom! - respondi.

Mikel acenou com a cabeça a rir. Eu pousei as coisas no chão e sentei-me num dos sofás. Ele foi para a cozinha a cantarolar e passado um bocadinho estava de volta, com uma bandeja, recheada com dois copos de cacau quente e bolachas!

- Awwww! - exclamei, rindo-me ternurento.

- A esta hora, nada melhor do que um chocolate quente e bolachas! - respondeu ele a rir, sentando-se ao meu lado e pousando a bandeja à nossa frente.

- Eu adoro chocolate quente e bolachas antes de ir numir, como sabias? - perguntei enternecido.

- Eu também gosto muito! - foi a resposta dele, entre beijos.

Recostei-me no seu ombro direito e demos as mãos. Mikel deu-me um beijinho na cabeça e começou a mexer nos meus cabelos. Ele adorava fazer-me isso e eu também!

Peguei nos copos de leite e entreguei um ao Mikel. Com um sorriso, fizemos um brinde:

- "À nossa!" - exclamamos os dois, antes de entrelaçarmos os braços e o Mikel beber do meu copo e eu do dele.

- Sempre vais ao jantar dos blogs? - perguntou ele, ao fim de alguns goles.

- Sim... Já tenho o jantar pago e o alojamento também... É uma pena que não possas vir... - respondi, um bocadinho triste.

- Eu também queria ir fofo, acredita que sim! Só que surgiu este convite para dar uma entrevista para o Porto Canal e isso é muito importante para mim... - rematou ele, com um sorriso.

Apesar de ficar feliz por ele, porque estava, a verdade é que me sentia triste também.

Suspirei.

Ao ver-me assim tristonho, Mikel deu-me beijinhos no pescoço e nas bochechas. Sussurrando enquanto me abraçava, disse:

- Não fiques assim, fofinho! Eu vou estar sempre contigo. Estarei sempre à distância de uma chamada, de uma sms, de um monitor, de uma visita! Não vamos pensar nisso agora, tim?

Beijamo-nos.

Eu e ele entrelaçamos os dedos e ele conduziu-me ao andar de cima.

- Podes escolher onde queres ficar a numir, fofinho! A minha casa tem 4 quartos!

- Posso dormir contigo? - perguntei, a medo.

Ia ser a primeira vez que ia dormir com alguém depois da morte do Santiago.

Mikel olhou para mim, levemente corado e respondeu:

- Claro que sim! No fundo é o que eu queria também, mas... - Mikel baixou a cabeça, corando ainda mais.

- Eu sei! Eu sei fofo! Eu entendo! - respondi, beijando-o.

Rimo-nos felizes e entramos no quarto dele. Entre beijos e carícias cada vez mais ousadas, despimo-nos e deitamo-nos na cama. Abraçamo-nos, bem enroscadinhos um no outro, a trocar mimos, carícias e confidências. Assim adormecemos, bem agarradinhos, a minha cabeça sob o seu peito, ao nascer do sol.

Perto do meio-dia, o alarme tocou. Faltavam 15 minutos para o autocarro partir!

- Mikel, Mikel! Acorda, fofo! Estou super atrasado!

- Hummm? Já? - resmungou ele, sonolento.

- Tim, fofinho! Daqui a pouco o autocarro parte sem mim!

Ao olhar para as horas, Mikel levantou-se num ápice. Arranjou-se num instante e levou-me à paragem onde eu ia apanhar o autocarro. Enquanto esperávamos, ele tirou o pendente que trazia ao pescoço, ergueu-o para o céu e disse:


- "Hórus Rá Harakhty, meu Guardião e meu Protector, abençoa com a tua luz este objecto! Que ele ilumine o caminho do Caim, a partir deste momento!"

Em seguida, ele colocou o pendente no meu pescoço e sussurrou, pegando nas minhas mãos:

- Uma pequena lembrança minha, para que nunca te esqueças de mim!

- Awwww! Muito obrigado fofinho! - sorri, com uma lágrima ao canto do olho.

Procurei na mochila. Ao encontrar o que queria, entreguei ao Mikel e disse-lhe:

- Espero que gostes! Tenho esta caixinha desde pequenino! Ela acompanha-me sempre!


Mikel deu à manivela e a caixinha de música começou a tocar uma melodia.



- Eu estou...sem palavras! - exclamou ele, com um sorriso que nunca mais acabava. - Muito, muito, muito obrigado, fofinho!

Mikel e eu abraçamo-nos e beijamo-nos com paixão. O autocarro que entretanto chegara, estava prestes a partir.

- Boa viagem, Caim! Foi um prazer conhecer-te!

- Obrigado Mikel...! Muito obrigado por tudo!

Já era quase noite. Como vim no autocarro do meio-dia, acabei por não poder aproveitar este dia para visitar Lisboa, mas não fazia mal. Apanhei o comboio rumo à Amadora. Seria num restaurante perto do local onde ia ficar hospedado por esta noite que ia decorrer o jantar/encontro de blogs. Num instante cheguei ao hotel, fiz o check-in e dirigi-me ao quarto.

Estava cansado.

Deitei-me na cama e agarrei-me à almofada, imaginando que o João estava ali do meu lado, a mexer nos meus cabelos e a sussurrar-me palavras doces no ouvido....

Acordei com o telefone a tocar.

- Peço desculpa Sr. Caim, mas está aqui um senhor a perguntar se vai a um jantar de blogs? - inquiriu o recepcionista, com voz amável.

Olhei para o telemóvel.

Já passava quase 1 hora da hora marcada para o início do jantar!

- Vou sim! Diga que só vou tomar um duche rápido e já desço!

- Certamente! Com licença!

Abri a mochila, escolhi umas roupas e fui tomar um duche rápido. Vesti-me, sequei o cabelo, peguei no estojo com o baixo e lá fui eu! Era a minha primeira vez a participar num encontro destes! O restaurante ficava na rua por detrás do hotel.


Ao chegar lá...

Um homem e uma mulher aproximaram-se de mim, perguntando:

- Olá boa noite! És tu o Thor, o deus nórdico?

- Olá boa noite! Sou sim! E vocês são? - inquiri.

- João Roque e Margarida, os organizadores do evento! Muito prazer! - responderam os dois, cumprimentando-me.

- Estás um pouco perdido, não é mesmo? Não te preocupes! - afirmou a Margarida, com um sorriso. Como te chamas?

- Eu sou o Caim, venho de Espanha!

- Bem me parecia que falavas com um sotaque carregado! - respondeu ela.

Sorri timidamente.

- Põe-te à vontade, eu e o João Roque estamos só a confirmar as presenças e daqui a cinco minutos os jantares começam a ser servidos! Espero que te divirtas! - rematou ela, partindo que nem uma flecha para o meio de uma data de pessoas.

Eu ia olhando à volta e sorria a uns e a outros timidamente. Fiquei espantado com a quantidade de pessoas que ali estavam! Deviam ser umas 50 ou 60 pessoas!

Quase todas eram de Portugal, mas havia algumas que como eu, vinham do estrangeiro! Itália, Espanha, Brasil e até da ilha de Malta! Eu estava estupefacto! Rapidamente me apercebi que a minha atitude era comum - muitas pessoas também circulavam por ali, timidamente, sorrindo e fazendo um pouco de conversa. Devia ser a primeira vez delas num jantar de blogs também.

João Roque apareceu e cumprimentando-me disse:

- Então, estás a gostar? Já ouvi dizer que vens de Espanha!

Assenti com a cabeça e respondi:

- Sim, é verdade! Estive uns dias no norte do país, onde cheguei a conhecer o Hórus Kuma Gwanni, mas ele não pôde vir hoje... Tinha uns compromissos aos quais não podia faltar. Mas ele pediu para dizer que adorava estar presente e que manda cumprimentos para todos!

- Pois, eu entendo - respondeu João Roque, com um ar prazenteiro. Se ele viesse, tínhamos o nosso panteão de deuses da blogosfera completo! - respondeu ele, começando-se a rir. - Bem, espero que estejas a gostar. As senhoras do restaurante vão começar a servir o jantar agora!

- Estou a gostar sim, muito obrigado! - respondi com um sorriso.

João Roque foi anunciar às pessoas que estavam lá fora que o jantar ia ser servido. Eu peguei num prato e ao pegar nos talheres, outro rapaz pegou nos mesmos que eu.

- Peço desculpas! Força! - respondeu um rapaz que, pelo sotaque, percebi que não era português.

- Obrigado! Eu sou o Caim e tu?

- Eu sou o Guze'. Muito prazer! - respondeu o rapaz, cumprimentando-me.

Guze' era alto, magro, de cabelo castanho escuro, muito escuro mesmo, levemente encaracolado. Tinha olhos castanhos. O seu olhar era generoso, brilhante, como aqueles olhares inocentes que as crianças possuem. Curiosamente, deixara crescer a barba. A ele, a barba não tornava-o mais velho. Na verdade, dava-lhe um ar mais adulto, já que tudo nele parecia aparentá-lo mais jovem do que era na verdade. Tinha um sorriso bonito e umas mãos compridas, típicas de artista.

- De onde vens? - inquiri.

- Eu venho da ilha de Malta! Já quis participar no jantar do ano passado, mas como na altura não pude...consegui vir a este! É uma excelente forma de conhecermos os rostos por detrás dos blogs! Só tenho pena que o Gwanni não tenha vindo mas eu vou ter com ele depois de amanhã - respondeu ele com um grande sorriso.

- Tens toda a razão! Eu vim ao jantar para conhecer algumas pessoas que já sigo e leio os blogs há bastante tempo! - afirmei eu.

Palavra puxa palavra, o ambiente tornou-se de imediato muito caloroso. Entre garfadas, todas as pessoas falavam, riam, partilhavam momentos divertidos ou simplesmente dois dedos de conversa.

Depois de toda a gente ter comido [e muito bem], João Roque e Margarida foram até ao centro da sala. Pedindo a atenção de todos os presentes, disseram:

- E agora, vamos passar ao primeiro de dois momentos muito especiais deste nosso encontro!

João Roque tomou a palavra e declarou:

- Queridos amigos e amigas, como sabem, desde há muitos anos que organizo estes eventos. Eles permitem dar-nos a conhecer uns aos outros, além do salutar convívio e das amizades que se criam e fortalecem. Nesta edição, eu e a Margarida organizamos as coisas por forma a tornar a noite de hoje ainda mais memorável! É com imenso prazer que chamo ao "palco" Pedro Xavier!

Toda a gente bateu palmas e um rapaz muito giro "subiu" ao "palco improvisado". Sorrindo timidamente, ele olhou para todos e respirou fundo.

- Olá, boa noite a todos! É um prazer estar aqui entre vocês! O meu nome é Pedro Xavier e a noite de hoje é muito especial para mim, como escritor, blogger e pessoa! Hoje, graças à minha editora, vou lançar o 2º volume da saga "Dois Mundos", uma colecção de livros que eu ando a escrever! - afirmou Pedro Xavier, corado até à raiz dos cabelos.

Toda a gente bateu palmas e algumas pessoas mostravam-se bastante impressionadas!

Pedro Xavier pigarreou e prosseguiu:

- Este segundo volume chama-se "Dois Mundos, Um Destino" e eu gostaria de partilhar com vocês um trecho deste conto. Querem ouvir? - perguntou ele, sorrindo divertido para todos os presentes.

- Sim!!! - gritaram todas as pessoas, fazendo um barulho ensurdecedor!

- Muito bem, então...espero que gostem! - rematou.

Pigarreando uma vez mais, Pedro Xavier pegou no livro e começou a ler:


"- Se quiseres podes dormir um pouco. Eu tomo conta de ti. - disse-me Davis, reparando que o calor e a humidade da sala se tinham juntado ao cansaço das batalhas travadas nesse dia para me deixarem sonolento.

- Vou só descansar um bocadinho. - respondi-lhe.

Davis sentou-se e eu virei-me, deitando a minha cabeça sobre o seu colo, enquanto ele me afagava o cabelo. Estava quase a adormecer quando senti que algo estranho se passava com o meu corpo, o que me despertou imediatamente. Olhei para a minha mão esquerda e assustei-me, levantando-me num salto. Uma mão de energia tinha acabado de se separar da minha mão de carne e osso.

- "Não, mas eu agora não estou a sonhar como antes..." - pensei, percebendo que aquilo tinha sido real, demasiado real."

Toda a gente voltou a bater palmas. Muita gente colocou-se de pé para o felicitar. Muito feliz, Pedro Xavier agradeceu, fazendo uma vénia a todos os presentes. Um senhor alto levantou-se e depois de cumprimentá-lo, dirigiu-se ao palco, dizendo:

- Gostaram? Podem saber toda a história obtendo o livro do Pedro nas versões ebook ou print-on-demand! Mais informações no site da nossa editora! - respondeu João Máximo, com um grande sorriso.

Novamente toda a gente bateu palmas. Margarida subiu ao palco e com um grande sorriso declarou:

- Há bocado o João Roque disse que nós tínhamos duas surpresas preparadas para vocês! Quem gosta de cantar?

- Eu! Eu! Eu! - várias vozes clamaram ao mesmo tempo.

- E alguém trouxe um instrumento? É que cantar sem música não tem lá muita piada... - retorquiu a Margarida. Ela sabia que eu trazia um baixo, estava a dizer aquilo de propósito para se meter comigo.

A rir-me, levantei-me e disse:

- Eu trago um baixo comigo! Posso dar uns acordes ou tocar umas músicas!

- Muito bem, já temos baixista! Quem se oferece? - perguntou ela.

- Eu teria muito gosto! - respondeu uma rapariga brasileira. Quero aproveitar esta oportunidade para dizer umas verdades ao "babaca" do meu namorado! Depois de hoje, ele vai passar a "ex"!

Margarida ficou um pouco encavacada, mas sem se dar por vencida, respondeu:

- Muito bem! Caim! Aceitas o desafio?

Assenti com a cabeça e disse:

- Claro que sim! Só preciso de saber qual é a canção que vamos tocar!

A rapariga, que se chamava Madalena, estava ali no jantar da companhia de um amigo, chamado Rui. Pelos vistos, ela ia deixar o namorado, para ficar com este "miguxo", como ela lhe chamava.

- "Não queria nada estar na pele dele..." - pensei eu, entre sorrisos.

Madalena e eu subimos ao palco e ela mostrou-me a letra da canção que eu ia tocar.

- Pode ser esta, Caim?

- Sim, claro!

E assim, para delírio do público presente, começamos a tocar e a cantar:


[Madalena]

Meu amor era verdadeiro,
O teu era pirata!

O meu amor era ouro
E o teu não passava...de um pedaço de lata!

Meu amor era rio
E o teu não formava uma fina cascata!

O meu amor era de raça!
E o teu simplesmente um vira-lata!

Ex my love,
Ex my love,

Se botar teu amor na vitrine,
Ele nem vai valer 1,99!


Quando a Madalena acabou de cantar, toda a gente a aplaudiu de pé e um homem chamado Francisco virou-se para ela e disse:

- Querida, os homens voltam sempre!

Foi a gargalhada geral.

Depois deste evento, as pessoas começaram a dispersar. Como já estava a ficar tarde, despedi-me das pessoas, trocando contactos e regressei ao hotel. A noite tinha sido bastante divertida!

[Continua...]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá! O teu comentário é sempre bem-vindo!
Comenta, opina, expressa a tua opinião! Este espaço é teu!

Se quiseres contactar connosco, envia-nos um email para:

entrelinhasdirecionadas@outlook.pt

Esperemos que tenhas gostado do blog e que voltes sempre!

Entrelinhas Direcionadas: Felizes Aqueles Que Sabem Ler Nas Entrelinhas! | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS